quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Acho algumas ideologias suas falhas. Você não aprova competição. Porém, prepara alunos para o vestibular, o que é uma competição. Querendo ou não, competição faz a sociedade evoluir. Esse é o objetivo da vida. Acredito que a igualdade seja algo importante, mas nunca será algo possível...‎

Discordo totalmente de você. Mas eu não preparo alunos para o vestibular, preparo para a vida, da qual o vestibular é um episódio apenas. E não acho que os alunos tenham que vencer derrotando os outros e sim vencendo suas próprias limitações. Competição pode provocar evolução, mas colaboração provoca muito mais, sem a menor dúvida. O objetivo da vida, absolutamente, não é vencer competições. O objetivo da vida é conseguir progredir se superando. Não precisa derrotar ninguém. A igualdade que preconizo é a de oportunidades, que serão mais ou menos aproveitadas, dependendo da pessoa. Isso é algo perfeitamente possível e alcançável.

Cada pessoas tem suas convicções. Acho que as suas estão certas pra você, pois foi fruto de sua filosofia. Eu só não vejo um modo de concordar. Abraços!‎

Certamente que cada pessoa tem suas próprias convicções que foram formadas por seus estudos, suas vivências e suas reflexões, com influência do meio em que foi criada e, mesmo, de sua genética. As minhas são as que venho expondo e considero que sejam as corretas. Tanto que me esforço em convencer a todos de que assim o sejam mesmo e que passem a adotá-las também. Mas não fico magoado se não concordarem comigo e respeito todo ponto de vista, exceto aqueles que sejam maléficos.

Pois sempre alguns irão trabalhar mais, e sempre alguns trabalhará menos. Acha justo pegar os resultados de quem lutou e dividir igualmente. Outra, direitos autorais. Se você criasse algo e outro se pegasse o crédito? Se isso é seu produto e você vive vendo isso, sua arte, música, pinturas, idei..?‎

Não acho que se deva dividir igualmente e nem que se deva retribuir em função do trabalho realizado. O que eu acho é que cada um deva contribuir para a coletividade em razão de sua capacidade e cada um deva receber dela em função de sua necessidade. Mesmo que isso signifique que quem contribua mais receba menos e quem contribua menos receba mais. Isso é o que eu acho que seja justo. O ideal, para mim, é que todos deem a sua contribuição de graça para o bem de todos e recebam de todos o que precisem, de graça. Tudo o que escrevo e o que pinto eu disponibilizo de graça para os outros. Os originais de meus quadro, exceto dois, dei para meus familiares e deixei fotos na Web para quem quiser baixar. Enquanto o mundo não for anárquico, acho que os artistas e cientistas deveriam receber um salário do governo para criar sua arte e sua ciência e deixá-las disponíveis para o povo.

Professor, a maioria dos físicos aceitam ou não o conceito de inderterminismo? Eu não entendo ainda, como isso encerraria o debate a respeito do livre-arbítrio. Como vive o indivíduo que acredita não ter livre-arbítrio? Ele não tomaria responsabilidade por seus atos?‎

Sim, a maioria aceita. O indeterminismo e a incausalidade é que permitem a existência do livre-arbítrio. Com o determinismo não há como se fazer nenhuma escolha. Daí ninguém seria responsável por nada. Não sei como vive alguém que considera que não tenha livre arbítrio. Mas a sociedade não pode admitir tal situação. É preciso que as pessoas sejam responsabilizadas por seus atos. E isso só se dá com o livre arbítrio. Que, por sua vez, decorre do indeterminismo. Portanto, pode-se dizer que há uma prova social de um fato físico.

Um empresário pode ser comunista ou carregar ideais de Esquerda - Como Mino Carta - sem ser hipócrita ?

Claro que pode e é bom que muitos o sejam. Mas têm que mostrar, em suas atitudes e em suas ações. que, de fato, são de esquerda. Note que o termo "esquerda" abrange o comunismo, o socialismo e a social-democracia, que são conceitos distintos. Ele significa que se considera as desigualdades injustas e que se concebe uma economia em que as desigualdades sejam progressivamente abolidas, ou seja, em que os rendimentos sejam o mais uniformemente distribuídos pela sociedade. Um empresário de esquerda tem que gerir sua empresa para obter isso dentro dela. O ideal é que ele promova a distribuição do capital entre os trabalhadores e aplique a maior parte do lucro na geração de postos de trabalho e no benefício social, contentando-se com uma retirada modesta, que apenas lhe garanta o conforto. Ser de esquerda não implica em ser socialista e nem em considerar que a economia deva ser estatizada.

Uma coisa é certa, independentemente de quem vai ganhar essa eleição para presidente, o futuro do país depende de nós mesmos... https://scontent-b-gru.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/l/t1.0-9/10253741_847647641926746_8951202206965143912_n.jpg?oh=cedf3b7170e31939afd5e95daccdf3bb&oe=54E12437

Pois é. Para começar, temos que parar com essa mania nefasta de "dar um jeitinho". Temos que ser mais exigentes conosco mesmo em termos da busca da perfeição e da não compactuação com nada "mais ou menos bom". Temos que trabalhar pelo bem de todos e não ficar só pensando na hora de ir embora ou na hora do descanso. É preciso "dar de si antes de pensar em si". Os países que se tornaram modelos de sociedade próspera e justa, como os escandinavos, chagaram lá pela dedicação de seu povo ao trabalho. Há que não se compactuar com a esperteza de quem queira levar vantagem em detrimento da coletividade. Essas pessoas, onde quer que estejam, têm que ser denunciadas e expostas à execração, para que sejam devidamente manietadas e incapacitadas de agir.

Sobre uma pergunta que Sr respondeu sobre voto em branco. Será que não ingênuo da parte do senhor achar que um presidente tem poder para impedir a corrupção? Ele mal mal consegue aprovar os próprios projetos que são enviados para a câmara e o senado... Principalmente quando não se tem a maioria de u

Não acho que ele vai conseguir acabar com a corrupção. Mas acho que ele tem que envidar o máximo esforço nesse sentido. Com a proposição de leis mais duras, com a determinação para que a polícia federal proceda a rigorosas investigações, com a indicação para que seus representantes no congresso proponham aberturas de comissões parlamentares de inquérito, enfim, com uma atitude positivamente contrária à admissão de qualquer resquício de corrupção. Se isso for feito e continuar a ser feito por vários mandatos sucessivos, seja de que presidente for, a corrupção vai diminuir sim. Não importa que não se tenha maioria no congresso. Tem que se fazer propostas para o bem do povo e para acabar com qualquer forma de se aproveitar do poder para locupletação própria. Isso tudo tem que ser feito com ampla divulgação das propostas apresentadas e da listagem dos parlamentares que tenham votado contra, para o povo todo ficar sabendo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails