segunda-feira, 2 de outubro de 2017

É correto dizer que um objeto, por si só, tem energia ?

Um objeto é um sistema (subconjunto do Universo) material com limites definidos. Sendo material é composto de partículas massivas e a massa contém energia. Ela pode ser transferida para outros sistemas em reações nucleares ou na aniquilação pela anti-matéria, em que passa a ser a energia dos fótons da radiação gama emitida na aniquilação. Além do mais, um objeto pode estar em movimento, com o que possuirá energia cinética. Também pode estar submetido a um campo de forças gravitacional, elétrico, magnético ou de outro tipo, pelo que possuirá energia potencial. Não estando em movimento e nem sujeito a campo nenhum, possuirá apenas a energia de sua massa ou a energia potencial das interações internas de suas partes umas com as outras, bem como a energia do movimento caótico de suas partículas que não resultem em movimento do objeto como um todo, que vem a ser a sua energia térmica. Apenas no zero absoluto essa energia será a menor possível. Se o objeto for uma única partícula elementar (só um elétron, por exemplo), não possuirá energia térmica.

O que acha da teoria que afirma que tem-se nove tipos de inteligência? Uns artigos afirmam que são sete. etc; Envio o site de um dos artigos que menciona o assunto. https://biosom.com.br/blog/curiosidades/os-9-tipos-de-inteligencia-humana/

De fato, a inteligência se manifesta em vários aspectos e diferentes autores os categorizam em distintas listas. O que importa é entender que uma pessoa pode possuir elevada inteligência em um aspecto e não em outro. O mais interessante, contudo, é o chamado "Fator Global", que alguns apresentam de possuir inteligência elevada em todos os aspectos. Vejo muito isso em alunos. Geralmente quem é muito bom (não apenas bom) em algum assunto, também o é nos outros e, inclusive, é uma pessoa de grande sociabilidade, muito participativa em vários empreendimentos, de grande consciência social e ecológica, extrema bondade e simpatia, postura ética ilibada, costumando, até, ser uma pessoa de grande beleza física e supremo charme. Não sei explicar a razão da conjunção de todas essas vantagens em uma só pessoa, mas isso acontece e não é tão raro.

Você escuta Yanni? O que achas do estilo musical dele?

Sim, bem como Vangelis e outros compositores do mesmo estilo e gosto muito. Por exemplo, a Enya.

Um homem não consegue amar a duas mulheres. Citarei o caso mais comum, quando o marido arranja uma amante. Imediatamente, o tratamento muda, só a outra é linda e perfeita e foco de toda atenção.Nas separações, raramente se preserva sequer a amizade, provando que não se pode amar a mais de uma pessoa

Pode sim, perfeitamente. Isso é só uma questão cultural. Tanto homens quanto mulheres são capazes de amar a mais de uma outra pessoa, tanto romântica quanto eroticamente, com toda a sinceridade, todo o desvelo, toda a intensidade. O que acontece é que a reprovação social de tal modo de viver faz com que as pessoas não o aceitem e, então, façam uma escolha. Muitas mulheres que possuem amantes, também amam seus maridos, do mesmo modo que maridos que possuem amantes também amam suas mulheres. Não seria ótimo se, em vez de marido e amante, ou mulher e amante se tivesse dois maridos ou duas mulheres, todos de acordo e felizes com a situação. A monogamia é um tabu a ser derrubado, assim como o foi a exigência da heteronomia relacional.

http://ask.fm/wolfedler/answers/138301443357 Então existem pessoas que já nascem com inteligencia acima da media geneticamente? Se sim, isso não poderia ser um desestímulo pra pessoas estudarem coisas mais complexas (Física, etc) ja q poderiam achar q nao sao capazes disso?

O nível de inteligência tem um componente genético que é nato e um componente adquirido pelo treinamento. Este último começa a partir do que se tem de nascença e é capaz de promover um acréscimo que pode chegar de um quinto a um quarto do valor do quociente de inteligência que se tem sem treinamento. Da mesma forma que ele pode decair por falta de uso e estímulo. Especialmente na tenra infância, isto é, antes dos quatro anos de idade. É aí que os cuidadores precisam promover o maior estímulo para o aprimoramento da inteligência, que perdurará por toda a vida. Todavia, em qualquer época, mesmo que com menor eficácia, é possível melhorar a inteligência. Raramente se consegue passar de 110 para 160. Todavia se consegue passar de 110 para 135, por exemplo. O aprimoramento consiste, especialmente, no enfrentamento de desafios cognitivos e intersensoriais. Só que tem que ser algo a que a pessoa se dedique continuadamente ao longo da vida, sem a menor preguiça. Porque não é fácil nem simples. Justamente por ser difícil e complicado é que aprimora a inteligência. Da mesma forma que o treinamento de um atleta olímpico. Quem quiser moleza não consegue. Por isso é que acho que a tendência atual das escolas de facilitar tudo para os alunos é um verdadeiro crime contra, inclusive, a própria nação, pois está formando uma geração de burros e ignorantes, que não conseguem superar os desafios. Não adianta nada apresentar resultados numéricos de altos índices de aprovação se essa aprovação é feita com base em exigências medíocres. Nascer com inteligência acima ou abaixo da média é algo patente e verificável por qualquer professor. Há alunos que não estudam quase nada e que obtêm um ótimo desempenho acadêmico e outros que estudam demais e não conseguem. Isso é injusto? Sim, mas é assim que acontece. É um fato da natureza contra o qual não há como se rebelar. E pior, se se consegue aprimorar a inteligência por treinamento (e se consegue), isso não é transmitido geneticamente. Mas memeticamente sim, se a pessoa for criada em um ambiente em que se cultiva a cultura e a inteligência e em que os cuidadores propiciam desafios cognitivos às crianças. No entanto há casos de crianças de alto nível de inteligência que nascem e são criadas em ambientes que não valorizam esses aspectos. Quem tiver um nível genético baixo de inteligência pode conseguir estudar Física, Filosofia ou outros assuntos que requeiram, além de vastos conhecimentos, alta capacidade de raciocínio, se se esforçar para tal. Mas esse esforço tem que começar desde os primeiros anos do processo educativo. Por isso as escolar precisam incentivar os alunos a participar de feiras de ciências e coisas do tipo e não apenas se ater ao ensino dos conteúdos curriculares, especialmente a treinar para fazer os testes do ENEM e dos vestibulares. Escola que se prende apenas a esse objetivo é uma escola medíocre. Tem que perseguir ambos os objetivos.

Nunca vi você sequer mencionar Rachmaninof. Isto ê porque você não aprecia o estilo deste compositor?

Aprecio, e muito. É que Rachmaninoff é um compositor desfocado. É um romântico fora de época. Um epígono. Mas é excelente e eu gosto muito dos seus concertos para piano 2 e 3 (especialmente com a Arguerich), bem como os prelúdios e o poema sinfônico "A Ilha dos Mortos".

Por quê você bate tanto nesta tecla,de que o relacionamento não deve ter perenidade nem exclusividade? Isto assusta a maioria das pessoas pois todos almejam a segurança nos relacionamentos.

Mas a não exclusividade não compromete em nada a segurança. Por que o fato de alguém amar a mais de uma outra pessoa o faria deixar de amar a cada uma delas? Quanto à perenidade, é inteiramente impossível que seja garantida, pois o desenrolar das vidas das pessoas pode levar à cessação do desejo de continuar qualquer relacionamento e continuá-lo por obrigação é muito pior do que não continuá-lo. Todavia, os relacionamentos envolvem vários aspectos e o rompimento de um ou outro deles não implica no rompimento dos demais. Por exemplo, duas pessoas podem deixar de se amar romântica e eroticamente e continuar a se amar fraternalmente e amigavelmente, podendo continuar a manter um relacionamento de vários interesses intelectuais, por exemplo, mesmo que cada uma delas passe a construir outros relacionamentos românticos e eróticos. Inclusive pode haver relacionamento romântico sem componente erótica e vice-versa. Todos são legítimos e não é preciso que um relacionamento envolva todos os aspectos. Por isso é que as pessoas têm que poder manter múltiplos relacionamentos. Quando digo isso não estou dizendo que tenham que manter e, digo mesmo, que se um relacionamento envolver todos os aspectos e for mutuamente exclusivo, é melhor ainda. O que não se pode é exigir que tenha que ser assim e nem que, se não for assim, não possa ser bom. O que não pode ser admitido nos relacionamentos é a dependência, de qualquer espécie: financeira, emocional ou o que seja. Exceto, é claro, a dependência que a criança tem de seus pais, que tem que ser atendida mesmo que os pais se separem. Não só financeira mas, principalmente, afetiva e das incumbências cotidianas da vida (levar à escola, ao médico, trocar a roupa, ir às compras, se divertir, cobrar os estudos e tudo isso). Por isso, pai e mãe que se separem não podem se tornar inimigos.

Você acha que ouvir boa música ao longo de anos pode tornar a pessoa mais inteligente?

Depende do modo como se ouve a música. Ouvir música desatentamente, enquanto se faz outra coisa pode aprimorar a sensibilidade artística, mas não a inteligência. Para aprimorar a inteligência a audição de música tem que ser focada exclusivamente na música, com a cessação de qualquer outra ocupação. Então se precisa prestar muita atenção na música, na melodia, no ritmo, no fraseado musical, na harmonização, da composição dos timbres orquestrais, na construção e desenvolvimento dos temas. Em suma, é preciso aplicar o intelecto na percepção da música em todos os seus aspectos e remoer tudo o que está sendo captado. |sto quanto à música mesmo, separadamente da letra que pode estar sendo cantada. Depois é preciso, também, analisar o caráter poético da letra e, finalmente, apreciar o casamento da música com a letra, fazendo o julgamento da propriedade com que é feito. Isso é aplicar a inteligência na análise musical e, assim, aprimorá-la. O bom é que se tenha noções de teoria musical, para se fazer uma apreciação significativa. Todavia, mesmo sem conhecimento teórico de música, uma apreciação musical analítica e sintética promove o aprimoramento da inteligência, pois significa que o cérebro está sendo aplicado a uma análise intelectual de uma obra de arte. Isso é válido para artes de outra natureza, como pintura, escultura, dança, teatro, literatura, arquitetura. É preciso que a apreciação estética da arte não seja apenas sensorial mas, também, intelectual.

Ernesto, li os dois volumes do "Antologia" de Asimov, em um dos ensaios(acho que são dois ensaios sobre o mesmo assunto, um em cada volume) afirma que a inteligência não é apenas saber memorizar fatos históricos ou resolver facilmente testes de QI. Segundo ele, a definição de inteligência varia.

Sim. Os testes de QI aferem apenas três aspectos da inteligência: o raciocínio lógico e matemático, a capacidade de expressão linguística e a percepção espacial. Os demais ficam de fora, como as inteligências musical, interpessoal, intrapessoal, corporal e cinestésica, naturalista, existencial e emocional, além de outras não consideradas no modelo do Gardner e do Golemam, como a habilidade para artes plásticas. Além do mais o teste de QI é muito influenciado pelo cabedal de informações que se tem, especialmente os conhecimentos formais escolares. E, certamente, mesmo que a capacidade de memorização seja um fator relevante da inteligência, não é o único. Por outro lado, também, uma maior inteligência, no sentido do teste de QI, não implica em maior criatividade, o que, de fato, significa uma maior inteligência. De modo que o conceito de inteligência é mais complexo do que se pode imaginar. Sugiro uma consulta ao site do C. P. Simões e os que são mencionados nele. Mesmo havendo variações na definição de inteligência é possível se construir uma conceituação abrangente que permita identificar o grau de inteligência de uma pessoa, do qual o resultado do teste de QI faz parte, mas não fica restrito a ele.

A melhor forma de felicidade é a compartilhada?

Claro. Não vejo como ser feliz sozinho. Compartilhada com as pessoas que amamos e que nos amam. Quanto mais pessoas compartilharem felicidade conosco, melhor. O ideal é que pudéssemos compartilhar a felicidade com toda a humanidade, todos amando a todos em todas as formas de amor (não necessariamente todas com todos). Isso, inclusive, significa ajudar a quem passa necessidade, para que não passe, ou seja, abdicar de nossa riqueza e conforto para minorar a pobreza dos outros, tanto diretamente quanto por meio de iniciativas para erradicação da pobreza, que pode, até mesmo, ser concretizada ensinando, distribuindo o capital da empresa pelos trabalhadores, fundando organizações de combate à fome, às doenças, à ignorância, fazendo voluntariado, recolhendo cachorros abandonados na rua e muito mais. Mas, também, namorando e namorando muito. Quanto mais as pessoas namorarem, melhor. E não precisa ter um namorado ou uma namorada só. Desde que todos saibam e concordem, quanto mais amor houver, melhor.

Voce acredita em racismo reverso? Acha possivel brancos sofrerem racismo? Se sim em quais situaçoes e o que considera racismo?

Sim, perfeitamente. E sofrem mesmo. Não só brancos contra negros e negros contra brancos, mas judeus contra árabes, árabes contra judeus, japoneses contra brancos, brancos contra japoneses, indianos contra brancos, brancos contra indianos, brancos contra árabes, árabes contra brancos, brancos contra hispânicos, hispânicos contra brancos. Há um grande número de intolerâncias raciais em vários lugares do mundo de muitas raças em relação a outras. Isso é lamentável e um testemunho da grande falta de civilização que a humanidade ainda apresenta.

O que você acha sobre a Equação de Drake e o Paradoxo de Fermi? Você acha que é uma Equação confiável? Pois parece que foi inventada do nada sem lógica alguma, meio que achismo.

A equação de Drake é um achismo mesmo. Todavia com alguma plausibilidade. Mas, certamente, sem lógica. O Paradoxo de Fermi, de fato, é um paradoxo. Algumas considerações mostram que sua premissa maior não seria válida: Veja estes artigos:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Paradoxo_de_Fermi
https://pt.wikipedia.org/wiki/Equa%C3%A7%C3%A3o_de_Drake.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%B3tese_da_Terra_rara

Li o livro "Maestria" de Robert Greene e nele dizia q os grandes gênios como Newton, Einstein, Da Vinci, Darwin, etc não nasceram com inteligência superior que as demais pessoas, mas que alcançaram a genialidade somente a partir de seus esforços e que a maestria não é inata. Concorda com essa visão?

Não. Para que a maestria seja desenvolvida a pessoa tem que ter um patamar de inteligência sobre o qual ela vai ser construída que, se não for de alguma elevação, não suporta a construção de maestria. O que aconteceu com essas pessoas é que, exatamente por serem mais inteligentes do que a média, não se importavam com os aspectos que a sociedade considerava demonstrativos de inteligência e se focavam em outros, que consideravam mais relevantes, não ligando para o que o resto do mundo achasse deles. Isso, inclusive, é uma demonstração de inteligência acima da média, ou seja, não se importar com a aprovação geral. Claro que o esforço desenvolve a inteligência, mas até certo ponto, digamos um aumento de um quinto a um quarto sobre o valor do quociente de inteligência. Mas para se ter esse quociente suficiente para desenvolver o que essas pessoas foram capazes, o patamar inicial já teria que ser, pelo menos, um desvio padrão acima da média ou mais.

Pq a força magnética é mais forte do que a gravitacional?

Não se sabe. Isso é o modo como a natureza se comporta.

Pra você, o que torna uma pessoa um intelectual?

Seu domínio de conhecimentos, especialmente humanísticos, mas não apenas. Bem como sua capacidade de raciocinar sobre eles, tirando conclusões e sabendo argumentar muito bem para defendê-las. Assim tem que ter um excelente domínio de lógica, dialética e retórica. Para ter um grau assim de conhecimentos e habilidades é preciso ser dotado de inteligência bem acima da média. Um verdadeiro intelectual, contudo, além dos aspectos humanísticos (filosóficos, sociológicos, psicológicos, linguísticos, históricos, geográficos, artísticos), também precisa ter um razoável domínio sobre conhecimentos científicos, mesmo que não seja um cientista. Um intelectual tem que ser um polímata, senão não é intelectual. Finalmente há um aspecto que costuma ser relegado como não pertinente à intelectualidade mas que eu considero essencial. Trata-se da sabedoria, que não pode ser confundida com sapiência. A sabedoria é a capacidade de fazer julgamentos de valor que sejam pautados em uma grande experiência de vida e que se norteiem na obtenção do bem maior possível para a máximo número de seres. Um verdadeiro intelectual tem que ser uma pessoa virtuosa e sábia, senão é um simulacro de intelectual.

O que fazer quando um filho adolescente não arruma o quarto de jeito nenhum e deixa tudo na mais completa desordem? Tem alguma sugestão?

Sim. Não lave a roupa dele, não arrume nada para ele. Deixe o quarto desarrumado. Quando vier uma visita, mostre o quarto dele todo desarrumado para a visita. Para que ele se envergonhe. Mas diga que a responsabilidade é dele. Mas não arrume. De modo nenhum. Se ele quiser roupa limpa vai ter que arrumar o quarto ou lavar ele mesmo. Não compre nada para ele. Seja firme e deixe ele fazer a pirraça que fizer sem ceder. Não se importe em "pagar mico" perante as visitas.

Qual livro devo ler para aprender sobre a história da arte?

Estes são alguns dos que tenho e já consultei:
E. H. Gombrich - "A História da Arte" - LTC
Nikos Stangos - "Conceitos de Arte Moderna" - Zahar
Susan Woodford - "A Arte de Ver a Arte" - Círculo do Livro
Graça Proença - "História da Arte" - Ática
Roberto Carvalho de Magalhães - "O Grande Livro da Arte" - Ediouro
Ian Chilvers - "Dicionário Oxford de Arte" - Martins Fontes
Stephen Farthing - "Tudo sobre Arte" - Sextante
"O Livro da Arte" - PubliFolha
Há vários outros, contudo.

Você concorda com a premissa de que quando somos mais velhos, tendemos a ser conservadores? Isso tem alguma obrigatoriedade ou não? Comente.

Na maioria dos casos, sim, mas não em todos. Depende da vivência de cada um. Pessoas que levam uma vida intelectual muito intensa, que são muito filosóficos, em geral, pelo contrário, tendem a ser menos conservadores, pois quanto mais assimilam conhecimentos e mais refletem sobre eles, mais concluem sobre a total improcedência do conservadorismo.

E os livros de Cálculo 1 ? Quais você recomenda ?

O do Guidorizzi é muito bom. Também o do Paulo Boulos.

Professor, com relação ao comunismo, concorda que pessoas esforçadas e produtivas como você teriam a mesma quantidade de bens e direitos que uma pessoa preguiçosa desonesta e mau caráter?

Sim. Porque bens, ninguém teria nenhum e direitos, todos teriam os mesmos. A diferença é que uma sociedade comunista, especialmente anárquica, propiciaria às pessoas retribuições em termos de alguma regalia, consideração, estima e, mesmo, benefícios em razão do quanto alguém seria responsável e benemérito para a própria sociedade e restringiria as benesses para quem exiba um comportamento preguiçoso, não solidário, irresponsável, egoísta e o que fosse do tipo. É o que acontece nas tribos selvagens, com as devidas alterações para uma sociedade sofisticada, tanto técnica quanto culturalmente. Isso não precisa de nenhuma aferição institucional e se daria de modo espontâneo e intuitivo pela própria sociedade. Note que, sempre se precisa dizer, que uma sociedade anarco-comunista não se implanta. Ela surge espontaneamente pela evolução civilizatória da humanidade, e ficará estabelecida DEPOIS que os problemas de desigualdade social, pobreza, ignorância, doenças, desarmonias, fome, guerras, preconceitos, intolerâncias, ganâncias e as demais mazelas da humanidade estiverem superadas. Ou seja, quando, pela educação, TODOS forem virtuosos. Por isso é que se tem que lutar para que a educação cumpra esse papel de promover a evolução civilizatória da humanidade, extinguindo o egoísmo, a cobiça, a intolerância, a ganância, a esperteza, a vilania, a desonestidade, a competição, a vontade de poder, a crueldade. Em suma, formando um novo ser humano, o verdadeiro "Übermensch" e não o que Nietzsche imaginava que deveria ser. Isso é perfeitamente possível e deve começar já, para que seja alcançado em alguns séculos e não milênios. É preciso que a educação do caráter, da sensibilidade, o aprimoramento da inteligência sejam colocados como itens prioritários do processo educativo, acima da aquisição de conhecimentos e do desenvolvimento de habilidades e competências, o que não acontece hoje. Que o ENEM, por exemplo, tenha pontuação para a qualidade do caráter, a demonstração de virtudes, o grau de inteligência e de sensibilidade, além, também, do domínio de conhecimentos, de habilidades e de competências gnoseológicas, técnicas e artísticas.

O que é Gramscismo?

https://pt.wikipedia.org/wiki/Antonio_Gramsci

A morte da estrela WR 104 (Wolf Rayet) é realmente nociva para o nosso planeta terra?

Pouco provavelmente. Leia este artigo e suas citações [14] a [18]:
https://en.wikipedia.org/wiki/WR_104
Leia, também, estes:
https://en.wikipedia.org/wiki/Wolf%E2%80%93Rayet_star
https://en.wikipedia.org/wiki/Gamma-ray_burst

qual a diferença, física, entre distância e deslocamento ?

Distância é a separação espacial entre dois pontos, medida pelo comprimento do segmento de reta ou geodésica (se se estiver em um espaço curvo) que os une. Deslocamento envolve a mudança da posição de uma partícula entre dois pontos do espaço no decorrer de um intervalo de tempo. Portanto não é um conceito geométrico e sim cinemático. O deslocamento é matematicamente representado por um vetor, isto é, um segmento de reta ou geodésica que ligue os pontos inicial e final, cujo módulo é a distância entre esses pontos e cuja orientação é a desse segmento com o sentido que vai do inicial para o final. Note que o movimento não precisa ter sido feito ao longo do segmento de reta ou geodésica que una os pontos que o deslocamento continua a ter a mesma definição. O comprimento da curva realmente descrita pela partícula em movimento, isto é, a linha que liga todos os pontos pelos quais a partícula passou em seu movimento, é denominado o "percurso" do movimento, cujo valor mínimo, dentre todos os possíveis, unindo os mesmos pontos inicial e final, é o módulo do deslocamento correspondente. A velocidade escalar, ou rapidez, possui para módulo a razão entre o percurso e o intervalo de tempo consumido nele, enquanto a velocidade vetorial, ou apenas, "velocidade" possui para módulo a razão entre o módulo do deslocamento e o tempo consumido nele. O sentido é sempre o que vai do início para o fim, mas a velocidade escalar, exceto quando o percurso se der em cima do deslocamento, não tem uma direção única. Além disso a velocidade pode ser média ou instantânea, sendo a média aquela que é calculada considerando um intervalo de tempo finito entre o início e o fim e a instantânea a que seja calculada considerando um intervalo de tempo infinitesimal entre o início e o fim. Ou seja, a velocidade instantânea é o limite da velocidade média quando o instante final tende para o instante inicial. Só para completar, trajetória é a linha geométrica realmente descrita pela partícula em movimento. Percurso é, pois, o comprimento da trajetória, que nem sempre é a distância entre seus extremos.

A leitura enriquece a complexidade das redes sinápticas?

Sim, especialmente uma leitura que envolva bastante pensamento para ser entendida e que, inclusive, faça apelo para consulta frequente ao dicionário por envolver palavras incomuns. Todavia, para se ter disposição para ler algum texto assim, especialmente se for longo, há que começar com a leitura de textos mais amenos. Mas é preciso que se forme um costume de se ler bastante, digamos umas duas horas por dia, todo dia, um pouco mais nos fins de semana e feriados. O efeito vai ser notado em poucos anos de prática, mesmo em alguns meses.

O que seria o sistema Latex? Li um pouco sobre mas não entendi bem sua aplicabilidade. Se restringe mais ao público das exatas, vi que envolve programação?

Latex é um programa de edição de texto que envolva símbolos matemáticos. Trata-se de um editor de linha originalmente não wysiwyg (What You See Is What You Get), mas que, atualmente, também possui interfaces wysiwyg.
http://tex.stackexchange.com/questions/57068/wysiwyg-latex-editor-for-maths
1

Você acredita que é eficiente a posse de um carro como critério de seleção por parte de algumas mulheres? Quero dizer, vejo que em longo prazo, esse método não se mostra muito efetivo caso o objetivo seja fidelidade e estabilidade na relação, visto o aumento do numero de traições e términos com home

Uma mulher que escolha um homem pelo fato de possuir ou não um carro não é uma pessoa que compense se ligar em uma relação gamética. É uma pessoa, realmente, mesquinha e desprovida de valores elevados. Por outro lado, também não se pode escolher a quem se unir em uma relação gamética com base em sua disposição de exclusividade relacional. A não exclusividade relacional não é problema nenhum, desde que conhecida e consentida. Traição, sim, não é nada bom. Mas não pela falta de exclusividade e sim pela falta de sinceridade. O que deve levar a se escolher alguém para uma relação gâmica além, é claro, da atração física, são as afinidades de temperamento, de interesses, de gostos, de concepções de mundo, de modos de vida. Claro que não é preciso uma coincidência total, mas é preciso haver uma boa convergência, sem, contudo, se pretender uma "juntidade" de comportamentos e de programas de vida. Assim se curtirá a vida em conjunto, nos variados aspectos, mesmo que esse conjunto não se restrinja a duas pessoas apenas. Pode ser, até, que, para cada aspecto, pessoas diferentes componham a célula relacional que se viva. Não é necessário que os envolvidos numa relação gamética o sejam em todos os aspectos, como o romântico, o sexual, o intelectual, o laboral, o parental e vários outros. Os integrantes do grupo gamético podem, também, não morarem todos sob um mesmo teto. É preciso, contudo, que selem compromissos de dedicação, proteção, compartilhamento, cumplicidade, interesses, aspirações, certamente não em todos os aspectos, bem como não em exclusividade e nem em perenidade. O que não significa que a exclusividade e a perenidade não sejam algo de muito bom. Só não pode ser erigidos em condição sem as quais o relacionamento não possa ser mantido. A cessação de um aspecto do relacionamento, como o sexual, por exemplo, não tem que implicar na cessação dos outros aspectos, como o romântico, o intelectual ou o compartilhamento dos encargos financeiros, por exemplo. Finalmente, para que se fique bem claro, não é preciso que os pares inter-relacionais sejam, necessariamente, de sexos biológicos opostos.

Os modelos de formas do universo foram elaborados desconsiderando a energia escura. Não há contradição entre a expansão acelerada e o universo plano. Dependendo de sua geometria o universo pode ter 4 destinos diferentes. Veja: http://cosmosecaos.blogspot.com.br/2015/08/destino-do-universo.html

Isso já é levado em consideração nos modelos atuais, que, justamente, contemplam essas possibilidades. Trata-se do atual modelo lâmbda-CDM:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Modelo_Lambda-CDM

O que acha da proibição do burkini, nas praias da França?

Não vejo razão nenhuma para proibir ninguém de usar a roupa que quiser, tanto para ir à praia quanto para andar na rua ou em casa. Para mim se poderia, até, andar pelado. Todavia abro uma exceção para isso em logradouros públicos, exceto praias e piscinas, onde acho que não seria problema nenhum o nudismo, como dentro de casa. Então, quem quiser usar véu, burka, saris, xador, cáfia, turbante, dhoti, kipá, fez ou o que seja, tem toda a liberdade de o fazê-lo e nenhum governo pode nem proibir nem prescrever. O que não se pode é coagir alguém a usar ou a deixar de usar qualquer tipo de vestimenta. Pessoalmente acho uma grande bobagem essa de cobrir todo o corpo para não suscitar qualquer desejo no sexo oposto. Que mal há em suscitar desejo sexual? Sexo é algo muito bom e deve ser suscitado mesmo. Quanto mais sexo se fizer no mundo, mais felizes as pessoas serão (desde que, é claro, não seja feito por coação). E quanto mais felizes todas as pessoas forem, melhor o mundo será.

Já perdeu amigos pelo fato de ser ateu e/ou pelas discussões e intolerância a respeito do assunto?

Não. Acontece que eu não deprecio ninguém por ter fé. Apenas considero que esteja equivocado e busco mostrar isso, de modo cortês e inteiramente calcado em argumentos, sem nenhuma apelação "ad hominem". Da mesma forma que estou sempre disposto a ouvir as argumentações de quem tenha fé, que eu vou contestando uma a uma, de modo educadíssimo. Além do que, minha conduta mostra que não crer em Deus, almas, céu, inferno, anjos, demônios e qualquer tipo de realidade ou ocorrências sobrenaturais não significa que se seja uma pessoa sem princípios ou "materialista", no sentido corriqueiro da palavra.

Olá, o senhor lê um livro por vez ou vários de uma vez só? Qual seria o método mais efectivo?

Sempre leio mais de um livro em paralelo. Geralmente uns três ou quatro, o que me dá uma média de leitura de um por semana. Faço isso porque, lendo só um de cada vez, fico saturado do mesmo assunto e começo a me dispersar. Variando o assunto, cada vez que eu retomo a leitura, parece que minha mente fica mais aberta para a assimilação do assunto de novo. Pode ser que isso não funcione para outras pessoas, mas, para mim, que tenho um leque bem aberto de interesses, é muito bom. Ou seja, é mais eficaz. Mas é menos eficiente, pois a cada retomada, em geral, eu tenho que voltar atrás um pouco, para pegar o fio da meada. Mas eu nunca me preocupei com a eficiência e sim com a eficácia. Não ligo para fazer nada depressa e sim para fazer muito bem feito. Como não ligo para os custos, tanto em termos de tempo quanto de esforço e, até, de dinheiro. Sou perfeccionista. Todavia, há quem dê mais valor ao lucro, e este também se liga à redução dos custos. Como não sou capitalista, lucro, para mim, é menos importante, exceto o lucro em termos de aquisição de conhecimentos e habilidades, mesmo que inúteis. O que me importa é o bem do mundo.

Como a química se reduz à física?

Porque todo fenômeno químico é uma consequência das interações elétricas e magnéticas entre os núcleos e os elétrons, bem como destes entre si e com campos elétricos e magnéticos externos, interações essas que estabelecem o comportamento dos átomos e moléculas, considerando a inércia de seus constituintes e o comportamento que é descrito pelas equações da mecânica quântica.

Qual a diferença entre reducionismo ontológico e reducionismo epistemológico?

O reducionismo ontológico considera que cada extrato da realidade seja constituído de elementos dos extratos mais profundos, enquanto o reducionismo epistemológico considera que a explicação sobre o funcionamento de cada extrato da realidade seja baseada no funcionamento dos extratos mais profundos. Em tese poderia haver um sem o outro. Todavia, o que se observa é que ambos ocorrem. O que não acontece, e há quem rejeite o reducionismo por isso, é que tal redução não é, necessariamente, linear, ou seja, a contribuição dos extratos mais profundos da realidade para os extratos mais elevados não precisa se dar como uma "soma" apenas, mas pode envolver termos de ordem superior (quadráticos, cúbicos, até mesmo séries infinitas), bem como termos que sejam produtos cruzados de várias contribuições, inclusive de modo não linear. Todavia não há escapatória de que um extrato mais elevado da realidade só existe e só funciona porque existem e funcionam extratos abaixo dele.

prof, sabes alguma referência de física médica na parte de radiodiagnóstico?

Infelizmente, não. Mas você pode achar isso nos programas analíticos das matérias dos cursos de medicina das boas universidades, que são publicadas na internet. Tais livros são bem grossos e bem caros, podendo custar até mil reais ou mais.

E que materiais recomendaria para quem quer treinar matemática para o ENEM?

Pode usar a coleção do Iezzi, Dolce e outros. Mas use aquela que tem livros separados de cada assunto.

Professor, o que o senhor acha dos livros do Marcos Lezzi? Comecei a estudar há seis meses por eles para o vestibular do ITA. Até agora, fiz os geometria plana, analítica, espacial e combinatória. Dizem que ele ainda não é o suficiente para a prova em questão de nível. Qual o senhor recomendaria?

Para o ENEM e a maioria dos vestibulares eles são bons. Mas não são "puxados". Não conheço livro assim no Brasil. Conhecia uma Revista do Professor de Matemática da Hungria que era puxada mesmo. Mas ela não era minha e o professor húngaro que havia me emprestado (eram em inglês - não sei ler húngaro), me tomou de volta quando a filha dele ia fazer vestibular, pois eu era o coordenador da aplicação do vestibular na UFV (na década de 1980) e ele temia que eu pusesse questões daquelas na prova. Acho que o material do curso Poliedro, que é especializado em aprovar para o ITA deve ter material puxado desse tipo. Complicado pra valer mesmo.

Até quando os descrentes continuarão a negar a magia? Não compreendo essa prepotência de querer visualizar toda matriz do universo, sob a perspectiva do materialismo. O que tens para dizer em vossa defesa, seguidores da ciência?

Não é prepotência nenhuma. Acontece, simplesmente, que a realidade objetiva do mundo é física mesmo. Não existe nada além disso. Não há comprovação nenhuma de qualquer tipo de fenômeno não natural. Mágica não existe. Sobrenatural não existe. Isso é uma constatação. Materialismo é uma concepção ultrapassada, pois o universo não é feito só de matéria mas, também, de radiação e campos. Só que matéria, radiação e campos são entidades físicas. Não existem espíritos. Não há suporte nenhum para essa hipótese. Nem espíritos, nem almas, nem deuses, nem gênios, nem tipo nenhum de elemental. Não se tem que provar nada a respeito. O que se teria é provar que algo não natural existisse. Claro que existem abstrações, ou seja, idéias, concebidas por mentes. Mas elas não existem objetivamente fora das mentes, como seria o caso de espíritos, se existissem. Além do mais, idéias não são entidades substantivas, ou seja, compostas de algo. São ocorrências. Fé é algo inteiramente descabido, pois se trata de crenças infundadas. Crenças se pode admitir, se tiverem indícios de plausibilidade, mas não lograrem constituir evidências e nem haver comprovações. Todavia fé é crença implausível, sem sequer indícios de veracidade, como a existência de deuses, almas e espíritos. Assim, só resta o fisicalismo como concepção a respeito da constituição da realidade objetiva do mundo.

Qual sua opinião sobre Nestor Makhno?

Acho admirável que ele tenha se oposto tanto aos brancos quanto aos vermelhos com seu exército negro, tentando instaurar a anarquia comunista na Ucrânia. Inclusive a história mostra como os bolcheviques e os mencheviques, em verdade, nada tinham de idealistas mas só pensavam no poder. Mas isso também era o objetivo de Makhnó. Para mim a anarquia não pode ser instaurada por nenhuma revolução e nem se manter por meio de nenhuma força ou poder. Tem que ser consensual, por parte de toda a população. A revolução russa, desde Kerensky até a vitória final de Lênin foi uma sucessão de golpes e contragolpes, de traições, de assassinatos. Uma coisa horrível. Tão horrível quanto o czarismo. Como aconteceu com o Terror da Revolução Francesa e depois, Napoleão. A derrubada do "Ancien Régime" que, de fato, era péssimo, não se revelou algo melhor, pelo menos no começo.

Oi, professor. Como vai? Se possível, poderia recomendar bons livros de matemática básica?

Se você quer um livro para aprender matemática mesmo e não treinar para fazer exames tipo ENEM e vestibulares eu recomendo o livro do Courant e Robbins "O que é Matemática?" (Ciência Moderna). Para treinar Matemática a fim de começar um curso superior de ciências exatas, pode se valer dos livros chamados de "Pré-Cálculo", como os de Damana, Waits, Foley & Kennedy (Pearson) ou André, Luiza, Maria Augusta & Valéria (Trilha). Matemática do Ensino Médio eu prefiro os livros do Thales Mello de Carvalho e do Manoel Jairo Bezerra. Ou o SMSG (Edart).

Podemos julgar o que é arte?

Claro que sim. Tranquilamente. Considere um ser dotado de sensibilidade, inteligência, vontade, habilidade, órgãos executores e consciência. Esse ser é capaz de produzir objetos, movimentos, sons, luzes, como os humanos. Esses produtos podem ser usados por ele e por outros para fins práticos de controlar a natureza, outros seres ou grupos de outros seres. A atividade correspondente a tal tipo de ação denomina-se "técnica". Todavia tais seres também podem produzir obras cuja finalidade seja propiciar o prazer ao serem percebidas pelos diferentes sentidos. Mesmo que, em paralelo, também possuam uma utilidade prática. Ou não. A atividade correspondente a tal tipo de produção, quando realiza seu propósito e, de fato, provoca prazer na percepção, é o que se chama de "arte". Muitas vezes esse prazer pode não ser sensorial, mas intelectual, isto é, não produzido diretamente pela sensação que captura a comunicação do produto a quem o sente, mas indiretamente, pela percepção do intelecto sobre a mensagem comunicada. Assim a arte se liga a dois aspectos, sem os quais não se realiza. A intensão de assim o ser e a realização do que intenta ser. A qualidade de uma arte, então, se liga ao poder que ela apresenta de provocar esse prazer em sua percepção, dito, então, estético. O prazer estético pode ser provocado por algo que não seja uma obra de arte, por exemplo, uma paisagem natural. Nesse caso, contudo, a paisagem não é uma obra de arte, pois não foi produzida por um ser dotado de sensibilidade, inteligência, vontade, habilidade, órgãos executores e consciência, com o propósito de provocar prazer estético. A arte pode, também, comunicar mensagens meta-estéticas, como éticas, religiosas, políticas, sexuais, românticas ou outras. Mas tais adendos não interferem no valor estético da obra de arte, que pode haver mesmo que a mensagem metaestética encaminhada seja condenável. Porque a ética perpassa todo fazer humano, nada sendo desprovido de valoração ética, inclusive obras de arte. Só que uma obra pode ser eticamente má e esteticamente boa. Ou vice versa.

Ernesto, na coleção do curso de física de berkeley há coisas gravemente desatualizadas?

Não. O que acontece é que, de lá para cá, já se descobriram novas coisas que ele não aborda. Mas tudo o que foi descoberto não é abordado mesmo no nível da física básica dos cursos superiores. Só quem for fazer cosmologia, astrofísica, teoria de campos, matéria condensada e tópicos bem avançados é que vai estudar. Tudo o que está lá, permanece válido.

Gosta das pinturas de Sir Lawrence Alma-Tadema?

Muito. Bem como dos demais acadêmicos, como Bouguereau, Waterhouse, Leighton, Enjolras, Chaplin (não o ator), Perrault, Cabanel, Gérôme, Sargent. Godward, Cortot e vários outros. Tenho um levantamento de sites desses e outros pintores com suas obras completas que vou procurar e publicar aqui.

Ernesto, HQs podem ser considerados arte e cultura? É uma expressão muito inferior à literatura? pq?

Claro que sim. Como qualquer arte, há da boa e há da ruim. Mas não é inferior nem superior à literatura em si mesma. Pode ser de alto nível artístico, do mesmo modo que há literatura de baixíssimo nível. Tanto as histórias em quadrinhos quanto os desenhos animados. Filmes, como "Branca de Neve e os Sete Anões", "Pinochio" e "Bambi" são primorosas obras de arte. O mesmo já não digo do "Bob Esponja". Quadrinhos da Mafalda, do Snoopy, do Hans e Fritz, são obras de arte. Do mesmo modo que os do "Spirit" e vários outros.

O que acha da opinião do Olavo de Carvalho sobre a Física https://youtu.be/ujJJ9bNJMBE ? E a refutação do postador do video tá correta em tudo?

Só posso dizer que, quanto a Física, Olavo de Carvalho é, mesmo, uma besta quadrada. Quanto ignorância!!! O que o comentador diz está corretíssimo. Mesmo que, cinematicamente, seja possível descrever o movimento dos astros supondo a Terra imóvel (mas de uma forma complicadíssima), dinamicamente isso não tem o menor cabimento em razão da imensa massa do Sol em comparação com a da Terra. E essas massas são medidas experimentalmente.

Coletiva: Por qual motivo deveria um homem comum, acreditar na terra plana? Se há discordância em relação as agências espaciais, por que não criar uma agência independente? Se sim ou se não, a questão é.... Daria certo?

Uma pessoa só vai acreditar que a Terra seja plana se for muito ignorante mesmo. Só a existência de fusos horários já é uma prova cabal de que ela é redonda, independentemente de qualquer confirmação através de naves espaciais. Criar uma agência espacial independente em razão disso é o cúmulo. Nenhuma nação embarcaria nisso.

Ernesto, qual a importância da arte, de uma forma geral, para o ser humano? Ela pode ser dispensável ou é absolutamente necessário que exista?

Nem é absolutamente necessária nem é dispensável. A arte é algo que preenche a vida de prazer e, portanto, é desejável, pois, uma vez que se alcance o que seja necessário para a sobrevivência, o resto do tempo e da energia disponível se dedica a fruir o prazer de viver e isso é algo que a arte é capaz de propiciar. Sem ela não se morre, mas sem ela não se vive com prazer e plenitude.

Ernesto, no cursinho eu tive profs muito bons. Ainda, eles sabiam todas as aulas de cabeça. Sem precisar de "cola". Contudo, na universidade os professores são aulas brilhantes, mas sempre com suas "colas". Pq isso ? O senhor era assim tbm ? Usava "colas" ?

Eu não usava "colas", mas usar não é desdouro nenhum. As aulas dos "cursinhos" e do Ensino Médio são elementares e, normalmente, o professor é capaz de memorizar tudo. Já no Ensino Superior, não apenas os conteúdos são bem mais complexos (especialmente no ciclo profissionalizante), como também, bem mais extensos e detalhados. Assim, mesmo que o professor conheça bem o assunto, ele pode não saber de cor, tudinho, tintim por tintim. A "cola" é, pois, um lembrete do que precisa ser visto, do esquema em que a apresentação deve ser conduzida e dos detalhes de algum ponto mais complexo.

Achas que esquecer é a derradeira vingança?

Não. Esquecer não é vingança. Vingança é uma ação positivamente engendrada para causar mal a quem se quer vingar. Esquecer não é uma ação, é uma inação, a de não se lembrar, pois se lembrar é que é uma ação. Quando se age para esquecer, não se esquece, pois o cérebro está se ocupando do que se pretende esquecer. Para esquecer tem-se que não fazer nada e deixar o tempo passar, de modo que o esquecimento surja naturalmente. Esforçar-se para esquecer só faz lembrar mais ainda. Mas o esquecimento, quando se dá, não é uma vingança, pois não é uma ação positiva. Por outro lado, vingança é o tipo de ação completamente idiota é digna de pessoas possuidoras do pior tipo de caráter.

Se o mundo inteiro falasse apenas uma língua, isso seria algo bom ou ruim? Lembrando que as línguas estão desaparecendo aceleradamente hoje em dia graças a globalização e ao neocolonialismo, onde línguas que tem a economia mais forte dominam as outras. Será q vale a pena perder uma parte da cultura?

Acho que a diversidade de línguas é uma riqueza cultural da humanidade que deve ser preservada. Por outro lado, acho que todos serem capazes de se comunicar em uma língua mundial é algo muito bom. Então acho que todos devem ser, pelo menos, bilingues, falando a sua original e a outra, internacional. Todavia vejo que o esperanto, por exemplo, não pegou por sua artificialidade. Penso que deva ser algo espontâneo. Já foi o grego, depois o latim, depois o francês, agora o inglês. Pode vir a ser o mandarim e, quem sabe um dia, o português. Acho globalização algo excelente, mas não acho que a globalização tenha que ser feita em detrimento das culturas locais. Tudo pode ser preservado e, ao mesmo tempo, promovida uma forma de integração mundial.

Ernesto, você acha que o ser humano é predisposto a acreditar no que é "mágico"? Não acha bizarro pessoas acreditarem em superstições, coisa tão sem sentido do tipo achar que um determinado número dá sorte ou azar, em cores da sorte, e entre outros pensamentos sem nexo algum?

Existe um livro do Michael Shermer (traduzido para o português): Por Que as pessoas Acreditam em Coisas Estranhas(2011) que, justamente, analisa esse fato. Tem, também uma entrevista dele no TED:
http://hypescience.com/por-que-as-pessoas-acreditam-em-coisas-estranhas
6

Qual é a explicação do campo que atua no espaço fazendo com que se expanda, exercer uma pressão negativa? Por qual razão negativa?

É uma questão de convenção. Uma pressão é dita positiva se ela provoca a compressão de um volume e negativa se provoca a expansão do volume. Imagine isso em relação ao volume de ar dentro de uma seringa. No caso cosmológico, a pressão que provoca a expansão do espaço também é considerada negativa. Uma justificativa é que, em termodinâmica, quando um gás se expande adiabaticamente, sua energia interna diminui e quando é comprimido, sua energia interna aumenta. O Universo como um todo é um sistema adiabático. A expansão é feita com a redução da energia térmica, compensada pelo aumento da energia gravitacional.

Por que, afinal, no movimento circular, o vetor velocidade angular é paralelo ao eixo de rotação?

Porque essa é a única maneira de se conseguir representar o resultado sequencial de rotações consecutivas como uma soma de vetores. Bem como a única direção que se pode especificar ao se descrever uma rotação é a do eixo em torno do qual ela se dê. Daí a rotação ser representada por um vetor na direção do eixo de rotação de módulo igual ao ângulo de giro. O sentido é escolhido arbitrariamente como o dado pela "regra da mão direita", ou seja, se o giro acontecer no sentido dos outros dedos da mão direita fechada, o sentido é o apontado pelo polegar. Note que, apesar das rotações serem vetores, elas não obedecem a propriedade comutativa da soma de vetores, daí serem chamadas de "vetores axiais". A velocidade angular fica definida como a razão do vetor rotação pelo tempo em que ela ocorreu.

Ernesto, como seria a saúde e a segurança em um sistema anarquista? Você não acha que ambas devem ser públicas e não privadas e ou administradas pelo povo? Como seriam administrados isso? E mais uma pergunta, você não acha que o anarquismo pode atrapalhar o desenvolvimento científico?

Acontece que a anarquia somente se estabelecerá no mundo, DEPOIS que ele estiver tão superiormente civilizado que ninguém vai querer fazer nada criminoso e desonesto. Note que a anarquia é um estado da mais perfeita ordem, porque uma ordem inteiramente acatada espontaneamente, sem nenhuma coerção. Então, na anarquia não há a questão da segurança. A abolição do estado, do governo, do dinheiro, da propriedade não se darão por decretos e nem por revolução nenhuma. Acontecerão naturalmente por total falta de necessidade de que existam. Depois que se passarem décadas ou séculos em que, em nenhum lugar do mundo, ocorra nenhum crime, as polícias deixarão de existir, bem como os advogados e os juízes. Em suma, anarquia é o resultado de uma evolução civilizatória da humanidade. O mesmo vai acontecer com as fronteiras, os governos, as religiões e assim por diante. Isso tudo como fruto do aprimoramento da educação que incentivará a prática de todas as virtudes, como a honestidade, a justiça, a bondade, a tolerância, a fraternidade, a solidariedade, a colaboração, o altruísmo, a cortesia, a generosidade, bem como a coragem, a bravura e todas as demais.

Qual sua opinião a respeito do trabalho do físico e matemático Roger Penrose? Poderia recomendar alguma leitura?

Em Relatividade Geral e Cosmologia ele é um dos grandes cientistas da atualidade. Mas suas propostas a respeito da mente não convencem. Recomendo seus livros:
The Road to Reality: A Complete Guide to the Laws of the Universe
Cycles of Time: An Extraordinary New View of the Universe
The Nature of Space and Time
Não recomendo:
Shadows of the Mind: A Search for the Missing Science of Consciousness
Fashion, Faith, and Fantasy in the New Physics of the Universe
The Large, the Small and the Human Mind
2

Podemos classificar nosso planeta como especial?

Certamente que sim, e muito. Leia o livro "Sós no Universo?", de Ward e Brownlee.

Bom seria se, todos os brasileiros dessem preferência aos produtos fabricados no Brasil. Seria bom se, o governo acabasse com os monopólios estrangeiros, os quais não deixam que empresas nacionais consigam concorrer com as internacionais. Veja que se quer temos marcas de veiculo nacionais.

O fato de não se ter marcas nacionais de veículos não é só no Brasil. A maioria dos países não tem, como o México, a Argentina e mesmo, a Espanha. Em verdade, poucos são os que detêm marcas, como os Estados Unidos, a Inglaterra, a França, a Alemanha, a Itália, o Japão, a Coréia do Sul e poucos outros. A maioria que também fabrica, o faz de marcas desses países. Não acho que o governo deva interferir. O que acho é que os empresários brasileiros devam lançar seus produtos. Mas nós temos vários, em muitos setores. Alguns, como os computadores e celulares, no mundo todo, são de poucas marcas de poucos países. Máquinas fotográficas, até os Estados Unidos não produzem das boas. Lá, inclusive, é um país que importa muita coisa de muitos lugares. Acho que isso é que é bom. No tempo da reserva de mercado de informática, o Brasil só produzia equipamentos medíocres e nós ficamos para trás na informatização. Sou completamente a favor da globalização, a mais completa possível. Da abolição de todas as fronteiras.

muito obrigado, Ernesto. Uma pergunta: Estava parado uma hora e meia nessa questão, você que fazer várias medianas é melhor do que perder todo esse tempo numa difícil?

A princípio sim. Porque resolvendo muitas questões medianas se pega traquejo para resolver as difíceis. Mas, depois, é preciso enfrentar as difíceis também.

Uma repórter da Cultura perguntou "em off" para o Pondé e o Karnal sobre o que eles acham desta declaração do Olavo: "as universidades brasileiras nunca formaram filósofos". O Pondé entendeu perfeitamente a crítica; no entanto, ouça a asneira que o "doutor" Leandro Karnal disse: http://goo.gl/QkTVxr

O que o Karnal disse é verdade mas é algo completamente lamentável. Os cursos de Filosofia, Letras e Artes Plásticas e Música deveriam formar filósofos, escritores, artistas e compositores sim. Se não o fazem, falham. Claro que a qualidade do que forem produzir vai depender do talento de cada um, mas os curso têm que disponibilizar o ferramental para que eles sejam capazes de produzir e não apenas de entender e ensinar. Acho um absurdo que seja como o Karnal disse e parece que ele considera que isso é que seja correto, no que discordo completamente. Os cursos de bacharelado em Física, Química, Biologia, Economia, Sociologia intentam formar físicos, químicos, biólogos, economistas e sociólogos. Claro que eles só serão isso depois de cursarem o mestrado e o doutorado, mas os bacharelados são, justamente, os cursos preparatórios para isso. Um bacharel não é profissional de nada. Por isso é que considero que as licenciaturas deveriam ser uma pós-graduação dos bacharelados.

Professor, pode me dar um norte? : Um carro parte do repouso e acelera com aceleração r durante um certo tempo e depois começa a desacelerar com uma desaceleração s até o carro parar. O tempo total foi p segundos, determine a distância percorrida pelo carro neste percurso.

Seja t o instante em que o carro passa de acelerado para desacelerado e v a velocidade então.
Nesse caso, v = rt
O tempo de desaceleração será igual a (p - t)
A mesma velocidade v será dada, então, por v = s (p - t).
Igualando as duas equações anteriores, se tira que t = sp/(r + s)
Levando esse tempo na primeira, obtém-se v = rsp/(r + s)
A distância percorrida, sendo a área sob o gráfico v x t, de t = 0 a t = p, que é um triângulo de base p e altura v, será, pois:
d = pv/2 = rsp²/2(r + s)

Comente: "Engenheiros querem que as suas equações sejam uma aproximação da realidade; Físicos querem que a realidade seja uma aproximação de suas equações; Matemáticos não se importam."

Não é verdade. Físicos querem que suas equações sejam aproximação da realidade e não o contrário. Matemáticos, realmente, não se importam se suas equações sejam ou não correspondentes à realidade. A engenharia, por sua vez, nada mais é do que Física Aplicada.

Porque e como existem spins?

Spin é o momento angular intrínseco de um sistema. Momento angular é a medida da quantidade de movimento rotacional, que pode ser extrínseco ou intrínseco. Extrínseco é o momento angular correspondente a um movimento de rotação em relação a algo fora do sistema em questão. Intrínseco é o momento angular correspondente ao movimento de rotação do sistema em torno de si mesmo. Em mecânica clássica o momento angular é calculado pela soma dos momentos angulares de cada parte do sistema, que é dado pelo produto do momento linear dessa parte, em relação ao centro de giro, pela distância, perpendicular à velocidade, até esse centro de giro. No caso quântico, tal momento angular não é calculado assim, mas tem o mesmo significado. E o spin é o momento angular intrínseco. Por exemplo, no caso de um elétron, é o quanto de movimento giratório ele tem em relação a si mesmo. O que acontece é que, no mundo microscópico, tanto o momento angular extrínseco quanto o intrínseco são quantizados, do mesmo modo que a energia, ou seja, não são admissíveis quaisquer valores, mas apenas os que sejam múltiplos inteiros de certas quantidades elementares. Isso é um comportamento intrínseco da natureza que não se sabe porque acontece, mas que a mecânica quântica contempla em seu ferramental matemático que modela o comportamento dos sistemas microscópicos.

Você fala com confiança?

Sim. Tudo o que eu digo advém do que li, estudei e me convenci da veracidade. Claro que posso estar errado, mas, até que me seja provado isso, digo o que considero que seja a verdade, com confiança. Se for convencido de estar errado, mudo meu pensamento para passar a ter o que passei a ver que seja o correto, novamente, com confiança. Assim, sempre acredito em mim mesmo.

https://darwinismo.wordpress.com/2013/09/19/ciencia-confirma-o-ateismo-e-anti-natural/

Sim. Como já disse, a cultura e a civilização surgiram, justamente, para contrariar a natureza. Nem sempre o que seja natural é que é melhor. No caso das crenças religiosas, elas não são boas, porque são ilusórias. Então o ateísmo é melhor, mesmo que, naturalmente, os seres humanos tenham propensão a crer em realidades sobrenaturais imaginárias.

Quanto maior a nação (em população), maiores as chances de ser dominante no cenário global, não?

Sim. E, justamente, isso é que é ruim. O bom é que o mundo todo seja equilibrado em termos de poder e economia, sem nenhuma nação superior a outras. Por isso é que considero bom a fragmentação do mundo em muitas nações pequenas.

Acha justo a "Grã Betanha" competir e não os países isoladamente? Porque tem países tem pequenos quanto competindo individualmente.

Grã-Bretanha não é um país. É uma ilha. Reino Unido é o estado e a nação constituída dos países Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Resta definir, nas Olimpíadas, quem são as categorias que competem, se países ou se nações. Se forem países, Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales teriam que ter delegações separadas. Se nações, o Reino Unido, equivocadamente chamado de Grã-Bretanha. Sou de opinião de que deveriam ser países e não nações. Todavia, os Estados Unidos são tanto um país quanto uma nação (como o Brasil), descomunal. O ideal seria que cada estado, tanto dos Estados Unidos quanto do Brasil, fossem uma nação independente (ou outras subdivisões). Como também deveria acontecer com a Rússia, a Índia e a China. Não gosto de nações muito grandes (não em extensão, mas em população).

http://super.abril.com.br/historia/programado-para-crer O artigo "Programado para crer" da Revista Superinteressante contradiz a sua afirmação de que a fé é incutida na pessoa por seus cuidadores e afirma que "O cérebro nasce programado para acreditar em algum tipo de deus".Teve acesso 'a pesquisa?

São aspectos diferentes. A propensão natural à crença não estabelece a crença em quê. Isso é incutido pelos cuidadores, geralmente em consonância com a dominante na sociedade em que se nasce. Se não se incutir nenhuma, não se terá fé em nada, mesmo que se tenha a propensão a tê-la. Por outro lado, a cultura e a civilização, com a sua racionalidade, existem, justamente, para contrariar as propensões instintivas e pautar a conduta humana em termos de valores éticos e metafísicos. Isso, inclusive, é, justamente, a proposta dos grandes líderes religiosos, como Vyasa, Moisés, Zarathustra, Buda, Lao Tsé, Jesus, Maomé, Alan Kardec e outros. Como também é a proposta dos grandes filósofos, com Confúcio, Sócrates, Epicuro, Sêneca, Spinoza e, mesmo, Nietzsche, cada qual à sua moda.

20/03/2009 12:42 A fé que faz bem à saúde Novos estudos mostram que o cérebro é “programado” para acreditar em Deus – e que isso nos ajuda a viver mais e melhor Letícia Sorg. Colaborou Marcela Buscato

Pode ser que ajude, mas, como é uma enganação, não posso admitir. Acho que as pessoas podem ter uma religiosidade ateísta, dedicando sua vida ao bem do mundo e, com isso, preencherem os requisitos que a fé preencheria na mente. Só o fato de achar que seja possível melhorar o mundo e, com isso, dedicar-se a tal, já funciona como uma fé religiosa. Buscar a virtude de modo humanista é o mesmo que buscar a santidade de modo religioso. Para mim é, até, mais válido, pois muitos buscam a santidade para não ir para o inferno e sim, ir para o céu. A virtude, humanisticamente buscada, não visa recompensa nenhuma. Vou além do aspecto humanista. É preciso buscar a virtude naturalisticamente falando, pois o ser humano é parte inseparável da natureza, cujo bem não pode ser sacrificado em prol da humanidade.

matematicamente, o que é um "Campo"?

Um conjunto de grandezas atribuídas a alguma propriedade de qualquer entidade campo físico que possam ser colocadas em função do lugar e do momento em que sejam medidas. Podem ser intensivas ou extensivas. As intensivas são funções do ponto do espaço-tempo (lugar e momento) e as extensivas são valores ao longo de alguma área, volume ou dado intervalo de tempo, e não instante. Também podem ser escalares, vetoriais ou tensoriais (que dependam não apenas de uma direção mas de mais de uma).

Sorrir para desconhecidos. Quais outras atitudes contribuem para o aumento da felicidade no mundo ?

A generosidade, a prestatividade, a solidariedade, o compartilhamento, o altruísmo, o perdão e esse tipo de atitude. Mesmo que redunde em prejuízo pessoal, em aborrecimentos. Porém, no global, se estará construindo um mundo melhor e é preferível viver num mundo melhor do que num pior. Isso pode dar significado à vida e satisfação em vivê-la. Mas se se fizer o bem pensando na retribuição, isso não surte efeito. Tem que ser completamente de modo desprendido e sem visar nada em troca.

essa afirmação está correta? Os anarquistas queriam o fim do Estado e da Igreja, pregando sua substituição por ações de um cooperativismo associacionista Os anarquistas também querem o fim da igreja?

Não especificamente da "Igreja", mas de qualquer instituição religiosa, mesmo que se admita a liberdade de crença. Porque essas instituições funcionam como uma espécie de "estado" ou "governo", controlando e manipulando as pessoas. As pessoas precisam ser livres e não tuteladas por nada. Historicamente, como os movimentos anarquistas surgiram dentro de países cristãos e não muçulmanos, hinduístas ou budistas, a maior oposição deles era contra as igrejas cristãs, tanto a católica quanto a ortodoxa e as protestantes. O anarquismo é completamente correlacionado com o "livre pensamento", o que exclui, também, o marxismo, que acaba até parecendo com uma espécie de "religião", em que Karl Marx faz o papel do Cristo, de Krishna, de Buda, de Maomé ou de Allan Kardec. Outro aspecto completamente correlacionado com o verdadeiro anarquismo é o comunismo. Que não pode ser confundido com o que se chamou de "comunismo" ocorrido na União Soviética que, de comunismo, não tinha nada, pois os meios de produção e de serviços, bem como o resultado dessa produção e desses serviços eram do estado e não do povo. E o estado era controlado pelo famigerado e impropriamente denominado "Partido Comunista".

Onde baixo seu livro com as respostas do ask?

Tanto as do Ask quanto as do Formspring estão em meu blog:
www.wolfedler.blogspot.com
Mas elas não estão todas transferidas para lá. Ainda faltam uns seis meses de postagens.

Sobre educação, qual pensa ser o modelo ideal? A educação formal presencial é um modelo a ser mantido e reformado ou revogado? A educação padronizada/massificada é totalmente eficaz, só parcialmente eficaz ou não é de forma alguma? A discrepância de habilidades e inclinações das pessoas é relevante?

O modelo ideal de educação é o que se pratica na "Escola da Ponte" em Portugal. Uma educação anarquista. Uma beleza! Inteire-se disso.

Qdo diz que a ONU deveria intervir em cada país onde tivesse ditador,seria através de que meios?Embargos econômicos ou guerras?E como "bancar" as guerras que estas ações acarretariam?Poderiam, também se transformar em novas Cubas,se fosse através de embargos econômicos. A "coisa" não é simples assim

A ONU deveria apoiar grupos de resistência dentro dos países ditatoriais para derrubar as ditaduras. Possivelmente, mandar grupos de elite para prender o ditador que seria julgado em um tribunal internacional. Claro que a "coisa" não é simples, mas admitir ditaduras não é ético de modo nenhum. Mesmo que por razões econômicas. É inadmissível que a economia prevaleça sobre a ética. Karl Marx diz que é o que acontece e ele considera que seria válida uma ditadura para tomar o poder dos aristocratas e dos burgueses para o colocar na mão do povo. Só que quem ficou com o poder não foi o povo e sim os líderes do (erroneamente) denominado "Partido Comunista". Marx está errado! O que é preciso é mudar a cosmovisão da humanidade para que a economia deixe de ser determinante e outros valores se alevantem, como a solidariedade, o compartilhamento, a generosidade, a colaboração. É preciso criar um "Übermensh", mas não como Nietzsche concebia, com vontade de poder e sim com ojeriza de poder.

Professor, o ensino básico público antigamente era melhor? Justifique.

Em alguns aspectos, sim, em outros, não. O melhor é que era mais exigente e menos condescendente com a preguiça, exigindo mais esforço do estudante. O pior é que não dispunha dos recursos que atualmente se tem e nem do nível e abrangência dos conhecimentos hoje disponíveis. Por exemplo, exigir que os estudantes desenhassem e colorissem mapas a mão, assinalando as fronteiras e o nome e localização das capitais, dos rios, das cordilheiras e outros acidentes geográficos propiciava um aprendizado muito mais significativos do que baixar os mapas na internet e imprimi-los na impressora do computador. Facilitar muito o estudo, em verdade, é prejudicial ao aprendizado. O que se conquista com esforço fica muito mais bem alicerçado.

Você acredita nesse negocio de "Ateu é mais inteligente que um cristão''?Porque?

Há dois tipos de ateus: os que o são porque se debruçaram sobre o tema e o analisaram, concluindo pela inexistência de Deus e os que não creiam nela por mera conveniência, para que não tenham peso na consciência ao praticar maldades. Os primeiros, em verdade, são mais inteligentes do que a média, pois estudar todas as implicações filosóficas, científicas, históricas, neurológicas e tudo o mais para concluir que Deus não exista, requer um nível de conhecimentos difícil de ser dominado sem uma inteligência acima da média. Todavia isso não significa que alguém que tenha feito o mesmo não possa concluir pela existência de Deus. Ou seja, acreditar em Deus não é atestado nem de ignorância nem de burrice. Apenas, como penso, de uma conclusão equivocada ou da falta, mesmo, de se debruçar sobre o tema com abrangência, profundidade e argúcia. Ou, em alguns casos, como o de Pascal, de medo.

olá Ernesto, pode o Amor não existir? ele pode ser comparado com a fé por exemplo, que por sua vez é apenas uma ilusão do ser humano?

Para começar a fé não é uma ilusão. O que pode ser uma ilusão é o objeto da fé. Uma pessoa que tenha fé, verdadeiramente a tem. Só que aquilo em que ela possua fé pode não ser verdade. Da mesma forma o amor. Quem ama, de fato ama. Todavia o objeto de seu amor pode não ser o que ela pensa que seja. Fé e amor, portanto, existem de fato. Sobre amor, leia o que já escrevi em meus blogs:
http://www.ruckert.pro.br/blog/?cat=24
http://wolfedler.blogspot.com.br/search/label/Relacionamento

Qual a melhor forma de se estudar pelo livro Física Conceitual? Devo me focar em apenas um assunto por dia? Basta realizar os exercícios propostos no próprio livro ou devo procurar outros?

Esse livro é excelente. Mas seu uso depende do que se pretende. Se se pretende saber Física mesmo, e não saber resolver questões de exames como o ENEM e os vestibulares, ele pode ser estudado sozinho, de forma sequencial, começando na primeira e prosseguindo por todas as páginas até o fim, sem pular os exercícios e problemas. O quanto se vai estudar por dia depende do tempo disponível e da capacidade de assimilação. Não se deve estudar mais de uma hora sem um intervalo pequeno e nem mais de três horas sem um intervalo maior. E, inclusive, para cada hora estudada, é preciso se dispender de um terço a meia hora de reforço, em outro momento do dia, mas antes que se durma, para, justamente, rever o assunto, responder as questões e fazer os exercícios e problemas pertinentes. Todavia, se se pretende se preparar para o ENEM ou para os vestibulares é preciso seguir um livro voltado para isso, que enfoca os temas exigidos (que, nem sempre, são relevantes para o entendimento da Física, mas são de modo a possibilitar a feitura de muitas questões - geralmente são assuntos de Engenharia e não de Física).

Toda ditadura é nociva. Mas seria possível existir uma ditadura que fosse benéfica ou só a coerção pela força já basta para classificar qualquer uma como maléfica?

Toda ditadura, por ser ditadura, é maléfica, mesmo que o ditador seja bom e interessado no bem do povo. Mas, por ser ditador, ele (ou ela) está mandando sem ter uma delegação do povo para tal. Isso é inadmissível. Por ditadura também se entende as monarquias absolutistas, os regimes militares e os totalitários de partido único. São autocracias. Não há regime político legítimo a não ser a democracia ou a acracia. A ONU deveria intervir em todas as nações em que o governo seja totalitário para derrubá-lo e promover eleições para instaurar um governo democrático. Pode até manter as monarquias, desde que sejam parlamentares. Isso não é ferir a autodeterminação dos povos, pois não é o povo que escolheu aquele governo. O governante totalitário até pode ser um dos candidatos e, se for eleito, governará, como aconteceu com Getúlio Vargas no Brasil. Mas governará em um sistema constitucional e com divisão de poderes, independentes, bem como com mandato limitado. Se der algum golpe, a ONU tem que destituí-lo de novo sem permitir que volta a participar do pleito. Assim é que tem que ser para o mundo ser um lugar decente. Fora outras medidas. Todavia, nenhuma pode deixar de ser tomada porque outra não o seja.

Por quê disse que nasceu ateu e depois mudou, por causa de seus pais? Desde criança não acreditava em Deus? Explique melhor isto, por favor.

Toda pessoa nasce ateia. Ela só passa a crer em Deus depois que seus cuidadores incutem essa noção nas concepções dela. Se isso não for feito e ela, também, for criada em uma sociedade em que a noção de Deus não exista, ela nunca vai crer em Deus. A crença em Deus é inculcada, tanto que, crianças nascidas em diferentes lugares e épocas crerão em diferentes concepções de Deus. Uma criança egípcia, nascida há quatro mil anos, vai crer em Ísis, Hórus e todos os deuses da mitologia egípcia. Uma criança indiana vai crer em Brahma, Shiva, Vishnu, Krishna, Gamesh e assim por diante. Uma criança árabe não vai crescer achando que Jesus seja deus e o redentor da humanidade. As crenças religiosas não são naturais. São inculcadas pela sociedade através dos cuidadores (quando eles acatam as crenças que a sociedade, majoritariamente, assume).

Então, quando se diz que um campo possui infinitos graus de liberdade, quer dizer que pode-se ter infinitas distribuições de valores das grandezas (valores das densidades das grandezas) como spin, helicidade entre outras?

Sim. Tanto das intensidades quanto das extensões. Isso é, os valores das grandezas que descrevem tal campo, tanto intensivas quanto extensivas não só podem assumir uma infinidade de possibilidades como essa infinidade não é limitada por nenhum valor.

Os desportistas estrangeiros reclamam da postura dos brasileiros na olimpíada, ratificando que as vaias, etc, prejudicam seus desempenhos. Para ti, quem consume o ingresso para os jogos é dotado de direito de ter tal postura ? O que é ético, a liberdade de se manisfestar, ou silêncio solicitado?

Acho que tem que fazer parte do treinamento esportivo ser capaz de ter um bom desempenho mesmo com vaias ou palmas. Para mim a torcida tem a liberdade de se manifestar. Todavia não acho legal vaiar. Pessoas bem educadas não o fazem, jamais. E todo mundo deveria ser muito bem educado, gentil e cortês. Damas e cavalheiros. Não importa o que sejam na vida.

Segundo Pierluigi Piazzi: "A leitura é um dos raríssimos casos em que a quantidade é mais importante que a qualidade." Concorda com isso?

Sim. É importante ler muito. Digamos, duas horas por dia. Mais nos fins de semana e feriados. Pode ser qualquer tipo de leitura. Com o tempo a pessoa vai tomando gosto e passando para textos mais elaborados e de mais difícil entendimento. É só deixar de ver televisão ou jogar muito jogos eletrônicos que se acha tempo. E não dormir tanto também. O bom é andar sempre com um livro na mão para ler em qualquer oportunidade que se tenha um tempo para esperar algo.

Em sua opinião: Como a escola poderia contribuir para o aumento da inteligência dos jovens?

Apresentando desafios aos estudantes. Não dando tudo mastigado. Colocando-os para investigar, descobrir, concluir. Não facilitando. Colocando-os para redigir textos de todas as matérias, como se estivessem escrevendo um capítulo de um livro, para que outros, lendo, aprendessem. Treinando argumentação. Colocando-os para dar aula para os colegas. Nada dessa forma passiva do professor ficar expondo e os alunos assistindo aula. Passar tarefa em toda aula com uma gradação de dificuldade. Questões meramente de avaliação de conhecimento, exercícios, demostrações, deduções, aplicações na solução de problemas que emulem situações reais, nos quais eles tenham que levantar os dados pertinentes, em bibliotecas, em entrevistas, na internet e assim por diante. E que as tarefas sejam feitas no mesmo dia da aula, antes que se durma. Calculadas para que dispendem de um terço a um meio de hora para cada aula dada.

O uso da maconha é um tema muito controverso, inclusive entre pesquisadores. O uso dessa drogas na universidade é algo muito recorrente, você já percebeu um desempenho ruim ou uma dificuldade no aprendizado por parte de alunos usuários?

Nunca soube que aluno ou aluna dos que eu tinha usava ou não maconha.

Professor, perdoe a minha ignorância mas... Qual a diferença entre um quark, e um férmion?

Férmions são as partículas, elementares ou não, cujo spin, ou seja, o momento angular intrínseco, valha um número semi-inteiro (0,5; 1,5; 2,5...) de constantes de Planck divididas por dois pís. Com isso elas observam a distribuição estatística de Fermi-Dirac, que impede que duas idênticas delas, em um mesmo sistema, ocupem o mesmo estado. Isso também implica que elas obedeça a uma conservação de seu número. Os férmions são as partículas constitutivas da matéria, como os prótons, nêutrons e elétrons. Já Bósons são as partículas, elementares ou não, que possuem o spin de valor igual a um número inteiro (0. 1; 2; ...) de constantes de Planck divididas por dois pís. Os bósons observam a distribuição estatística de Bose-Einstein. Com isso, idênticos bósons, em um mesmo sistema, podem ocupar o mesmo estado quântico, bem como serem produzidos e destruídos em qualquer número, não apresentando conservação de número. Os bósons são as partículas mediadoras das interações, como o fóton, o glúon e os mésons. Os quarks são uma categoria de férmions elementares, que formam os prótons e os nêutrons, bem como os mésons, que são bósons por possuírem dois quarks, enquanto os prótons e nêutrons possuem três. Os elétron, bem como os müons e táons, que também são férmions, não são feitos de quarks, eles são elementares, chamados de léptons.

Como faz para ser tão produtivo? Usa algum macete (listas, define metas) ou segue uma filosofia para não procrastinar?

Não uso macete nenhum. Nem sou muito organizado. Apenas não tenho nenhuma preguiça e nem perco tempo dormindo muito e vendo televisão. Além do mais sou muito perseverante, persistente, calmo e paciente. Não fico incomodado com quase nada. Nem frio, nem calor, nem sede, nem fome, nem cansaço, nem dor (se não for muita), nem chateação. Só se estiver apertado para ir ao banheiro. Mas não faço esforço nenhum para ser assim. Sou assim porque sou, naturalmente. Também aprendo tudo com grande facilidade, sem ter que me esforçar muito para estudar. Do mesmo modo, isso é algo natural, não representando nada a que se possa me conferir algum mérito. Fruo um imenso prazer em estudar e sempre fui assim. Jamais me ative apenas a estudar só o que era pedido na escola. Em verdade, não acho que seja muito produtivo, porque sou muito perfeccionista e, assim, demoro em fazer as coisas que faço, porque não admito em fazer só bem feito. Tem que ser muito bem feito, ou então, nem faço.

Vale a pena se dedicar a algo como economia? Pessoas dedicaram suas vidas ao seu estudo, mas sempre haverá "refutações" durante sua vida e após. Por que se dedicar a algo que sempre haverá alguma brecha?

Se Economia é o assunto que a pessoa gosta, dedicar-se a ela não é pena nenhuma. Mesmo que seja uma protociência, que ainda não tenha modelos explicativos da realidade econômica assentados de forma indubitável e aceitos por unanimidade pela comunidade dos economistas, é válido se buscar, justamente, o estabelecimento desses modelos que possam dar cabo das explicações e possibilitar a interferência no sistema econômico de modo a produzir resultados esperados e, de fato, obtidos. Muitas pessoas consideram que isso seja, sim, algo a que se compense dedicar os esforços de uma vida. O mesmo vale para outras ciências, como a Psicologia, a Sociologia, a História, a Ciência Política e, também, a Filosofia, que não é ciência.

Ernesto, você acha plausível que o relativismo estético, tanto nas artes visuais quanto na música, tenha como fonte o efeito Duning-Kruger? É possível que os adeptos disto não consigam, por elas mesmas não terem as habilidades envolvidas, diferenciarem a boa obra da má obra?

Não é tão simples assim. Nem o valor estético de alguma obra em alguma cultura pode ser aferido pelos critérios de outra cultura nem, tampouco, é impossível fazer comparações valorativas de obras entre si, tanto de uma mesma cultura quanto de culturas diversas. Claro que um juízo artístico de valor requer uma grande familiaridade e conhecimento da arte envolvida, em suas manifestações em diferentes culturas. Não só arte, mas costumes e comportamentos. A moral e a ética são outra questão que não vou abordar agora. Nem compartilho com o conceito de que, por exemplo, a cultura ocidental, a árabe, a chinesa, a indiana, a japonesa, ou qualquer outra seja superior às outras, nem acho que, por exemplo, uma oca indígena seja uma obra de arquitetura comparável, por exemplo, ao Taj Mahal. De fato, quem não tenha uma boa noção de arte, pensa que saiba fazer julgamentos artísticos, como menosprezar a pintura abstrata em relação à figurativa, mesmo na arte ocidental. Porque, em verdade, não consegue distinguir uma obra de arte abstrata de uma mistificação. Isso vale para literatura, poesia, música, cinema, teatro, escultura, pintura, arquitetura e todas as artes. Nem abraço o relativismo estético nem a concepção de que alguma cultura seja intrinsecamente superior a outra. A questão é comparar cada obra, individualmente, com cada uma outra.

Porque gostas ou não de sorrir a estranhos?

Gosto sim, e o faço muito. Porque acho que isso contribui para o aumento da felicidade do mundo. Quem recebe um sorriso, dificilmente se sentirá aborrecido por isso. Pelo contrário, ficará contente. Quanto mais contente o mundo estiver, melhor. Alguém pode pensar que eu seja boboca. Bom... que importância tem isso?

Ernesto, poderia dizer quais livros você irá ler sobre Cosmologia e teoria das supercordas? Muito obrigado.

Estou lendo "The New Cosmos" de David Eicher.
Em minha fila estão:
"The Big Picture", "From Eternity to Here" e "The Particle at the end of the Universe", de Sean Carroll, além de outros.
Sobre Supercordas, estou para ler:
"String Theory for Dummies", de Andrew Jones,
"String Theory Demystified" de David McMahon,
"Quantum Field Theory Demystified" de David McMahon.
Além disso, estou lendo:
"50 ideias de Física Quântica" de Joanne Baker e estudando:
"Nuclear and Particle Physics" de Brian Martin.
Também estão em minha fila:
"The Fallacy of Fine-Tuning" de Victor Stenger,
"The Atheist Guide to Reality" de Alex Rosenberg.
Sem contar centenas de outros de minha biblioteca que ainda não li.

Segunda parte da palestra sobre Deus https://www.youtube.com/watch?v=JzmcoxXKjNU com Clóvis de Barros Filho.

Nessa aí ele fala, principalmente, da concepção marxista do motor da sociedade, que seria a economia. Discordo de Marx. Acho que a economia é um fator extremamente importante para os rumos da sociedade, mas não o único. Outros também aparecem, como as crenças mesmo e elas não surgiram só para que os dominadores controlassem os dominados. Além disso há outros fatores, inclusive o sexo, por exemplo.

Comente: "O respeito foi inventado para esconder o lugar vazio onde deveria estar o amor"

Concordo. Não tem importância nenhuma chamar alguém de "senhor". O que importa é ter consideração e afeto por essa pessoa.

Ernesto: "Considero que tudo que alguém queira dizer ou saber, tenha que ter a identificação de quem diz ou pergunta. É uma postura filosófica minha" Ernesto: "respond"(o) "pseudônimos", mesmo pseudônimos sem ter identificação de quem diz ou pergunta. É incoerente.

Sim. É incoerente. Mas eu faço assim.

Como corrigir a falta de correlação motora?Como treinar no piano, ritmos diferentes em mãos diferentes. Ex., tocar sete notas na mão direita e cinco na esquerda, para serem executadas em ritmo perfeito, sem mancar? São chamadas quiálteras. A dificuldade é identificada e entendida mas como superá-la?

Vai treinando, simplesmente batucando com as mãos direita e esquerda sobre a mesa. Comece com a direita dando duas batidas por segundo e a esquerda três. Primeiro separadamente, depois juntas. Insista. Depois troque as mãos. Depois passe para três e quatro. Troque. Passe para quatro e cinco. Troque. E assim vai. Mas cada uma dessas em um dia. Insista muito. Meia hora de treino por dia. Treine também mover a mão direita para cima e para baixo e a esquerda para perto e para longe do peito. Depois troque. Treine rodar a mão direita no sentido horário e a esquerda no anti-horário. Comece fazendo quadrados, um lado de cada vez. A esquerda desce, a direita sobe. Então ambas se afastam. Aí a da esquerda sobe e a da direita desce. Então ambas se aproximam. Vai repetindo. Depois que conseguir fazer, arredonde o movimento. Então faça ao contrário. Assim é que se vai adquirindo independência do comando cerebral para cada mão. Depois faça isso no piano, tocando duas notas com uma mão e três com a outra. Troque. Depois três e quatro. E assim vai.

Tenho um QI de 108. Alguém com esse QI é capaz de fazer enormes contribuições para a área da física?

Isso varia muito, com vários fatores, inclusive os acasos e as coincidências. Mas não é o valor do QI que determina ou impede a contribuição. Vale muito, também, o empenho da pessoa. Claro que, quanto mais alto o QI, maior é a possibilidade de gerar contribuições significativas.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Talvez não seja a sua área, mas vou lhe perguntar. Eu tive o azar de ficar preso numa máquina de tomografia enquanto eu fazia o exame, a máquina deu defeito e me deixaram dentro dela por vários minutos. Poderia me dizer se há riscos de curto e longo prazo para minha saúde depois deste fato?

Se a sua tomografia foi de raios X e eles ficaram ligados, então é prejudicial. Mas, certamente, se foi esse o caso, eles foram desligados. No caso de tomografia magnética, não tem problema, mesmo que não se tenha desligado o campo. Se bem que eu acho que, o aparelho parando, o campo é desligado.

Professor, se há eventos incausados (que não são efeitos de uma causa), também é possível que haja livre arbítrio (escolhas não determinadas por atividade neurobioquímica). O que acha?

O livre arbítrio é mais uma consequência do indeterminismo do que da incausalidade. Apesar de parecerem idênticos são distintos. A incausalidade é a consideração de que nem todo evento seja efeito de alguma causa, podendo haver os fortuitos, mesmo que muitos sejam, de fato, efeitos. O indeterminismo, por sua vez, significa que certa causa, nas mesmas circunstâncias, pode produzir diferentes efeitos. A presença disso, no nível mais básico do comportamento da natureza é que permite com que o cérebro, em suas operações, possa fazer escolhas. Se todas as causas determinassem seus efeitos, nenhuma escolha poderia ser feita, isto é, "maktub" tudo seria previsto e determinado, sem nenhuma margem de manobra e sem nenhuma possibilidade de atribuir responsabilidade a ninguém. Claro que há fortes condicionamentos que influenciam as decisões e quase as determinam. Mas "quase". Isso é que é fundamental.

Oi Ernesto, o que você acha do James Randi?

Fantástico! Gosto muito dele e de sua forma de mostrar como são sem fundamento a maior parte das crenças religiosas, bem como de outras crendices, como astrologia e demais pseudo-ciências. É muito importante haver pessoas como ele para esclarecer a humanidade sobre a improcedência desse tipo de crenças.

porque não temos outros Einsteins, Newtons, Feynmans... Bohrs, Heisenbergs etc... ? Eles tanto com muito pouco. Hoje em dia é tudo tão fácil, o conhecimento é vomitado e não temos destaques excepcionais, principalmente no Brasil.

Não é verdade que seja tudo tão fácil. Tente estudar a teoria das supercordas em um livro de doutorado a respeito para ver. O que acontece é que, justamente, a fronteira do conhecimento está tão avançada que é difícil uma pessoa sozinha dominar tudo. Então as pesquisas são feitas em equipes. Os prêmios são dados para grupos e não para pessoas isoladas. Isso é uma característica da ciência atual. Mas há, ainda, alguns que se destacam isoladamente como os mentores dos trabalhos.

Quantos judeus foram mortos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial?

over 1 year ago
http://www.hawaii.edu/powerkills/welcome.html
http://www.hawaii.edu/powerkills/MURDER.HTM
http://www.hawaii.edu/powerkills/NOTE3.HTM

Professor, qual o melhor conselho que você daria a um jovem professor?

Seja fascinado, fissurado, deslumbrado, maravilhado por duas coisas: o assunto que vai lecionar e a atividade do magistério. Se isso acontecer, o resto vem em decorrência. Se não acontecer, não há técnica pedagógica que faça você ser um bom professor.

Pode que o universo seja infinito, mas que hajam distâncias infinitas em que o haja apenas campo ocupando espaço (sem quantizações fermiônicas e bosônicas)?

Claro. Aliás é, de longe, a maior parte do espaço do Universo que é preenchido por vácuo que consiste, justamente, de campo não quantizado. Não existe espaço vazio no Universo. Entre o núcleo e os elétrons de um átomo não há espaço vazio. Há vácuo, isto e, espaço preenchido por campo. Além do campo do vácuo (da matéria) há o campo elétrico do núcleo. Todavia, na atual situação do Universo, a densidade do campo da matéria é muito baixa para que as flutuações aleatórias possibilitem uma condensação tal que se formem partículas. Isso é uma raridade. Exceto próximo ao horizonte de eventos de buracos negros. Dentro do horizonte, o que quer que se forme vai para o caroço do buraco. No horizonte pode acontecer que se forme um par de partícula e antipartícula em que uma delas se dirija para dentro e a outra para fora. Isso é a "Radiação de Hawking".

O que acha do Anel de Formatura ? Você tem/teve ou usa ?

Quando me formei meus pais me presentearam com um que, à época, era colocado no dedo de cada formando pelo diretor da Faculdade. Mas nunca o usei. Não vejo razão para tal e, em verdade, não gosto de joias. Do mesmo modo que não gosto de títulos, como Dom, Doutor, Professor, Mestre ou outros. Prefiro ser chamado apenas pelo nome. Todavia não gosto de apelidos e não chamo ninguém por apelidos. Acho muito esportivo e não gosto de esportividade. Como não gosto de pomposidade. Gosto de assertividade e de seriedade jovial sem galhofa. Gentileza e cortesia, sem irreverência. Esse é o meu estilo. Nem afetado, nem escrachado.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

O que seria certo dizer: tarefas hercúleas ou hérculeas (já que vem de Hércules).

Hercúleas. Não existem palavras anteproparoxítonas em português.

Todo dia estudar coisas novas aumenta a inteligência?

Todo dia não, porque um dia é pouco para se aprender o que quer que seja. O bom é se dedicar a aprender algo novo até aprender, o que leva vários dias. Mas não precisa ficar um expert no assunto. Depois que aprendeu, é bom começar a aprender outra coisa. Aquilo de que se gostou, então se continua, paralelamente, a se aprofundar e consolidar o conhecimento. Mas é bom não se fixar em um assunto só. A inteligência se caracteriza, também, pela versatilidade.

Pierluigi Piazzi era religioso?

Não. Era ateu.

É possível ficar mais inteligente apenas lendo, escrevendo e estudando diariamente?

Sim. Mas não pode ser, apenas, uma leitura leve. Tem que ser a leitura de algo que faça pensar para entender. Do mesmo modo que o estudo. O bom é estudar algo que se sinta dificuldade em aprender. São os desafios que desenvolvem a inteligência. Aprender um novo idioma é bom. Aprender a tocar um instrumento musical novo é bom. Compor música é bom. Escrever poemas com métrica e rima e, além disso, poéticos, é bom. Escrever crônicas, ensaios, contos, é bom. Também é bom estudar coisas incomuns, como História dos povos periféricos do Império Romano, História da Indochina, Geografia da Micronésia, Ecologia das Fossas Abissais, Exobiologia, Meteorologia de Vênus, Marte e Júpiter e assim por diante. Especialmente o que não tenha utilidade nenhuma. Mas pode ser o que tenha utilidade e seja bem difícil, como Inteligência Artificial, Lógica Difusa, Sequenciamento de DNA, por exemplo. É como treinar para ser um atleta olímpico. Tem que enfrentar e vencer grandes desafios. Não há um meio fácil de ficar inteligente.

Não tem vontade de ler "O capital" de Karl Marx, porque até quem não gosta de suas ideias sobre revolução e afim gosta desse livro, é mais uma investigação

Não. É uma obra muito extensa e eu tenho muitos outros em minha fila de espera que, para mim, são prioritários, especialmente sobre cosmologia, teoria quântica de campos, teoria das supercordas, física nuclear, física de partículas elementares, filosofia, religião e vários outros assuntos pelos quais eu tenho mais interesse.

Acha que homem trans deve competir as Olipiadas com outros homens?

Sim, porque, biologicamente trata-se de um ser humano masculino que possui uma musculatura masculina. Feminino são as suas concepções mentais, mas as olimpíadas são competições de força e agilidade físicas e não psicológicas.

Pois aceite que o seu entendimento está errado, pois a definição que você fez do anarcossindicalismo é um disparate que faria qualquer anarquista clássico murchar de vergonha.

Eu não murcho. Essa é a minha concepção. Não sei porque eu teria que acatar outra.

Mas professor, pelo teorema do macaco infinito, um universo com infinitas galáxias e estruturas diversas, não existiriam infinitas possibilidades (como a de haver uma pessoa idêntica a mim por aí)?

Pode haver, mas não tem que haver.

Professor, conseguiu a resposta para a minha pergunta feita a um certo tempo atrás, a respeito dos campos? Pelo o que me consta, para cada férmion, existe um campo que lhe é associado. Leia: https://simetriadegauge.blogspot.com.br/2013/08/no-texto-passadofalamos-sobre-simetrias.html

Ainda não, mas vou dizer o que acho, sem conferir se está certo. Para mim só há um tipo de campo de matéria, pois nas reações entre as partículas há conversão de quarks, léptons e os bósons uns nos outros, mesmo que com a conservação separada dos números leptônico e bariônico. Por exemplo, no decaimento do nêutron se obtém um próton, um elétron e um antineutrino do elétron. Dentro do próton e dentro do nêutron há quarks e glúons. No decaimento surgem, deles, léptons. Isso estaria significando que há um estágio intermediário em que os quarks viram campos puros e depois se quantizam de novo em outros quarks (diferentes) e nos léptons. Isso é que eu ainda não achei um texto que comentasse.

Estima-se que existam 10 sextilhões de estrelas, essa conclusão levando em conta apenas a luz observável. É inefável o quão pequenos somos no Universo. Essa proporção é um fascínio, não acha ? E que talvez existam estruturas que façam esse gigantesco número parecer mínimo novamente [...]Como reagiu quando teve o primeiro contato com essa magnitude indescritível ? Deixei de dormir fácil, fácil, como se tivesse assistido o filme de Terror mais cruel já produzido.

Esse número refere-se, apenas, ao Universo Observável. O Universo todo deve ser infinito e, assim, possui um número infinito de galáxias, estrelas e planetas. Ou outras estruturas que desconhecemos, em outras regiões que não temos acesso, por estar fora do Universo Observável por nós. Realmente é algo estupefaciente e quase impossível de ser concebido. No entanto, mesmo assim a mente humana pode conceber o infinito. Como eu tenho essa noção desde minha adolescência não sei dizer o que senti quando apreendi esse fato. A concepção de múltiplos Universos, disjuntos deste é outra coisa completamente fantástica, pois poderiam, também, ser em número infinito, cada um deles infinito em tamanho (ou não). Todavia não acho que existam outros universos além deste (o inteiro e não o observável).

Pirataria não seria um tipo de produção compartilhada?

Não, em absoluto. Produção compartilhada seria se fosse com a concordância de todos. E pirataria só é pirataria uma vez que é feita à revelia de quem detém os direitos autorais. Se o criador do que esteja sendo pirateado liberasse a sua produção sem nenhuma retribuição a ele, não seria pirataria. Aliás é assim que eu acho que tudo deveria ser. Mas se a pessoa que cria algo pretende auferir alguma renda pela utilização de sua criação e alguém burla isso, essa pessoa que burla está sendo desonesta e cometendo um crime.

Chomsky não está errado coisa nenhuma, professor. No meu entendimento, você é quem erra. Chomsky está pouco se lixando se o chamarem de anarcossindicalista ou anarcocomunista. Em tese, ele defende os mesmos princípios libertários, democráticos e de autogestão, ou anticapitalistas, que você e eu.

Pois é. A questão é de nomenclatura. Grande parte das discussões filosóficas não é sobre o significado do que se fala e sim sobre que nome se dá àqueles significados. No meu entendimento o termo "anarco-sindicalismo" significa o que eu disse que significa e, assim sendo, eu não concordo.

Errado, errado e errado. Você estigmatiza o anarcossindicalismo como se o "poder" estivesse nas mãos de determinada classe de trabalhadores, tal como ocorreu no marxismo ortodoxo, e isso é uma interpretação distorcida das coisas, e está errado.

Certo, certo, certo!

Professor, eu fico e certa forma ofendido quando vejo alguém discordando de mim, não quero ser assim, mas lá no fundo me sinto mal, mesmo sabendo que é algo infantil. Como trabalhar um melhoramento pessoal com algo que não tenho muito controle?

Não sei. Isso requereria um acompanhamento psicológico. Ou um acompanhamento de filosofia clínica, tema que eu não domino.

Esta do óleo de rícino foi do fundo do baú (risos)! A maioria não vai entender o que é! Parabéns pelo programa, estava bastante diversificado. Ficou interessante desenvolver o programa em torno de um tema (danças e valsas). Gosto assim! Sem contar a alegria que lhe deu a pesquisa. Obrigada.

Todos os programas sempre foram e são feitos em torno de um tema, que pode ser um gênero, um período, um compositor, uma nação, um estilo, uma forma ou algo que sirva de âncora. Realmente a pesquisa dá trabalho. O programa de duas horas dispende umas doze horas de preparação, considerando desde a decisão a respeito do tema, a busca das músicas, sua conversão em arquivo MP3, a busca dos comentários, sua tradução (a maior parte é achada em inglês) e a gravação das falas intercalando as músicas. A preparação já começa no dia seguinte ao programa (às vezes antes) e vai até a véspera dele.

Um aluno me questionou o seguinte: "Se o universo é plano e tem ao menos 3 dimensões espaciais, então ele é um cubo"? Ele não conhece geometria não-euclidiana. Como explico para ele?

Dizer que o universo seja plano significa que sua geometria seria euclideana, isto é, a soma dos ângulos internos de um triângulo é 180°. Nesse caso, ele é, necessariamente, infinito, uma vez que não é possível um espaço plano ser finito sem ter borda e o Universo não tem borda. Já um espaço curvo pode ser finito sem ter borda. Considera-se que o Universo seja plano em razão de medidas feitas dentro do Universo Observável, que é só o que se tem acesso. Todavia o Universo pode ser tão mais vasto que o Universo Observável que não seja plano mas a sua falta de planicidade só seja perceptível numa escala de distâncias muito maior do que o tamanho do Universo Observável. Então ele seria finito, se a curvatura for positiva, mas infinito, também, se a curvatura for negativa. Em hipótese nenhuma ele seria um cubo, nem um hipercubo, pois um cubo tem limites.

http://ask.fm/wolfedler/answers/138116807965 Professor, sinto muito, mas anarcossindicalismo não é isso aí não. Noam Chomsky é anarcossindicalista e ele JAMAIS disse que sindicatos devem ter poder e, tanto quanto você, ele considera o exercício do poder inadmissível. Sua definição está ERRADA...

De forma nenhuma. Chomsky é que está errado em confundir anarco-sindicalismo com anarco-comunismo.

Completando minha contestação anterior, veja a prova de que sua definição de anarcossindicalismo é improcedente: https://www.youtube.com/watch?v=83NkV9HyhlI - Inclusive existem cientistas políticos que consideram o anarcossindicalismo como sinônimo do anarcocomunismo, por serem posturas idênticas..

Discordo deles, como já exarei em respostas anteriores. O anarco-sindicalismo pretende atingir o anarco-comunismo, mas o anarco-comunismo não requer o anarco-sindicalismo para ser estabelecido.

Rudolf Rocker também foi um anarcossindicalismo e jamais defendeu "poder" a órgãos sindicais, ou "poder" a determinada classe de trabalhadores. Sua definição de anarcossindicalismo é um redondo, completo e absoluto engano, professor.

De modo nenhum. Anarco-sindicalismo é, sim, a via de atingimento do anarco-comunismo através dos sindicatos. Anarco-comunismo é uma forma de estabelecimento da sociedade. Anarco-sindicalismo é um processo para se atingir tal situação. São categorias diferentes.

continuando... Chomsky apenas evita o termo "comunismo" por sua conotação erroneamente ditatorial, resultado de propagandas anti-comunistas dos EUA e também "pró-comunistas" (de comunista não tem nada) do stalinismo. Por isso Chomsky o termo socialismo libertário ou anarcossindicalismo.

Prefiro fazer um parafraseado explicando o que entendo por comunismo, que é, exatamente "socialismo libertário", mas acho a palavra "comunismo" mais aderente ao significado mesmo do que seja "comunismo". Anarco-sindicalismo é uma forma de atingimento do anarco-comunismo através da atuação dos sindicatos. Mas não é preciso que seja assim. Não gosto de sindicatos, como não gosto de partidos políticos, de religiões, de organizações de modo geral. Para mim tudo isso vai contra o conceito de anarquia.

Completando minha contestação anterior, veja a prova de que sua definição de anarcossindicalismo é improcedente: https://www.youtube.com/watch?v=83NkV9HyhlI - Inclusive existem cientistas políticos que consideram o anarcossindicalismo como sinônimo do anarcocomunismo, por serem posturas idênticas.

Pois eu não considero. Para mim, anarco-comunismo é sistema, anarco-sindicalismo é processo.

Você considera hipocrisia um anarquista ser funcionário público? E por quê?

Não. Porque o mundo ainda não é anárquico nem comunista e as pessoas precisam de obter renda para se sustentar.

O que acha do hino L'Internationale?

Muito bonito. Tanto a letra quanto a música.

Qual livro recomenda para começar a estudar Química? A nível do E.M. mesmo...

Os volumes do Chemical Bond Approach Committee (CBAC) e do CHEM Study (encontrados em sebos). Também gosto da coleção do Arthur Barthelmess e do Geraldo Camargo de Carvalho.

Você concorda com o anarco-sindicalismo?

Não. Porque o anarco-sindicalismo confere um poder aos sindicatos e poder é algo inadmissível na anarquia. A obtenção da participação dos trabalhadores no capital das empresas, com sua transformação de empregados em sócios, tem que ser alcançada por meio de uma reforma da legislação, dentro da democracia, até que ela possa ser dispensada. Assim os trabalhadores têm que se articular politicamente para eleger representantes em grande número que proponham e aprovem tais medidas, de forma gradual.

Qual o formato do universo? Pode existir mais de um universo infinito simultaneamente? Eles não iriam afetar um ao outro? E professor, a expansão do universo faz com que ela cresça? Se sim, "para onde" ele cresce se todos os espaços da existência lhe fazem parte?

Atualmente se sabe que o Universo é infinito. Portanto, não tem formato. O Universo Observável é que tem o formato de uma esfera centrada no local de observação. Assim, ele varia de local para local. Se houver outros universos, por definição, eles são incomunicáveis e possuiriam, cada um, o seu espaço e o seu tempo distintos, de modo que não haveria perigo nenhum de se tocarem. Seriam realidade completamente disjuntas. Mesmo sendo infinito, o Universo se expande. Isso significando que a separação entre seus lugares vai crescendo sem que o conteúdo saia do lugar. Os lugares é que ficam mais separados. Ele não cresce para lugar nenhum, pois não existem lugares fora do Universo. Mesmo que ele fosse finito, não haveria nada fora dele. Nada significa ausência tanto de conteúdo quanto de espaço vazio.

A moral é algo completamente dispensável quando somos éticos?

Sim. A moral é um conjunto de normas que estabelecem o que uma pessoa não possa, possa e deva fazer em um dado lugar, dada época e dado estrato social ou grupamento. Ela é acompanhada de sanções para o não atendimento de suas proibições ou prescrições (mas não para as permissões). O ideal é que a moral sempre acompanhe a ética, que é que estabelece o que seja certo e bom ou errado e mau. Se todo mundo for perfeitamente ético, não é preciso haver moral nenhuma, e nem leis, porque todo mundo sempre, porque quer, só fará o que seja certo e não fará o que seja errado. A moral, então, só existe porque a sociedade não é, realmente, civilizada e as pessoas não são, todas, do bem. Então é bom haver moral. O problema é que, algumas vezes, o que a moral determina está em contradição com o que a ética estabelece. Nesse caso é preciso se contrariar a moral e, inclusive, provocar um grande protesto para que a moral seja mudada, de modo a passar a ser ética. A razão de acontecer isso é que a moral é instituída por quem detenha poder sobre a população e, então, estabelece o que seja conveniente para que a situação de poder desfrutada não seja abalada. Todavia a população, em conjunto, é capaz de reverter a situação e tirar o poder de quem o detenha de forma ilegítima ou despótica. Esses são casos em que uma revolta se justifica. Como aconteceu com a Revolução Francesa ou a Revolução Russa. Porém, várias vezes, as revoluções apenas substituem um grupo de poder por outro que continua a exercê-lo de forma despótica e ilegítima.

Sobre S. Hawking... você disse que há outros tão bom quanto ele. Quem são ? Eles seriam tão bom quanto Hawking se eles sofressem da mesma doença dele ?

Weinberg, Penrose, Higgs, Guth, Witten, Kaku, Wheeler (falecido em 2008), Linde e vários outros que, agora, não me ocorrem.

Qual a diferença do anarco-sindicalismo para o anarco-comunismo?

Anarco-comunismo é uma concepção de modo da sociedade se estabelecer política e economicamente. No caso, sem estado, sem governo, sem fronteiras, sem propriedade, sem trabalho assalariado. Anarco-sindicalismo é uma concepção de como se deveria proceder para atingir tal modo de estabelecer a sociedade. No caso, pelo uso dos sindicatos como instrumento para que os trabalhadores se assenhorem do capital das empresas e o distribuam entre eles que, então, deixam de ser empregados para serem sócios das empresas.

A atividade física proporciona duplo benefício: aumento do metabolismo basal (mesmo em período de repouso gasta + calorias) e gasto calórico no momento da prática. Beneficia o cérebro porque ativa a circulação. (O AVC lesa o cérebro) .Você lê sobre os benefícios da atividade física para se motivar?

Sim, sei perfeitamente. O problema é que eu tenho uma extrema repugnância por exercícios físicos. Sempre fui assim, a vida toda. É difícil vencer isso, mesmo sabendo o quanto é ruim não fazer exercícios físicos. Acho pior do que tomar óleo de rícino.

Observação: repeti a pergunta porque acho que a anterior não foi. AVC (acidente vascular cerebral). Vejo uma preocupação sua em desenvolver o cérebro através de exercícios específicos mas o AVC pode lesar o cérebro de maneira irreversível,podendo até causar demência.

Sim, mas isso é uma patologia orgânica (anatomo-fisiológica) que, certamente, interfere no funcionamento cerebral e, portanto, mental. Inclusive é uma boa demonstração de que não existe alma e que toda a mente advém da anatomia e fisiologia do cérebro. Outras lesões, provocadas por acidentes, tumores ou uso de drogas, também interferem na mente, na memória, no raciocínio, na cognição, na coordenação motora, na sensibilidade e, possivelmente, vários outros aspectos, até mesmo a percepção moral. Os exercícios neuróbicos são meios de produzir conexões sinápticas entre dendritos e axônios, a partir do material glial, que potencializam a inteligência, a percepção, a consciência, a memória e outros atributos psíquicos (entendendo o psiquismo como decorrente da anatomia e fisiologia do cérebro) e não comprometem, de modo nenhum, o bom funcionamento mental, exceto se chegarem a prejudicar, por exemplo, o sono. Pelo contrário, melhoram, e muito, o funcionamento cerebral (bem como de seus anexos encefálicos e, até, neurais e dos órgãos dos sentidos).

"Mas como vou saber?" Pô, tem um cara que assina Ubiquitous Being, por exemplo. Ou "D" (Fictitious User). Só pra citar dois que observei a esmo dos mais recentes.

Ubiquitous Being é um velho amigo desde o tempo em que eu respondia no Formspring e havia espaço para comentários. O fato de que ele use pseudômimo não o caracteriza como anônimo. Eu mesmo uso o pseudônimo de Wolfedler. Quanto a não querer responder a anônimos mas responder a quem use pseudônimos é algo que eu tenho inteiro direito de assim o fazer, mesmo que alguém não considere coerente.

O patriotismo, nacionalismo, ufanismo, essas coisas que colocam o país natal acima dos outros são importantes ou são um amontoado de idiotices que apenas contribuem para adiar a derrubada das fronteiras entre os povos? Muros que nos impedem de enxergar um estrangeiro como irmão?

São um amontoado de idiotices. Não somos brasileiros, franceses, árabes, chineses, australianos, nigerianos. Somos terráqueos apenas. O mundo e um só. As fronteiras têm que ser abolidas, mesmo que, por enquanto, os governos continuem a existir. Mas, para o futuro (de séculos) os governos também têm que ser abolidos. Isso não significa que as culturas dos diversos lugares tenham que ser extintas. Nem as línguas. O que tem que acabar é a concepção de que somos melhores do que qualquer outro lugar e de que temos que agir em nosso benefício, prejudicando outros. Isso é que é o erro do patriotismo e do nacionalismo. O importante é a colaboração, a solidariedade, o compartilhamento. Claro que acompanhado da abolição da ganância, dos golpes, da esperteza (no sentido de prejudicar alguém), da desonestidade, de toda injustiça e assim por diante. Isso é perfeitamente possível, exatamente, por um processo educativo de erradicação de preconceitos e intolerâncias, raciais, religiosas, culturais, de gênero e qualquer outra. Em suma, a humanidade tem que se tornar civilizada de verdade. Isso é possível, mesmo que leve vários séculos. E mais: é o que vem acontecendo. Compare-se o mundo de hoje com o mundo de mil, dois mil, três mil ou quatro mil anos atrás. Então projete esse progresso para daqui a mil, dois mil, três mil ou quatro mil anos à frente.

Olá professor,o que você acha das gírias?

Não aprecio. Acho que não comunicam de modo preciso o que se pretende comunicar. Prefiro o linguajar dentro da norma culta. Não faço uso, mesmo na linguagem falada, em que, normalmente, se é mais tolerante com a incorreção gramatical, inclusive eu.

Qual a sua pontuação de QI?Está satisfeito com esse numero?

Já fiz vários testes e a pontuação variou de uns 135 a uns 145, mais ou menos. Acho que é bom. Todavia o quociente de inteligência não é, sozinho, um indicador fiel da inteligência, pois ele só mede os aspectos lógico-matemático, espacial e linguístico, além de ser bem influenciado pelo grau de instrução. Outros aspectos da inteligência e a criatividade ele não mede. De qualquer modo é um indicador. Além do mais, o escore do QI pode ser melhorado por um treinamento em fazer testes de QI.

Você quer viver até que idade? Isso se pudesse escolher, claro.

Se fosse possível eu gostaria de viver, pelo menos, uns cinco mil anos. Mas, dentro das limitações do ser humano, para mim o bom seria uns cem anos. Todavia sei que não chegarei lá, pois tenho insuficiência cardíaca, diabetes, excesso de peso e sedentarismo. Realmente, ao longo de minha vida, não dei importância à saúde. Nunca fiz nenhuma espécie de exercício físico, muito menos pratiquei (sequer assisti) nenhum esporte, porque detesto mesmo, especialmente se tiver bola. Nessas olimpíadas, por exemplo (como nas outras) nem tomo conhecimento de que estão acontecendo (o mesmo se dando com as copas do mundo de futebol).

Satisfaça, por favor, uma curiosidade minha. Stephen Hawking é mesmo o maior físico da atualidade ou sua fama é maior do que sua capacidade com uma valorização excessiva por parte da mídia?

Não há, na atualidade, nenhum cientista, de nenhuma área, que possa se dizer que seja o maior deles. Hawking não o é, pois há vários da mesma qualidade dele, que, sem dúvida, é muito boa. Todavia, sua doença lhe colocou em evidência, bem como o fato dele ter se dedicado, também, à divulgação científica. Isso o expôs mais na imprensa.

porque você desativou o "perguntar anonimamente"?

Porque eu não acho honesto o anonimato em nenhuma circunstância. Considero que tudo que alguém queira dizer ou saber, tenha que ter a identificação de quem diz ou pergunta. É uma postura filosófica minha.

Ernesto, a ciência está constantemente esclarecendo como os fenômenos ocorrem, entretanto, ela não costuma ser norteada a ponto de dar ênfase sobre o por quê. Isso é uma limitação/furo do Método Científico, ou de fato esse não é o cerne dos cientistas ? O por que é um clichê, mas é um clássico.

A ciência responde a "porquês" até certo nível. Ou seja, ela não só busca explicar como ocorrem os fenômenos, mas também a razão, ou seja, as causas que os provocam. Todavia essa busca não pode ser nunca completa, pois, em certo momento, o que se constata é que tal ou qual ocorrência se dá de tal ou qual forma, simplesmente, porque é assim que a natureza funciona, não se encontrando razão para tal em nada que seja precedente àquilo. Por exemplo, porque a quantidade de massa e energia de algum conteúdo do Universo promove o encurvamento do espaço tempo, ocasionando o fenômeno da gravitação? Ou porque uma partícula que não esteja em interação se move ao longo das geodésicas do espaço-tempo? Tais fatos não possuem explicação, exceto de que assim é o comportamento da natureza. Todavia a ciência sempre busca achar uma razão para tudo e, geralmente, acha, exceto quando não acha. Nesses casos, ou ainda não se chegou a ela ou, realmente, ela não existe. Não é necessário, nem logica, nem metafísica, nem epistemologicamente que tudo tenha explicação. O grande desafio é, exatamente, discernir os casos em que a explicação existe, mas ainda não foi encontrada, daqueles em que ela, de fato, não existe.

“A vida é como uma música clássica que começa tranquila e depois agita.” O que fazes pra agitar a vida?

Nem sempre. Tanto pode ser assim, como ao contrário, como sempre agitada ou sempre tranquila. A minha é sempre tranquila. Não faço nada para agitá-la.

O que acha de primos de primeiro grau tentarem ter filhos?

Corre-se o risco de se gerar uma criança com problemas de origem genética, como a síndrome de Down. Mas isso não é fatal. Não acho que tenha que ser proibido, do mesmo modo que o acasalamento de irmãos ou pais e mães com filhas e filhos. Tudo é uma questão dos sentimentos envolvidos. Em geral, espontaneamente, a relação filial, maternal, paternal e fraternal obsta o envolvimento amoroso e erótico. Nisso há uma forte componente cultural. Não obstante, pode surgir a paixão e o desejo. Quando acontecer, o impedimento passa a ser uma grande fonte de infelicidade, podendo levar à depressão e, até, ao suicídio. Não vejo razão para que seja um tabu.

Em meio a preparação para concursos li relatos que ao iniciarem a jornada em 3 anos de estudos,metade desse tempo foi de aprendizagem até começarem a estudarem certo. Existem cursos ensinando técnicas e resumos únicos de conteúdos em até 90 dias que levariam anos até assimilados. Seria verdade?

Duvido muito. Claro que há uma forma correta de se aprender qualquer assunto (que não é a mesma para cada assunto, bem com difere com o objetivo pretendido; aprendizagem conceitual, aplicada ou de habilidades). Todavia há um denominador comum para todas, que é o que o professor Pierluigi Piazzi mostra em seus livros sobre inteligência. Há, também, outros excelentes livros sobre inteligência, criatividade e memorização, como o do Everton Luiz Spolaor e do Renato Alves, além de outros. Aprendizagem requer não apenas memorização (todavia também requer), mas também, e principalmente, entendimento e compreensão, bem como interpretação de texto e de imagens e habilidade em fazer uso do conhecimento na solução de problemas, tanto quanto identificar, em cada caso, que conhecimento se aplica. Isso tudo não consegue ser desenvolvido em pouco tempo e nem apenas com um treinamento em resolver questões típicas. A escola atual não está bem aparelhada para produzir um aprendizado significativo, especialmente porque os professores e professoras não são treinados com essa filosofia. Isso requer uma completa reviravolta de conceitos nos cursos de licenciatura, que, também, precisariam ser os escolhidos pela fração mais capaz dos estudantes universitários. Isso só vai acontecer quando o rendimento dos professores for MAIOR do que o dos médicos, advogados e engenheiros, como tem que ser. Então o preenchimento das vagas no magistério vai ser buscado pelas melhores cabeças, que poderão ser mais bem selecionadas por sua capacidade e competência. A educação do caráter, em primeiro lugar e o aprimoramento da inteligência em segundo, teriam que ser as prioridades do processo de aprendizagem nas escolas, acima da aquisição de conhecimentos e habilidades.

Por quê você não usa, em seu programa, o termo "música erudita" em vez de "música clássica"? E será que este tipo de música tende a desaparecer com o passar do tempo, já que observo um decréscimo do número de pessoas que aprecia este estilo? Noto,tambem, maior incentivo à música popular pelo governo

Porque já é um termo consagrado e que as pessoas associam ao tipo de música. Além do mais, o termo "erudito" parece espantar um pouco as pessoas e meu intento é, justamente, difundir esse tipo de música entre o povo não acostumado com ela, o que venho fazendo há quase vinte anos (que se completarão em outubro deste ano). Não acho que a música clássica vai desaparecer. Atualmente ela é muito pujante nas trilhas sonoras de filmes e nas trilhas sonoras de jogos eletrônicos. Esse é um grande filão para os compositores auferirem renda e poderem criar outras formas de menos rentabilidade por simples prazer. Hoje, por exemplo, o chofer do táxi que peguei pediu para eu colocar o "arioso" de Bach em um de meus próximos programas. Achei isso muito interessante. Encontro muita gente na rua que diz que ouve meu programa. E não é gente "erudita".

O que é pior, falhar ou nunca tentar?

Nunca tentar, sem a menor dúvida. Falhar não é problema. Não arriscar é que é.

Por que quase todo movimento de esquerda tenta interpretar Marx a fim de encaixa-lo em sua teoria ao invés de só discordar e pronto, por que o semblante de "deus" para a maioria dos intelectuais de esquerda?

É o mesmo problema dos cristãos em relação a Jesus ou dos muçulmanos em relação a Maomé. Discordar de suas opiniões é uma blasfêmia. Marx teve um papel importante para o socialismo e o comunismo, mas isso não significa que tudo o que ele tenha dito seja correto. O comunismo quase se torna um sinônimo de marxismo (e, para muitos, é mesmo), que o confundem com a concepção de uma sociedade politicamente totalitária e economicamente estatizada. Nada disso faz parte do conceito de comunismo. Por isso, sempre que digo que sou comunista, tenho que explicar bem que não sou marxista e nem socialista estatizante. Todavia outras palavras, como comunitarismo, não expressam bem o significado próprio de "comunismo" que é o do compartilhamento da propriedade dos bens de produção e de serviços, bem como do resultado dessa produção e desse serviço, e não a sua posse pelo estado, do qual todos seriam empregados. No comunismo não há empregados. Todos são sócios e o capital é distribuído. Todo trabalhador é patrão e todo patrão é trabalhador. Sem empregos, sem salários, sem proletários. Isso é que é comunismo. E anarquismo é a situação em que a própria sociedade se gere diretamente, sem governos, sem estados, sem nações, sem fronteiras. Um mundo harmônico, fraterno, aprazível, próspero e feliz para todos e não só para alguns.

Diz não ser Marxista, porem não seria você um Marxista Revisionista?

Não. Sou um comunista não marxista. Também não sou bakunista, pois repudio a revolução. O marxistmo, todavia, tem muitas outras características que eu discordo, além da revolução, como a fase intermediária do socialismo de estado em um regime ditatorial, dito "do proletariado", que não é do proletariado coisa nenhuma e sim dos membros do dito (impropriamente) "Partido Comunista". A interpretação dialética da história, que é verdadeira em alguns casos, mas não em todos e nem na maioria. A fundamentação calcada na economia do motor dos eventos históricos e, mesmo, a dialética considerada como a tríade tese-antítese-síntese, como mecanismo lógico tanto da filosofia quanto da ciência, o que não é sempre verdade, mesmo o sendo em alguns casos (minoritários, porém).

Você se considera uma pessoa sistemática?

Não, pelo contrário, sou flexível. Gosto, inclusive, de variar meus procedimentos. O que não gosto é de que algo não seja feito por preguiça ou por pressa. Quero tudo muito bem feito. Mas desculpo isso nos outros. Em mim, não. A não ser que alguma premência ou algo de maior importância me faça deixar de fazer o que eu acho que tenha que ser feito. Não sou, portanto, rígido. Mas não gosto de nada mais ou menos, sequer bom. Gosto de ótimo e, preferivelmente, excelente. E jamais me importo com o dispêndio de energia, tempo ou, até, dinheiro para isso. Em suma, não me importo com a eficiência. Mas me importo, muito, com a eficácia. Isso significa que não sou econômico. Mas gosto da perfeição, não tendo pressa.

O que acha do hipismo?

Muito interessante como uma prática equestre para deleite. Mas não como competição. Abomino competições. Aliás acho que todos os esportes sejam válidos (mesmo que não goste, especialmente dos que envolvem bola), se forem praticados como uma forma de fruir um prazer que não envolva competição. O espírito de competição, no meu entendimento, é extremamente nocivo. O que se precisa é de espírito de superação, isto é, de se pretender sempre melhorar, mas desejando que todos melhorem também, de modo que não se busque ser melhor do que ninguém.

Acho que o recurso inurl para achar perguntas nao funciona mais para o ask, se souber de outra forma para achar perguntas não esqueça de dizer.

Agora mesmo testei com a última pergunta que respondi. Apareceram respostas mais antigas. Mas acho que demora algum tempo até que o conteúdo fique registrado no Google e seja acessado. Voltarei a fazer a pesquisa amanhã. Entrementes, digite na barra de endereço do navegador (digite e não copie e cole):
inurl:wolfedler pecado (exatamente assim, com os dois pontos e o espaço depois do wolfeder)

Professor, o que acha dessas pessoas que acreditam em poder da mente ou pensamento positivo? Mais especificamente, essas pessoas que acham que a mente tem poderes, digamos, "mágicos", capazes de interferir em algo em suas vidas ou na vida dos outros.

Isso é a mais completa baboseira. Não tem não. O que o "pensamento positivo" pode propiciar é a disposição de agir com denodo, mesmo cansado, para alcançar o que se queira. Mas são as ações e não os pensamentos que resolvem.

O que significa pecado pra você?

Pecado, por definição, é uma ação, omissão ou pensamento em desacordo com o que Deus consideraria que fosse válido fazer, deixar de fazer ou pensar. Como Deus não existe, pecado não existe. Todavia, por extensão, poder-se-ia dizer que pecado seria qualquer ação ou omissão que ferisse a ética. Note que pensar não tem problema. O pensamento é inteiramente livre e nunca é pecaminoso, nesse sentido. Mas as ações e as omissões sim. Qualquer ação (que são, justamente, o objeto da ética) seria pecaminosa, isto é, não ética, se causasse prejuízo, dor, sofrimento, tristeza, infelicidade ou o que quer que seja de ruim, exceto se isso estiver visando a obtenção de um bem maior para quem sofresse aquela ruindade. Em alguns casos, também se pode aceitar uma ruindade para poucos que redunde em bondade para muitos. Mas, cada caso é um caso. Outro critério de eticidade que se pode lançar mão é o da universalidade, ou seja, que aquela ação possa ser erigida em norma universal a ser prescrita a todos. Ou, ainda, de que seja algo que se deseje que outrem faça a nós mesmos. Note que a ética não é a moral. Esta estabelece não o que seja certo ou errado, bom ou ruim, mas o que seja permitido, proibido ou prescrito pela coletividade em dada época, lugar e estrato social. Idealmente a moral teria que ser ética, mas nem sempre o é. Ela costuma expressar a vontade dos grupos dominantes naquele contexto. Há casos em que prescrições ou permissões morais não são éticas, bem como de proibições que não ferem a ética. O pecado seria uma contravenção à moral que alguma crença religiosa tenha estabelecido como sendo a vontade de Deus, de acordo com o que quem as tenha estabelecido queira que a população considere que seja. Em muitos casos isso pode estar em concordância com a ética, mas há vários que não têm nada a ver com a ética. Masturbar é tido como pecado e não fere ética nenhuma. Matar infiéis é moralmente prescrito em algumas religiões mas é inteiramente anti-ético. Por outro lado, sempre se tem a ver com tudo de que se toma conhecimento. Portanto omitir-se a respeito, não é ético. Algo sempre é preciso ser feito, mesmo que nos traga aborrecimentos e prejuízos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails