segunda-feira, 2 de outubro de 2017

É correto dizer que um objeto, por si só, tem energia ?

Um objeto é um sistema (subconjunto do Universo) material com limites definidos. Sendo material é composto de partículas massivas e a massa contém energia. Ela pode ser transferida para outros sistemas em reações nucleares ou na aniquilação pela anti-matéria, em que passa a ser a energia dos fótons da radiação gama emitida na aniquilação. Além do mais, um objeto pode estar em movimento, com o que possuirá energia cinética. Também pode estar submetido a um campo de forças gravitacional, elétrico, magnético ou de outro tipo, pelo que possuirá energia potencial. Não estando em movimento e nem sujeito a campo nenhum, possuirá apenas a energia de sua massa ou a energia potencial das interações internas de suas partes umas com as outras, bem como a energia do movimento caótico de suas partículas que não resultem em movimento do objeto como um todo, que vem a ser a sua energia térmica. Apenas no zero absoluto essa energia será a menor possível. Se o objeto for uma única partícula elementar (só um elétron, por exemplo), não possuirá energia térmica.

O que acha da teoria que afirma que tem-se nove tipos de inteligência? Uns artigos afirmam que são sete. etc; Envio o site de um dos artigos que menciona o assunto. https://biosom.com.br/blog/curiosidades/os-9-tipos-de-inteligencia-humana/

De fato, a inteligência se manifesta em vários aspectos e diferentes autores os categorizam em distintas listas. O que importa é entender que uma pessoa pode possuir elevada inteligência em um aspecto e não em outro. O mais interessante, contudo, é o chamado "Fator Global", que alguns apresentam de possuir inteligência elevada em todos os aspectos. Vejo muito isso em alunos. Geralmente quem é muito bom (não apenas bom) em algum assunto, também o é nos outros e, inclusive, é uma pessoa de grande sociabilidade, muito participativa em vários empreendimentos, de grande consciência social e ecológica, extrema bondade e simpatia, postura ética ilibada, costumando, até, ser uma pessoa de grande beleza física e supremo charme. Não sei explicar a razão da conjunção de todas essas vantagens em uma só pessoa, mas isso acontece e não é tão raro.

Você escuta Yanni? O que achas do estilo musical dele?

Sim, bem como Vangelis e outros compositores do mesmo estilo e gosto muito. Por exemplo, a Enya.

Um homem não consegue amar a duas mulheres. Citarei o caso mais comum, quando o marido arranja uma amante. Imediatamente, o tratamento muda, só a outra é linda e perfeita e foco de toda atenção.Nas separações, raramente se preserva sequer a amizade, provando que não se pode amar a mais de uma pessoa

Pode sim, perfeitamente. Isso é só uma questão cultural. Tanto homens quanto mulheres são capazes de amar a mais de uma outra pessoa, tanto romântica quanto eroticamente, com toda a sinceridade, todo o desvelo, toda a intensidade. O que acontece é que a reprovação social de tal modo de viver faz com que as pessoas não o aceitem e, então, façam uma escolha. Muitas mulheres que possuem amantes, também amam seus maridos, do mesmo modo que maridos que possuem amantes também amam suas mulheres. Não seria ótimo se, em vez de marido e amante, ou mulher e amante se tivesse dois maridos ou duas mulheres, todos de acordo e felizes com a situação. A monogamia é um tabu a ser derrubado, assim como o foi a exigência da heteronomia relacional.

http://ask.fm/wolfedler/answers/138301443357 Então existem pessoas que já nascem com inteligencia acima da media geneticamente? Se sim, isso não poderia ser um desestímulo pra pessoas estudarem coisas mais complexas (Física, etc) ja q poderiam achar q nao sao capazes disso?

O nível de inteligência tem um componente genético que é nato e um componente adquirido pelo treinamento. Este último começa a partir do que se tem de nascença e é capaz de promover um acréscimo que pode chegar de um quinto a um quarto do valor do quociente de inteligência que se tem sem treinamento. Da mesma forma que ele pode decair por falta de uso e estímulo. Especialmente na tenra infância, isto é, antes dos quatro anos de idade. É aí que os cuidadores precisam promover o maior estímulo para o aprimoramento da inteligência, que perdurará por toda a vida. Todavia, em qualquer época, mesmo que com menor eficácia, é possível melhorar a inteligência. Raramente se consegue passar de 110 para 160. Todavia se consegue passar de 110 para 135, por exemplo. O aprimoramento consiste, especialmente, no enfrentamento de desafios cognitivos e intersensoriais. Só que tem que ser algo a que a pessoa se dedique continuadamente ao longo da vida, sem a menor preguiça. Porque não é fácil nem simples. Justamente por ser difícil e complicado é que aprimora a inteligência. Da mesma forma que o treinamento de um atleta olímpico. Quem quiser moleza não consegue. Por isso é que acho que a tendência atual das escolas de facilitar tudo para os alunos é um verdadeiro crime contra, inclusive, a própria nação, pois está formando uma geração de burros e ignorantes, que não conseguem superar os desafios. Não adianta nada apresentar resultados numéricos de altos índices de aprovação se essa aprovação é feita com base em exigências medíocres. Nascer com inteligência acima ou abaixo da média é algo patente e verificável por qualquer professor. Há alunos que não estudam quase nada e que obtêm um ótimo desempenho acadêmico e outros que estudam demais e não conseguem. Isso é injusto? Sim, mas é assim que acontece. É um fato da natureza contra o qual não há como se rebelar. E pior, se se consegue aprimorar a inteligência por treinamento (e se consegue), isso não é transmitido geneticamente. Mas memeticamente sim, se a pessoa for criada em um ambiente em que se cultiva a cultura e a inteligência e em que os cuidadores propiciam desafios cognitivos às crianças. No entanto há casos de crianças de alto nível de inteligência que nascem e são criadas em ambientes que não valorizam esses aspectos. Quem tiver um nível genético baixo de inteligência pode conseguir estudar Física, Filosofia ou outros assuntos que requeiram, além de vastos conhecimentos, alta capacidade de raciocínio, se se esforçar para tal. Mas esse esforço tem que começar desde os primeiros anos do processo educativo. Por isso as escolar precisam incentivar os alunos a participar de feiras de ciências e coisas do tipo e não apenas se ater ao ensino dos conteúdos curriculares, especialmente a treinar para fazer os testes do ENEM e dos vestibulares. Escola que se prende apenas a esse objetivo é uma escola medíocre. Tem que perseguir ambos os objetivos.

Nunca vi você sequer mencionar Rachmaninof. Isto ê porque você não aprecia o estilo deste compositor?

Aprecio, e muito. É que Rachmaninoff é um compositor desfocado. É um romântico fora de época. Um epígono. Mas é excelente e eu gosto muito dos seus concertos para piano 2 e 3 (especialmente com a Arguerich), bem como os prelúdios e o poema sinfônico "A Ilha dos Mortos".

Por quê você bate tanto nesta tecla,de que o relacionamento não deve ter perenidade nem exclusividade? Isto assusta a maioria das pessoas pois todos almejam a segurança nos relacionamentos.

Mas a não exclusividade não compromete em nada a segurança. Por que o fato de alguém amar a mais de uma outra pessoa o faria deixar de amar a cada uma delas? Quanto à perenidade, é inteiramente impossível que seja garantida, pois o desenrolar das vidas das pessoas pode levar à cessação do desejo de continuar qualquer relacionamento e continuá-lo por obrigação é muito pior do que não continuá-lo. Todavia, os relacionamentos envolvem vários aspectos e o rompimento de um ou outro deles não implica no rompimento dos demais. Por exemplo, duas pessoas podem deixar de se amar romântica e eroticamente e continuar a se amar fraternalmente e amigavelmente, podendo continuar a manter um relacionamento de vários interesses intelectuais, por exemplo, mesmo que cada uma delas passe a construir outros relacionamentos românticos e eróticos. Inclusive pode haver relacionamento romântico sem componente erótica e vice-versa. Todos são legítimos e não é preciso que um relacionamento envolva todos os aspectos. Por isso é que as pessoas têm que poder manter múltiplos relacionamentos. Quando digo isso não estou dizendo que tenham que manter e, digo mesmo, que se um relacionamento envolver todos os aspectos e for mutuamente exclusivo, é melhor ainda. O que não se pode é exigir que tenha que ser assim e nem que, se não for assim, não possa ser bom. O que não pode ser admitido nos relacionamentos é a dependência, de qualquer espécie: financeira, emocional ou o que seja. Exceto, é claro, a dependência que a criança tem de seus pais, que tem que ser atendida mesmo que os pais se separem. Não só financeira mas, principalmente, afetiva e das incumbências cotidianas da vida (levar à escola, ao médico, trocar a roupa, ir às compras, se divertir, cobrar os estudos e tudo isso). Por isso, pai e mãe que se separem não podem se tornar inimigos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails