quarta-feira, 31 de julho de 2019

Quantas galáxias existem universo?

Sendo o Universo infinito, como se considera que seja, ele possuirá um número infinito de galáxias. Todavia, em geral, quando se diz "Universo", está se referindo ao "Universo Observável", que é apenas a porção do Universo capaz de ser observada da Terra porque a luz teve tempo de chegar aqui desde que ele existe. |sto equivale a uma esfera de quarenta e seis bilhões de anos luz de raio em torno de nós. Nesse volume sabe-se que existem cerca de dois trilhões de galáxias. Como, em média, cada galáxia tem uns cem bilhões de estrelas, isso dá um total de duzentos sextilhões de estrelas.
https://veja.abril.com.br/ciencia/universo-tem-2-trilhoes-de-galaxias-10-vezes-mais-que-o-esperado/
http://www.observatorio.ufmg.br/pas08.htm

A psicologia possui uma grande falha no que tange replicar os seus estudos, quase 70%, será que o status dessa área como ciência deveria ser questionado?

A psicologia, mesmo não sendo uma pseudociência, é uma protociência, isto é, ainda está em desenvolvimento e não atingiu o patamar do "corte epistemológico", apresentado pela física, por exemplo. Ele consiste na consideração de que, a cada momento, a comunidade científica aceita um único paradigma como válido para a explicação dos fatos da ciência em questão. Então não existem "escolas de pensamento" com propostas conflitantes e simultaneamente aceitas por uma parte ou outra da comunidade. Contestações ao paradigma existem, mas se mantêm à margem da corrente principal, em busca de alguma comprovação incontestável que leve a nova proposta a substituir o paradigma vigente e que, então, passará a ser o novo paradigma. Tal situação de protociência também acontece com a sociologia, a economia, a história e a filosofia, mesmo que esta não seja uma ciência.

O que você pensa a respeito da morte?

Algo, por enquanto, inevitável, contudo sem problema nenhum. Morrer é como dormir. Só que não se acorda mais.

A Internet anda cheia de puritanos e moralistas que no fim, são péssimas pessoas que se fazem de boas, chega a ser inacreditável. Como lida com essas situações? Quando vê uma notícia falando de determinada minoria e cheia de comentários retrógrados, ignora ou entra em debate?

Depende. Cada caso é um caso. Às vezes ignoro, às vezes debato, conforme meu julgamento a respeito da oportunidade ou não de debater.

Não vejo razão desta preocupação exacerbada com inteligência.Acho sim, que se deva preocupar com a educação para todos.Detesto tudo que nivele, bem como escritores/filósofos que digam como as outras pessoas devam ser.Vejo pessoas simples que são ótimas na prática, na convivência,no amor ao proximo

Claro. Todavia são as pessoas mais inteligentes que descobrem como ocorrem os fenômenos, que inventam dispositivos facilitadores da vida e assim por diante. Porque para isso é necessário que as pessoas se aprofundem em estudos e a inteligência é, justamente, a capacidade de aprendizado de temas complicados. Isso também vale para a confecção de obras de arte, como escrever um romance, compor uma música, pintar uma tela, projetar uma edificação et coetera. Por isso é que é preciso que, além da educação para todos, essencial, também se empenhe em uma educação especial para superdotados porque, desse modo, se poderá aproveitar sua contribuição para o bem do mundo. Muitos superdotados têm sua superdotação abafada e não a desenvolvem, inclusive mesmo, por isso ser considerado como um tipo de elitismo condenável. Igualitarismo não é considerar que todos sejam iguais e sim propiciar a todos as mesmas oportunidades, concedera a todos os mesmos direitos e exigir de todos os mesmos deveres e mesmas responsabilidades. Reconhecer que há quem seja mais inteligente e quem seja menos inteligente não é deixar de ser igualitário. Do mesmo modo que reconhecer que há quem seja mais forte e quem seja mais fraco, quem seja mais ágil e quem seja menos ágil, quem seja mais bonito e quem seja mais feio, quem seja mais magro e quem seja mais gordo, quem seja mais alto e quem seja mais baixo. Isso não significa atribuir valor humano maior ou menor em função dessas características. Como não se pode atribuir valor humano em razão da riqueza ou da pobreza.

Uma pessoa sem o hábito de ler poderia começar por uma grande obra,como Ilíada e Odisseia ?

Claro que sim. Mas pode ser que não se sinta cativada pela leitura.

Vixe. Como alocar recursos (no mundo real são escassos), que via de regra orientam as atividades econômicas onde induz as decisões dos agentes econômicos, nessa "economia de troca"? Cara isso é bizarro.

Não é economia de troca e sim economia de doação. Sem troca. Todos fazem tudo o que normalmente fazem e doam aos outros, sem troca. Como todos doam para todos, todos terão tudo que necessitarem. Claro que, a princípio, vários terão menos do que têm em uma economia de trocas. Mas muitos terão mais do que têm. E se, também, essa for uma economia de compartilhamento, o pouco que se tiver, compartilhado, será bastante. Por exemplo, com a abolição das residências monofamiliares e, mesmo, da família monogâmica. Alojamentos coletivos, refeitórios coletivos, lavanderias coletivas, garages coletivas (sem veículos particulares), salas de laser coletivas e por aí vai.

O comunismo, ou "comunitarismo", é uma utopia. Já foi refutado há muito tempo. Você acredita nele por causa dessa sua ingenuidade de pensar que as pessoas são boazinhas e honestas.

As pessoas não são nem boazinhas nem malvadinhas. Elas são capazes de fazer o bem e de fazer o mal. É uma questão de educação torná-las bondosas. Mas não uma educação de um indivíduo. É um processo social a ser encetado por gerações a fio. Ao fim do qual, séculos depois, a humanidade será quase unanimemente composta de pessoas de bem. O que não dá certo no "comunismo" é a concepção errônea de que o comunismo seja o sistema de economia centralizada e estatizada, acompanhado de um sistema político autocrático e policialesco, com uma sociedade privada de liberdades. Isso, realmente, é péssimo e não dá certo. Mas isso não é comunismo. Se começarmos agora a instar com a juventude para que sejam honestos e bondosos e isso for algo insistentemente inculcado por séculos e séculos, acabará dando resultado. Enquanto isso é preciso que a desonestidade e a malvadeza sejam exemplarmente punidos.

Ué, o resto civilização se desenvolveu e saímos dessa fase primitiva de "economia de doação". Vamos retroceder então? Não faz sentido...

Pelo contrário. Faz o maior sentido. E isso não é um retrocesso e sim um progresso. A economia de trocas é que foi um retrocesso. Uma evolução para pior da sociedade. Do mesmo modo que a evolução para o patriarcalismo, para o individualismo (mesmo que familiar), para o sectarismo religioso e muitas outras escolhas na linha evolutiva social da humanidade. Evolução não significa, necessariamente, melhoria. Mesmo a evolução biológica. Há evolução para pior. Uma vez que somos uma espécie inteligente e consciente, podemos avaliar nossos erros e corrigi-los. Isso é o que sempre propuseram vários líderes religiosos e filosóficos, como Moisés, Buda, Sócrates, Jesus, Maomé, Lutero, Marx, Nietzsche, Gandhi, Luther King, Mandela. Muitos se equivocaram em vários aspectos (como na consideração da existência de uma realidade espiritual) mas, em geral, suas propostas eram no sentido de levar melhorias para a humanidade e contrariar o que estava estabelecido. Grande parte do que fica estabelecido não é o mais benéfico para todos mas o mais benéfico para alguns que detêm o poder de estabelecer como tudo tem que ser. Se isso não for o melhor para todos, é preciso que se insurja contra e se mude. E a melhor maneira de promover as mudanças, de forma que sejam duradouras e bem assentadas, é por uma evolução dirigida para o bem e não por nenhuma revolução.

Ué, o resto civilização se desenvolveu e saímos dessa fase primitiva de "economia de doação". Vamos retroceder então? Não faz sentido...

Pelo contrário. Faz o maior sentido. E isso não é um retrocesso e sim um progresso. A economia de trocas é que foi um retrocesso. Uma evolução para pior da sociedade. Do mesmo modo que a evolução para o patriarcalismo, para o individualismo (mesmo que familiar), para o sectarismo religioso e muitas outras escolhas na linha evolutiva social da humanidade. Evolução não significa, necessariamente, melhoria. Mesmo a evolução biológica. Há evolução para pior. Uma vez que somos uma espécie inteligente e consciente, podemos avaliar nossos erros e corrigi-los. Isso é o que sempre propuseram vários líderes religiosos e filosóficos, como Moisés, Buda, Sócrates, Jesus, Maomé, Lutero, Marx, Nietzsche, Gandhi, Luther King, Mandela. Muitos se equivocaram em vários aspectos (como na consideração da existência de uma realidade espiritual) mas, em geral, suas propostas eram no sentido de levar melhorias para a humanidade e contrariar o que estava estabelecido. Grande parte do que fica estabelecido não é o mais benéfico para todos mas o mais benéfico para alguns que detêm o poder de estabelecer como tudo tem que ser. Se isso não for o melhor para todos, é preciso que se insurja contra e se mude. E a melhor maneira de promover as mudanças, de forma que sejam duradouras e bem assentadas, é por uma evolução dirigida para o bem e não por nenhuma revolução.

A relatividade viola a conservação de momento e energia?

Não. Pelo contrário. É justamente pela conservação da energia e dos momentos linear e angular que se deduzem as expressões das transformações relativísticas das grandezas dinâmicas, no estudo das colisões a altas velocidades e considerando a validade das transformações relativísticas das grandezas cinemáticas. E isso é confirmado experimentalmente e usado, por exemplo no funcionamento de dispositivos, como os aceleradores de partículas síncrotron.

"Então os impostos, pagos mais pelos ricos do que pelos pobres" Parei aqui. Você vive no mundo da lua!

Claro que é. Os ricos pagam, cada um, uma fração menor de seus rendimentos do que os pobres. Mas o valor pago por cada rico é muito maior do que o valor pago por cada pobre. Imposto é uma forma de distribuição indireta de renda. Porque os pobres usam mais os serviços públicos do que os ricos. E é assim que tem que ser mesmo. Inclusive seria melhor que a alíquota dos impostos fosse uma função contínua da renda e não por faixas, Pode-se usar uma função do tipo arcotangente, que se presta de forma excelente para isso.

https://ask.fm/wolfedler/answers/145455167005 O que te convenceu de que esse 'mundo' é realmente possível?

A observação de que esse é o desejo da maioria das pessoas e de que a maioria das pessoas é capaz de assumir os condicionantes para que tal mundo aconteça, isto é, serem altruístas e virtuosas. Portanto a constatação que, pela educação, com um aprimoramento gradual disso, geração após geração, se conseguirá obter uma população maciçamente predominante de pessoas virtuosas e dispostas a se empenhar na obtenção desse mundo ideal. Suponhamos que a cada geração, o processo educacional consiga converter em virtuosas, um sétimo das pessoas que não o sejam e que, atualmente, três sétimos das pessoas não o sejam. Então, depois de uma geração, esse total será reduzido para seis sétimos de três sétimos, isto é, dezoito quarenta e nove avos. Depois de duas gerações, para seis sétimos de dezoito quarenta e nove avos, isto é, cento e oito trezentos e quarenta e três avos. Depois de três gerações para seiscentos e quarenta e oito dois mil quatrocentos e um avos. Depois de quatro gerações, isto é, apenas um século, chegará a a cento e cinquenta e oito seiscentos e oitenta e três avos, ou seja, a população terá setenta e sete por cento de pessoas virtuosas. Ao fim de dois séculos, isto chegará a oitenta e seis por cento. Ao fim de três séculos a noventa e três por cento.

Benfeitorias providas pelo estado? O que o estado produz?

O estado provê a educação pública, a saúde pública, as vias públicas, o saneamento público. Se não houvera isso tudo, a maior parte da população não teria dinheiro para arcar com tudo isso de modo particular. Então os impostos, pagos mais pelos ricos do que pelos pobres, promove a possibilidade das pessoas pobres terem acesso a isso tudo.

Professor, mas com certeza aquele qi de 165 do Sartre era no aspecto lógico, já que foi filósofo, talvez fosse no linguístico-verbal, que envolve lógica. O ponto é que eu acho que se chopin se interessasse por matemática, ele conseguiria aprender com facilidade, mesmo sua inteligência sendo musical

Costuma haver muito o "fator global" da inteligência, que consiste no fato de que uma pessoa muito inteligente em um dos aspectos da inteligência também o seja nos outros, se não todos, porém vários. Todavia isso não é sempre que acontece. Em alguns casos a pessoa pode ser muito inteligente em um ou uns aspectos e não o ser em outros. Os aspectos musical e matemático são próximos, portanto matemáticos podem também ser bons músicos e vice versa. Mas cada caso é um caso e não se pode afirmar que alguém que seja um músico muito bom também seja um matemático muito bom. Do mesmo modo que uma pessoa pode ser um ótimo jogador de xadrez e não ser inteligente em matemática de modo geral.

https://goo.gl/s9815h Já que o estado é inútil... Nada mais justo, agora, do que os moradores sonegarem imposto. Sonegar é belo e moral!

Não. Em absoluto! Uma coisa é não haver imposto em uma situação em que não haja estado e tudo seja provido pelas próprias pessoas. Outra é a situação em que grande parte das necessidades da população é provida pelo estado (como acontece hoje) e o estado obtém recursos para fazer isso a partir dos impostos que arrecada. Então, não pagá-los é privar a população das benfeitorias providas pelo estado, como educação, saúde, saneamento, segurança, transportes e tudo o mais. Impostos deve acabar sim, mas no bojo de uma mudança radical da concepção política e econômica do mundo, que há que se dar por meio de uma evolução gradual.

O tempo todo tem artistas negros acusando artistas caucasianos de "apropriação cultural". Um assunto polêmico, qual a sua visão a respeito?

Minha opinião é que isso que se chama de "apropiação cultural" é apropriação mesmo mas é algo perfeitamente aceitável e legítimo.Do mesmo modo que negros se apropriaram de costumes caucasianos, como vestimentas e vários outros. Bem como chineses, japoneses, indianos e outros povos se vestem à moda ocidental. Ou os índios. Isso não é problema nenhum. Como não é problema usar fantasia de índio, de árabe, de esquimó ou do que for. Cultura não é algo de propriedade privada de nenhum povo. É do mundo. Tudo o que se cria em alguma cultura pode ser usado por qualquer um. Essa globalização é que permite o progresso do mundo. Se tudo o que fosse desenvolvido por alguma cultura só pudesse ser usado por seus membros o mundo estaria muito atrasado. Principalmente se tudo que os europeus e seus descendentes nas Américas inventaram e criaram só pudesse ser usado por eles.

Toda vez quando leio "Economia de Doação" eu começo a rir, não sei o porquê.

É porque você considera que o ser humano seja intrinsecamente incapaz de ser altruísta. A Economia de Doação existe em tribos primitivas, bem como de compartilhamento total, inclusive de maridos e mulheres. Mas ela também pode ocorrer em sociedades e culturas sofisticadamente civilizadas. O que ela requer é que as pessoas sejam altruístas e virtuosas. E isso é algo possível de ser alcançado pelo processo educativo ao longo de várias gerações.

Professor, ciência e filosofia se contrapõem?

Não. Cada uma tem o seu campo e o seu método. O que acontece é que muitos temas anteriormente tratados como filosóficos passaram a ser científicos porque a ciência vai ampliando sua abrangência em razão de adquirir mais ferramentas de investigação. Isso aconteceu com a psicologia e com a cosmologia, por exemplo. Normalmente os resultados científicos têm primazia sobre os filosóficos em razão do método científico que se fundamenta na vitória sobre todas as contestações de alguma explicação. Todavia há vários temas que a Ciência não é capaz de abordar, inclusive mesmo, de modo incontornável. Eles ficam, portanto, sob o domínio exclusivo da Filosofia.

Li em algum lugar que a capacidade de armazenamento de informação do cérebro é superior a todos os dados da internet. Eu não entendo, pq temos todo esse espaço disponível se não podemos utilizar tudo já que a vida humana é muito curta para conseguir todos os dados. Isso é algum tipo de erro natural?

Não sei se é isso mesmo, mas pode ser que seja. Todavia, se o for, não há uma razão para que tenhamos que conseguir aproveitar toda nossa capacidade mental. Não somos só um cérebro e sim um organismo completo. E esse organismo sofre uma senescência, ainda não contornada. Daí que o tempo de vida do organismo não é suficiente para que se possa acumular toda a capacidade do cérebro em registros de memória, tanto declarativa quanto procedural. A evolução que nos propiciou essa capacidade não é um processo planejado. Vai acontecendo ao acaso. E não é preciso que a melhoria de algum aspecto seja acompanhada da melhoria de outro. Pode ser que ainda evoluamos no sentido de termos um tempo maior de vida. Ou não. essa evolução, inclusive, pode vir a ser provocada. A evolução natural, contudo não erra, simplesmente porque ela não tem pretensão de fazer nada. Tudo vai aparecendo sem razão e sem propósito.

Estou lendo "Um Universo Que Veio do Nada", de Lawrence M Krauss. A teoria dele está realmente correta?

Sim, só que o que ele chama de "O Nada", de que o Universo viera, não é, absolutamente, uma ausência do que quer que seja (conteúdo, espaço vazio e tempo) e sim um vácuo, isto é, um espaço sem matéria (quarks e léptons), mas preenchido por um campo. O que ele não explica é como se teria dado o surgimento desse campo, isso sim que seria o surgimento do Universo. O surgimento de léptons e quarks a partir desse campo foi apenas uma transformação do Universo.

http://www.eoht.info/page/Jean-Paul+Sartre com esse qi de 165, Sartre poderia aprender matemática avançada facilmente?

Não necessariamente, porque a inteligência pode ser grande mas voltada para alguns aspectos e não outros. Uma grande inteligência para ciências exatas não implica, necessariamente (mas pode ser que sim) em uma grande inteligência para ciências humanas, artes ou negócios, por exemplo. E vice-versa. Um pintor genial pode ser um advogado medíocre. Um psicólogo genial pode ser um matemático medíocre. E por aí vai.

Stálin foi um homem de coração enorme professor! puniu os traidores, caçou os nazistas e trouxe a tão sonhada paz mundial colocando a bomba atômica no encalço dos bonzinhos Yankees..lembre-se disso professor Ernesto, grandes sonhos exigem grandes sacrifícios...

De modo nenhum. Stálin foi o maior assassino de russos da história. Bem como de vários outros povos. Nada de bonzinho. Um facínora tanto quanto Hitler. Um traidor do comunismo, como Lênin.

Sobre os médicos cubanos no Brasil: https://www.youtube.com/watch?v=gm4rmyrcpNE Concorda com Bolsonaro?

Sim, concordo. Sou a favor da importação de médicos, pois há escassez deles em áreas em que os brasileiros não se interessam em trabalhar. Mas não nas condições em que os médicos cubanos vieram. Sem a revalidação do diploma, sem poder trazer a família e com essa expatriação de quatro quintos do salário.

poderia abrir uma empresa estatal para que esses cães sejam vendidos para os chineses comer. https://www.facebook.com/amaury.gomes.14/posts/1341430135937739

Não concordo que se matem animais sencientes, exceto em legítima defesa. Inclusiva porcos, vacas, frangos, cordeiros, peixes e todo o tipo de animal que é abatido para alimentação.

Essa grau de consciência e de compostura não é algo que advém do comunismo. Mas não entendo, de fato. Como assim "Considerar que não se deva ter propriedade não é achar que se possa fazer uso indiscriminado do que seja dos outros" - Como assim ? Se não há propriedade não há posse, incoerência sua.

Não é incoerência. Acontece que, atualmente, existe propriedade. O ideal é que não exista. Para se chegar a tal estado é preciso que a sociedade evolua. Essa evolução é demorada. Por enquanto, como há propriedade, é preciso que ela seja respeitada. No caso da propriedade ser indevida, como o produto de um roubo, então tem que ser recuperada para seu dono. Respeitar a propriedade enquanto ela existe não é incoerente com o projeto de que ela deixe de existir. Mas isso não é para ser feito roubando. Cada um tem que abdicar de sua propriedade para a coletividade. Isso é que é evolução. Assim é que tem que acontecer.

Singularidade, por definição, é um ponto de tamanho zero e densidade infinita. Mas como algo pode existir, se isso não tiver tamanho?

Não existe! É só uma concepção teórica.

Sou ateu e sou apartidário. Não gosto muito de rótulos, muito menos na política. Seria eu um anarquista? E se eu sou, qual tipo: o anarquismo insurrecionário ou o anarquismo social?

Se você não gosta de rótulos, não importa que tipo de anarquista seja. O que importa é se você considera que governo é algo intrinsecamente mau e que, portanto, deve ser abolido. Anarquista não precisa ser ateu. Mas é mais coerente se o for. Uma insurreição, como já comentei várias vezes, não é a boa maneira de se instaurar a anarquia. Porque, em sendo vencedora, precisará conter os derrotados e isso terá que ser feito pela força, que é algo incompatível com a anarquia. Ela tem que ser adotada por consenso unânime de todo o povo, bem com da elite. Por isso só vai ser alcançada por evolução civilizatória. É isso que é preciso ser feito. Conscientizar, especialmente a juventude, do valor superior da anarquia, bem com do comunismo, no aspecto econômico. Acabar com a economia de trocas (mesmo que não usando dinheiro como intermediário) e passar para a "Economia de Doações", sem trocas. Todo mundo fazendo tudo de graça e dando para os outros sem pedir nada em troca.

"Os intelectuais se acham o máximo. Acham que de dentro da sua sala ou escritório de trabalho compreenderam tudo, que sabem como a sociedade deveria funcionar, etc." O que acha desta frase?

Verdadeira. Realmente os intelectuais têm uma compreensão maior da realidade porque se debruçam para examiná-la. Mas não apenas teoricamente. Também fazem levantamentos sociais. Sua vantagem está em que detêm uma visão compreensiva da realidade que as pessoas do povo não possuem. Por isso é que os intelectuais é que propõem os grandes projetos sociais que modificam, para melhor, a vida das pessoas. Os empresários, os militares, os religiosos, e outros segmentos, inclusive da elite, vêm o mundo através das lentes de sua situação. Só os intelectuais é que têm uma abertura de mente suficiente para abarcar tudo. O mundo seria extremamente cruel se não fosse o trabalho dos intelectuais, dos filósofos ou seja, dos que pensaram a sociedade e acharam soluções para suas mazelas. O mesmo se pode dizer dos cientistas. Eles acham isso mesmo e estão cheios de razão de assim acharem. Sou um intelectual e me orgulho muito de o ser, pois vejo que, assim sendo, posso dar uma grande contribuição para o bem do mundo, difundindo ideias. São as ideias que dão início às mudanças. Claro que é preciso haver as pessoas de ação. Mas nenhuma ação leva a algum lugar se não for fundamentada em ideias.

Criar galinhas para consumir os ovos é antiético?

Depende do modo como são criadas. Se o forem livres e soltas e não engaioladas, não é, desde que não se matem os pintinhos machos. O que não é ético é causar sofrimento aos animais. Tem que deixar elas morrerem de velhice.

Existe definição para "número"?

Depende de cada tipo de número. Número natural é a propriedade comum entre conjuntos cujos elementos podem ser colocados em correspondência biunívoca. Esses elementos podem ser de qualquer natureza. Se para cada elemento de um dos conjuntos houver um e um só elemento do outro e vice-versa, esses conjuntos possuem o mesmo número de elementos. A partir do número natural os demais conjuntos numéricos vão sendo construídos. Mas isso é um processo complexo que não dá para explicar a não ser em várias páginas de livro. Consulte um livro de "Álgebra Moderna".

Tem alguma aplicação em física dos conjuntos superiores aos do complexo? Quatérnios, hiper-reais.

Sim, toda a relatividade geral pode ser formulada em termos de quatérnios, por exemplo. Do mesmo modo que o eletromagnetismo, a mecânica dos fluidos e dos corpos deformáveis. Os quatérnios se prestam a descrever qualquer tipo de espaço de quatro dimensões pseudo-riemanniano, como é o caso do espaço-tempo. E a dinâmica, mesmo não relativística, é uma teoria das ocorrências dos sistemas no espaço-tempo. Do mesmo modo que a eletrodinâmica.

Professor, em um trecho do Guardador de Rebanhos de Fernando Pessoa : "Mas se Deus é as flores e as árvores E os montes e sol e o luar,Então acredito nele,E a minha vida é toda uma oração e uma missa, E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos." Seria uma abordagem panteísta ou pandeísta?

Tanto pode ser uma quanto a outra porque não se diz se esse deus atende ou não preces.

Não há problemas em um sujeito qualquer entrar na sua casa, beber na sua caneca, comer os petiscos da sua geladeira, sujar a sua cama com barro, fazer uma festinha sem sua permissão na sua propriedade, e coisas do gênero ? Afinal, você é comunista e comunista é contra a propriedade privada.

Você não entende. Considerar que não se deva ter propriedade não é achar que se possa fazer uso indiscriminado do que seja dos outros. Comunismo requer um elevadíssimo grau de civilização e de virtude de todo mundo. Um imenso respeito pelas outras pessoas. Por isso é que comunismo, bem como anarquia, não podem ser implantados por nenhuma revolução e sim por evolução civilizatória da humanidade. Como na atual sociedade existe propriedade, ela tem que ser respeitada. O que se deve é, voluntariamente, compartilhar o máximo possível o que se possui com todos. Mas sempre dentro de um espírito de respeito. Anarquia, absolutamente, não é bagunça. Pelo contrário, é o suprassumo da ordem, porque é uma ordem assumida espontaneamente sem imposição e sem constrangimento. É uma sociedade sem polícia porque ninguém comete crime nenhum porque não quer. Não precisa de polícia, não precisa de advogados, pois todo mundo é honesto, não precisa de juízes. Isso é que é civilização. Todo mundo virtuoso, educado, solícito, generoso, cortês, gentil, diligente, prestativo, solidário. Do mesmo modo que muito culto e instruído. E mais: elegante, refinado. Assim é que o mundo tem que ser e será.

Você foi criado sem religião ou abandonou sua fé ao longo da vida?

Não. Eu fui criado como católico. Na adolescência e juventude eu era um católico fiel e piedoso e queria ser santo. Tanto que me aprofundei no estudo da doutrina católica. E quando eu me aprofundo no estudo de algo eu me aprofundo mesmo. Como também sempre adorei estudar, especialmente o que não era dado na escola, estudava evolução, neurociências, cosmologia, história (nos livros de nível superior do meu pai, desde que estava no ginásio), filosofia e outras religiões e com isso, fui concluindo pela impropriedade de qualquer fé, de modo que entre meus dezenove e vinte e três anos, mais ou menos, me tornei ateu. Desde então só venho reforçando minha incredulidade na existência de qualquer tipo de realidade sobrenatural.

Qual obra convenceu você de que o anarquismo é a melhor opção política?

Nenhuma em particular. Aliás eu me tornei anarquista antes de ler qualquer obra sobre anarquismo. Foi uma conclusão minha a partir de minhas reflexões sobre o modo como a humanidade se estabelece politicamente. Do mesmo modo que me tornei comunista sem ter lido nenhuma obra de nenhum autor comunista e sim por pensar como deve ser a melhor maneira da humanidade se estabelecer economicamente. Depois é que eu procurei se alguém já havia tido essas ideias. Da mesma forma que minhas concepções sociais libertárias. Já meu ateísmo adveio de meus estudos de religiões, de evolução, de neurociências, de história e de cosmologia, dos quais eu concluí que a suposição da interveniência de algo que seria um deus nisso tudo é completamente dispensável. Penso que qualquer um que refletir sobre filosofia política e filosofia econômica (não sobre política e economia e não por estudar essas filosofias, mas pensar nelas), se for uma pessoa sensata e comprometida com o bem do mundo, concluirá pela grande superioridade da anarquia e do comunismo sobre os demais sistemas políticos e econômicos. E concluirá pela superioridade do libertarismo sobre o conservadorismo e o tradicionalismo. Do mesmo modo que repudiará qualquer dogmatismo, mesmo um dogmatismo comunista ou um dogmatismo anarquista.

Comente: Se é eterno não teve princípio, se não tem princípio é infinito, se é infinito não está em nenhum lugar, se não está em nenhum lugar não existe. (Górgias)

Nada disso. Para começar, qualquer coisa só pode ser dita eterna se sua existência se tenha dado ao longo do tempo. Portanto, para haver algo eterno é preciso que o tempo seja eterno. Se não for, nada pode ser eterno. Admitamos que seja, então, é claro, que algo que seja eterno não teve um momento em que tenha começado. Mas isso não significa que seja infinito, pois infinito se refere a extensão no espaço e não duração no tempo. Algo pode ser infinito e não ser eterno, do mesmo modo que ser eterno e não ser infinito. Para algo ser infinito, é preciso que o Universo seja infinito. Admitamos que seja. Então, é claro, que algo que preencha todo o Universo não possui localização, pois localização é uma particularização da abrangência espacial de algo a uma parte do Universo e não a ele todo. Todavia algo poderia não ter localização, exatamente por abranger a totalidade do espaço (mesmo que o espaço não seja infinito) e, verdadeiramente existir. Não se situar em um particular lugar não implica em não existir se isso se deve, justamente, ao fato de ocupar a totalidade dos lugares. Para algo que não preencha a totalidade do espaço, aí sim, não estar em algum lugar significa não existir.

Grande professor Ernesto von Rückert! o nosso Joseph Stalin brasileiro! viva! viva! viva lá revolucion!

Rejeito peremptoriamente tal comparação. Stálin foi um crápula, uma pessoa execrável, tão pérfido quanto Hitler. Um traidor do comunismo, ao lado de Lênin e todos os bolchevistas. Sou comunista com grande orgulho, mas verdadeiramente comunista. Um anarco-comunista. Libertário. Não um socialista estatista como esses. Não a favor de ditaduras como eles. Não um chefe de estado opressor e policialesco como o que eles chefiaram. Isso é abominável. Esquerdistas estatistas e autocratas são o "lado mau" da esquerda.

O problemas de muitos teóricos das cordas é esse. O realismo científico, que deveria ser adotado, deu lugar a um antirrealismo infundado. Oras, desde quando, a teoria das cordas é válida apenas por ser consistente matematicamente, independentemente da evidência que existe que elas existem?

Esse é, realmente, um grande problema. Mesmo que seja plausível e consistente internamente, se não se tiver uma comprovação fática de que, de fato, assim o seja, há que se considerar a "teoria das cordas" e as demais que lhe sucederam, como apenas uma "proposta de teoria", a ser considerada como teoria quando e se for comprovada por alguma evidência fática. Foi o que aconteceu com as propostas da "teoria quântica" e das "teorias de relatividade restrita e geral". Só foram admitidas como teorias depois que evidências experimentais ou observacionais a confirmaram, mesmo que indiretamente. Do mesmo modo que as leis do movimento de Newton e sua "lei da gravitação universal", bem como as equações de Maxwell.

Professor. Só uma duvida. Como as coisas não são estáticas, ou seja, estão em constante movimento, logo as coisas mudam junto, mesmo que sejam elas palavras ou sentimentos, então não seria verdade absoluta, apenas uma adequação sobre algo por um dado momento, certo ?

Verdade é só verdade, isto é, adequação entre a realidade e o que se diz a respeito dela. Se a realidade é mutável, o que se disser a respeito dela também tem que mudar para continuar a ser verdade. Verdade não implica em imutabilidade. O adjetivo "absoluta" não é adequado para qualificar a verdade. Não é preciso adjetivo nenhum. O que acontece é que, muitas vezes, o que se tem como verdade não é verdade mas suposta verdade. Que costuma ser chamada de "verdade subjetiva". Como nossa percepção da realidade não é perfeita, não se pode ter garantia de se ter a verdade a respeito de algo. Então o que se considera como "verdade absoluta", seria a convergência de muitas "verdades subjetivas", ou seja, uma "verdade objetiva". Mesmo assim não isso não é garantia de veracidade, pois até muitas coincidências de assertivas tomadas por verdadeiras podem padecer de enganos de percepção.

Anitrrealismo, o que acha? A existência de átomos não tem importância, tanto que a teoria cinética dos gases seja consistente com a suposição de que existem. Os antirrealistas argumentam também que como átomos não são diretamente observáveis, a teoria pode ser válida apenas com a suposição d q exist

Uma suposição inteiramente inválida. Os átomo são reais e são observáveis sim, mesmo que indiretamente. Não é só a suposição de sua existência que confere validade a teorias que assim o consideram. Essa existência é comprovada. Ser diretamente observável não é necessidade nenhuma para se conferir realidade ao que quer que seja. Mas tem que haver algum modo de, mesmo indiretamente, aferir a realidade do que se está considerando. E isso tem que se lograr vencedor de todas as tentativas de refutação. O que não acontece com a existência de espíritos e deuses. Ou mesmo, por exemplo, do "eterno retorno" de Nietzsche.

Professor, estou muito preocupada. Tenho 20 anos e ainda não entrei em uma faculdade e nem sei qual curso quero estudar. Me interesso por varios assuntos mas não sei se conseguiria trabalhar com algo relacionado a eles o resto da minha vida...Algum conselho?

Para começar, não é preciso fazer faculdade nenhuma para se encontrar uma atividade satisfatória para se viver dela. Há muito mais que não requerem curso superior do que as que requeiram. Isso não significa que não se deva fazer faculdade, mas sim que se deva fazer se o que se deseja fazer assim o requeira. Depois é bom pensar que as melhores atividades não são as que se exerce como empregado e sim as que se exerce de modo autônomo, como empresária ou profissional liberal. A atividade profissional mais genérica que se tem com um curso superior é a de administrador, já que se aplica à maioria das atividades econômicas e, portanto, a pessoa pode mudar de ramo sempre que quiser.

Sim, mas o mundo não é assim, então você precisa de dinheiro. Ou vai dizer que quando você precisa pagar uma conta no banco você chega lá e faz esse dircurso todo para não precisar pagar? Rs

Mas o dinheiro que eu tenho é suficiente. Não preciso de mais. Posso fazer vídeos de divulgação científica, filosófica, artística e cultural de graça.

Qual o objetivo de se fazer Pós Doutorado? E as Universidades remuneram melhor professores que obtém este título?

O pós-doutorado, em verdade, não é um curso e sim um estágio em pesquisa avançada, a ser feito sob a orientação de um pesquisador de renome, para promover o desenvolvimento daquele tipo de pesquisa na instituição de origem do treinando. Há um adicional salarial pela detenção desse título sim, mas, mesmo que não houvesse, o pós-doutorado é muito importante para o desenvolvimento da pesquisa e a consequente obtenção de conhecimento. E conhecimento é importante, mesmo que não promova nenhuma vantagem econômica.

Professor, tu acha que a crise financeira do Brasil vai passar em curto prazo? Estou desesperado para conseguir um emprego e nada, e nada. O que tu achas? Obrigado.

Infelizmente não acho que vá melhorar em curto prazo não. O negócio é encontrar uma fonte de renda que não seja emprego, trabalhando por conta própria, mesmo que seja como camelô. Ou, provisoriamente, aceitar se empregar em um trabalho diferente de sua formação.

Professor, teologia é inútil para a humanidade? É uma área do conhecimento que só desperdiça tempo e recursos, sem qualquer esperança de retorno futuro e positivo à humanidade?

Sim. Uma vez que não se tem nenhuma garantia de que deuses existam, o estudo de suas características, propriedades, modo de ser e de agir é algo totalmente despropositado e consumidor de tempo, esforços e recursos que poderiam muito bem serem aplicados em algo muito mais proveitoso. O que acontece é que, normalmente, os detentores do poder se unem aos lideres religiosos para fazer com que a população, em atendimento a preceitos religiosos, se torne dócil aos desígnios dos poderosos sobre ela. Isso é uma tremenda crueldade, que os marxistas denunciaram e tinham razão, mesmo não o tendo quanto a outros aspectos. De fato "a religião é o ópio do povo". Por isso é necessário um grande trabalho de esclarecimento das pessoas para que deixem de ser religiosas. Isso é para o bem do mundo, o progresso da humanidade, o bem estar das pessoas, o prevalecimento da justiça, da ética e da virtude.

A renda do youtube iria para a biblioteca, meu caro, pense mais amplamente..

Exatamente por isso é que prefiro não auferir lucro com vídeo nenhum. Porque estarei dando exemplo e difundindo meus ideais anarquistas de não haver dinheiro no mundo e tudo ser de graça.

Ernesto, qual seria a idade ideal para começar a cursar Direito? Tenho 25 e comecei este ano. Estou pensado e abdicar do meu emprego para me dedicar 100% ao curso.

A idade ideal para começar qualquer curso superior é 17 anos. Mas pode-se começar a qualquer idade, sem problema, desde que ainda se esteja vivo. Se você tem como se sustentar, compensa se dedicar exclusivamente ao curso que fizer. Se se dedicar mesmo.

Porém, o youtube ganhará muito dinheiro às custas dos seus vídeos, caso obtenha muitas visualizações. Nada mais correto do que uma parte do dinheiro gerado ir para você, mesmo não sendo essa a intenção principal.

Sou a favor da extinção do dinheiro do mundo. Para mim tudo deve ser de graça. Como ainda não obtenho tudo de graça, concordo em ganhar algum dinheiro. Mas o que eu já ganho é suficiente. Não quero mais.

Youtube da dinheiro também, não tem tempo pra ele?

Quando eu tiver tempo, não vou usá-lo para ter alguma renda, mas para disseminar conhecimento e para polemizar. De graça.

Colapso de função da onda é quanto o comportamento ondulatório da partícula se reduz a uma região concentrada, descrita pela função de onda, que se torna, então, partícula?

Função de onda é uma representação matemática do estado de um sistema. Pode ser no espaço das posições, dos momentos lineares, dos momentos angulares, das energias ou outras variáveis. Para cada valor possível de alguma grandeza que se possa medir e seja descritiva de algum aspecto do estado do sistema, há um estado que faz com que ele assuma um valor específico da dita grandeza, chamado de "auto estado". Se não se estiver medindo essa grandeza, o sistema se encontra em algum estado que seja uma mistura de auto-estados. Ao se proceder a medida da grandeza, o sistema passará a ficar no auto-estado correspondente ao valor que se obteve e, então, a função de onda deixa de ser uma mistura e passa a ser a que corresponda ao estado obtido. Isso é o que se chama de "colapso da função de onda". Isso não tem nada a ver com a localização, exceto se a grandeza que estiver sendo medida for a posição. Mesmo assim, a auto-função correspondente ao auto-estado que seja associado a alguma particular posição não é uma função que tenha dispersão nula. A posição medida é a posição correspondente ao máximo de intensidade da função de onda.

O que você ganha criando polêmica?

Eu, nada. Mas o mundo, muito. Porque polêmica é importante para as pessoas se conscientizarem de que, cada assunto, pode ter várias formas de ser interpretado e encarado e é preciso conhecer todas (ou, pelo menos, várias), para se fazer a escolha de qual aderir. E, justamente, polemizando, são apresentados as características de cada aspecto e os argumentos que as defendem. Saber isso é ótimo. Por exemplo, religião. É preciso que se conheçam as diferentes propostas, suas doutrinas, suas práticas, suas organizações e tudo o mais de modo que se possa optar, conscientemente, por qual delas aderir ou nenhuma e não apenas acatar a que seja adotada pelo entorno familiar e social em que se está inserido. Do mesmo modo as ideologias políticas, econômicas e sociais e tudo o mais. Até as interpretações da mecânica quântica, as teorias sobre a origem do Universo e o surgimento da vida, bem como o surgimento dos idiomas etc.

Prove tudo o que diz!

Nem tudo o que digo possui prova. Muito é o que eu "acho". Nem por isso deixo de dizer e penso que todos têm pleno direito de o fazer. Mas não coloco como algo incontestável. Tudo o que eu digo é para ser examinado, criticado e contestado, se for o caso. Mas é ótimo que seja dito, justamente para provocar polêmica. Jamais tenho certeza do que digo. Mas tudo o que eu digo é aquilo de que estou plenamente convencido. A não ser que eu diga que não sei.

Interpretação de muitos mundos?

Para mim não é correta. Essa é uma interpretação quântica que não pode ser confundida com a interpretação cosmológica de universos paralelos, também incorreta, no meu entender. A interpretação de muitos mundos foi aventada para dar uma interpretação à característica probabilística da mecânica quântica. No meu entendimento, as possibilidades que não venham a ocorrer ao se fazer uma medida, com o colapso da função de onda, simplesmente ficam goradas e não acontecem em lugar nenhum. Muitos cientistas, como Bohm e o próprio Einstein, não aceitavam que a natureza não fosse determinista e nem causal, mas casual. Isso é uma questão de preconceito deles.

Como surgiu seu interesse por astronomia?

Isso me foi despertado, ainda na infância, por minha mãe, que adorava ciências em geral, principalmente química, biologia e astronomia, mas também, mesmo menos, matemática e física. Meu pai, por outro lado, me puxava para história, geografia, sociologia e filosofia. E ambos adoravam música clássica e artes em geral. Assim fui criando em um ambiente muito intelectualizado, com o que me embebi com muito gosto. Por meu gosto próprio eu também me interessei muito por engenharia mecânica e eletrônica, bem como arquitetura. Apesar de meu pai ter estudado direito e contabilidade esses temas nunca me interessaram. Nem medicina.

Você luta para fazer o que gostaou se conforma apenas com o que faz?

Eu faço o que gosto. Portanto me conformo com o que faço, pois já é o que gosto. Felizmente, em toda minha vida, sempre trabalhei fazendo o que gosto. E nunca tive que solicitar um trabalho. Todos me foram oferecidos. Sempre fui convidado, mesmo no caso de funções que exerci por aprovação em concursos. Uma vez que sempre fui um aluno de desempenho acadêmico elevado, meus professores consideravam que eu desejaria ser professor também e, mesmo antes de me graduar, já estava lecionando e era isso mesmo que eu queria. Também atuei e agora atuo, em administração escolar, o que não gosto tanto quanto lecionar, mas também gosto. Não gosto de administração financeira e nem de pessoal. Mas com isso eu não mexo.

Prof., qual a razão do desprestígio da Filosofia no mundo atual em prol exclusivo da STEM (science, technology, engineering, mathematics)? Essa compartimentalização do conhecimento é benéfica ou seria essa visão da Filosofia como algo supérfluo e redundante a razão para o estado atual de coisas?

A peste do pragmatismo é a grande vilã que provoca a ojeriza pela filosofia. As pessoas só querem saber do que seja imediatamente útil e aplicável no dia a dia. Não querem cogitar das razões e significados profundos de tudo. Há uma nefanda primazia, colocada tanto pela direita quanto pela esquerda, da economia sobre os demais temas da vida das pessoas, em sociedade ou em privado. Claro que ciência e tecnologia são temas super interessantes e muito importantes. Mas não são os únicos. Há muitos, totalmente inúteis, que são interessantíssimos, como Cosmologia, em que fiz o meu mestrado. Do mesmo modo que música clássica, paleontologia, antropologia, linguística, astrofísica e, principalmente, filosofia. E note que filosofia é algo útil também, especialmente ética, mas, também, epistemologia e metafísica. O mais importante, em relação à filosofia, não é estudar a sua história e sim aprender a filosofar. Em todos os temas. Isso é essencial para se intervir no mundo e mudá-lo para que se torne bom para todos. O conhecimento pode ser compartimentalizado com o fito de se fazer uma abordagem, mas tem que haver algo que promova a sua junção a fim de que se tenha a compreensão global da realidade. Isso a Filosofia faz. Filosofia, absolutamente, não é redundante.

O termo "o universo veio do nada" é o correto? Ou antes do tP era ou é impossível saber qual a real origem o qual ocasionou o início do universo?

O Universo não veio "do nada", porque, então, "nada" seria algo. E "nada", não é entidade nenhuma. O Universo veio "de nada", isto é, surgiu sem ter de que provir. Isso é tão certo que, inclusive, pessoas que consideram que o Universo tenha sido criado por um agente extrínseco a ele (Deus), admitem que esse agente o teria criado sem ter de que produzi-lo. Inclusive porque, se houvera algo de que se fazer o Universo, isso já seria o Universo, só que em outra situação. A alternativa a isso é que o Universo tenha sempre existido. Todavia os dados disponíveis indicam que tal não é o caso. Esse surgimento não teve causa nenhuma. Foi totalmente fortuito. Sem razão e sem propósito. Sem necessidade nenhuma. Não foi resultante de uma flutuação do vácuo, como o quer o Krauss, pois, então, haveria o vácuo, que seria algo. Nem sequer havia um "espaço vazio". Não havia nada, isto é, conteúdo algum (como vácuo que é um espaço sem matéria mas preenchido por campos), sequer espaço sem nada e, do mesmo modo, sem que transcorresse algum tempo. "Nada" não é algo. É a ausência do que quer que se possa conceber.

Mas uma proposição não pode ser lógica?

Pode, se o que ela diz for uma conclusão de um raciocínio válido. Isso, contudo, não significa que seja verdadeira. Lógico e ilógico, verdadeiro ou falso são tipos de qualificações completamente distintas. Algo é lógico se advém de um raciocínio válido, não necessariamente dedutivo. Algo é verdadeiro se diz o que a realidade, realmente, confirma. Proposições quer lógicas, quer ilógicas, podem ser tanto verdadeiras quanto falsas. Ou seja, há quatro possibilidades a esse respeito: ser lógica e verdadeira, ser lógica e falsa, ser ilógica e verdadeira e ser ilógica e falsa. Do mesmo modo que uma proposição pode não advir de raciocínio nenhum e, portanto, não ser nem lógica nem ilógica. Mas pode ser verdadeira ou falsa. Se digo que algo seja vermelho, isso não tem lógica, pois não se trata da conclusão de um raciocínio, mas da constatação de uma evidência. Todavia tal afirmação pode ser verdadeira o falsa a respeito de algo. O conceito de evidência não é um conceito lógico. Quanto algo é lógico é porque se trata de uma conclusão de um raciocínio. Quando é evidente é porque se trata de uma constatação perceptiva. Geralmente quando se afirma algo como lógico é porque não se tem evidência, porque se se tem, não é preciso lógica nenhuma para se dizer. Ou seja, em geral (mas nem sempre), dizer que algo seja lógico é, exatamente, o contrário de dizer que algo seja evidente.

Você já estudou história da segunda guerra mundial? De 0 a 10, onde 0 é que você não entende absolutamente nada (muito difícil) e 10 que você entende tudo de tudo (praticamente impossível), qual é o seu grau de conhecimento?

Conheço algo sobre as duas guerras mundiais sim, mas não com muita abrangência nem profundidade. De zero a dez eu colocaria meu conhecimento como tendo uma nota quatro. Todavia não é porque ache que seja difícil saber e sim porque o assunto não desperta grande interesse para mim. Aliás não gosto de guerra nenhuma. E, para mim, grandes generais, se foram conquistadores, foram grandes facínoras. Pessoas execráveis da humanidade. Só respeito aqueles que lutaram em defesa do povo contra conquistadores e tiranos.

A iluminação do Buda foi um surto psicótico?

Penso que não. Tratou-se de uma conclusão a que ele chegou em razão do tempo que dispendeu pensando sobre o assunto e, então, proclamou como tendo sido uma iluminação recebida. Em verdade foi um processo interno de sua própria mente. Do mesmo modo que o Alcorão foi concebido por Maomé e ditado como sendo uma revelação do arcanjo Gabriel.

Lógica se aplica raciocínios e veracidade e falsidade a proposições. Assim, 1+1=2 não é lógico, é verdadeiro. Mas a conclusão de que 1+1=2 é feita de modo lógico. Está certo?

Sim. A conclusão de que 1+1=2 decorre dos axiomas de Peano, que são o fundamento da aritmética.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Axiomas_de_Peano

Quando alguém constrói uma casa (por ex.) acrescenta algo ao mundo ou apenas combina materiais já existentes?

Apenas combina materiais já existentes aqui na Terra. Do mesmo modo que os vegetais e animais são formados a partir de matéria já existente.

Quem vc acha que foi melhor, Charles Messier ou William Herschel?

Acho que Herschel foi um astrônomo mais completo e abrangente. Messier elaborou seu famoso catálogo com o fito de impedir a confusão desses objetos com cometas, que era o objetivo de suas pesquisas. Herschel, por outro lado, não só ampliou o catálogo de Messier, de 110 objetos para 1500, como também descobriu Urano, construiu o maior telescópio até então, descobriu o movimento do Sol na galáxia, descobriu os asteróides. Também fez descobertas em biologia, com o uso do microscópio e era compositor de música clássica, tendo composto vinte sinfonias.

O Big Bang é sobre origem do Universo ou sobre expansão?

Sobre a expansão. A origem é outro assunto. Do mesmo modo que a Teoria da Evolução não é sobre a origem da vida. Todavia há uma proposta de que o surgimento do Universo tenha se dado imediatamente antes do início de sua expansão. Ou seja, que ele já tenha surgido se expandindo. Outra alternativa é que já haveria espaço e conteúdo imperturbado quando a expansão se iniciou. Note que tal situação, se houvera, significaria que não havia transcurso de tempo, mesmo que houvesse espaço e conteúdo. Não há nada que permita decidir entre essas possibilidades. Particularmente, considero que o surgimento, sem ter de que provir (e não "do nada") tenha se dado imediatamente antes do início da expansão. Tal surgimento teria sido fortuito também, isto é, sem causa e sem propósito.

Boa noite, Ernesto. Há quem diga que o letramento precoce é prejudicial ao desenvolvimento das crianças. Qual é a sua opinião a respeito?

Comecei a conhecer as letras com três anos e aprendia ler com quatro anos. Isso, absolutamente, não prejudicou meu desenvolvimento em nada. Sempre fui muito mais adiantado que meus colegas em tudo e isso não me atrapalhou nada na vida. Se a criança é capaz e quer aprender, então isso deve lhe ser permitido. O que não se pode é forçar um aprendizado se a criança não consegue acompanhar e não se entusiasma com ele. Mas se ela está adorando aquilo, não é nenhum problema.

Sei que recebe muitas perguntas e não tem obrigação de responder nada, mas vc pede para argumentar, faço isso ai vc deixa de responder, dando a entender que eu aceitei a sua ultima resposta sobre o assunto? Ora, Respeite-me!

Como recebo muitas perguntas, tem muitas de que nem tomo conhecimento. Portanto não respondê-las não é nenhuma falta de respeito e consideração. Por outro lado, há casos de uma de que tomo conhecimento e não respondo porque não quero. É um direito meu. Se alguém considerar que não foi respeitado, então que considere. A proposito esta é a primeira pergunta que fico sabendo que está sendo feita por você. Aliás, em geral, nem vejo que está fazendo a pergunta, mas apenas se a pergunta tem um interesse amplo.

Qual o fundamento filosófico da objetividade dos valores morais?

Os valores morais não são subjetivos por definição. Eles são estabelecidos pela sociedade para que as pessoas os cumpram. Não são subjetivos. Não existe uma moral particular. Isso não é filosófico. É o que é. Todavia os valores morais são relativos ao local, à época e ao estrato social em que algum grupamento de pessoas se insira. Os valores éticos sim, são filosóficos. Eles não dependem dessas condições, ou seja, da época, do lugar e do estrato social. Eles são estabelecido por uma "meta-ética" que, filosoficamente, estabelece princípios para que alguma ação (uma vez que são em relação às ações que eles se reportam, e não aos seres) seja tida como eticamente aceitável, condenável ou indiferente. Esses princípios emergem de considerações a respeito do que propicie a maximização da felicidade, do bem estar, do prazer, do lucro e de outros benefícios, não particularmente para um indivíduo, para para o maior número de seres (inclusive não humanos). Também considera a validade da reciprocidade, isto é, de que, se não se queira ser objeto de alguma ação, não se deva fazê-la para outrem. Outro princípio filosófico da ética é o de que qualquer ação será ética se puder ser erigida como preceito a ser seguido. Da moral se espera que seja ética. Todavia, nem sempre o é, pois reflete o desejo dos detentores do poder sobre como as pessoas devam agir para atender seus interesses. Quanto a moral não for ética, é dever ético contrariá-la. E quando ela, mesmo não sendo anti-ética, não fira a ética, não é que se deva contrariá-la, mas, contrariá-la não é anti-ético.

Professor, como mudar algo que não gostamos em nosso comportamento?

Esforçando-se ora. É a força de vontade que faz efeito. Não se consegue mudar o comportamento facilmente. É difícil mesmo. Mas o difícil tem que ser encarado e superado.

Preciso de conselhos, moro no Rio e lá o exército vai tomar conta da segurança e muitos militares são reacionários e minha namorada é trans e mora no Rio, tô com muito medo da segurança dela. O que eu faço Ernesto?

Quem não for criminoso não tem que temer nada, mesmo se for transsexual. É só se manter discreta, como é para todo mundo ser, não importa como seja. Quem for do mal é para ter medo mesmo. É para isso que essa intervenção está acontecendo.

Com relação ao próximo nós devemos: 1) Amá-lo. 2)Respeitá-lo. 3) Agir em reciprocidade. 4) nda.

Nenhuma das quatro, de modo generalizado. Depende. Como regra geral, é para se respeitar as outras pessoas. Mas há exceções, como, por exemplo, aos criminosos. Amar é algo que não se pode exigir de ninguém em relação a ninguém. Ama-se a quem se ama e isso não é algo que se resolva voluntariamente. Mas se pode, voluntariamente, querer bem aos outros, mesmo sem amar, desde que esse outro não seja uma pessoa vilã ou que nos tenha feito um grande mal, propositalmente. Quanto à reciprocidade, não é o caso. Não se é para fazer mal a quem nos tenha feito mal e nem deixar de fazer bem a quem não nos tenha feito bem nenhum (nem mal). E também não é para não fazer nada.

Sim, ver algo comprova que ele exista, comprovar que nao existe que nao vai né?! Alias, seus argumentos para defender o que nao acredita sao fracos perto das evidencias, se varias pessoad viram a mesma coisa juntas isso prova algo, ninguem ali esta sendo influenciado a ver e nem sob efeito de droga

Ver não comprova não. Mesmo que muitas pessoas vejam. Por exemplo, conta-se que no dia 13 de outubro de 1917, em Fátima, Portugal, setenta mil pessoas viram o Sol se movendo em Zigzag no céu. Mas o Sol não se moveu, pois se tivesse movido isso seria visível no mundo todo.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Milagre_do_Sol .
Portanto a visão de muitos não é prova.

Pare de mandar as pessoas que vem aqui com problemas socias se tratarem, isso ofende elas sabia? Elas querem um conselho util, uma dica de imediato e nao um conselho tao futil desse, pare de tratar todos como doentes mentais, as vezes é apenas uma timidez ou medo de se expor e nao doença

Sua conclusão de que eu considere que "TODOS" que me fazem perguntas seja doentes mentais não tem a menor procedência. Aliás nunca considerei que "NINGUÉM" que me faça perguntas o seja. Inclusive nem disse que alguém que tenha depressão seja doente mental, mesmo que depressão, de fato, seja uma doença e não timidez apenas. Aconselhar pessoas deprimidas a consultar um profissional não é um conselho fútil. Pelo contrário, é um conselho extremamente sábio.

Viu? A Auxiliadora presenciou que existia algo que você deduziu que não existe, assim como eu vi um disco voador, assim como pessoas viram espiritos, assim como pessoas veem as coisas e comprovam algo por si só e nao atraves de livros e opinioes de terceiros

Ver disco voadores ou espíritos não é nenhuma prova de que existam. Os sentidos podem ser enganadores. A existência de algo tem que ser comprovada. Pode ser que, mesmo que eu nunca tenha observado a existência de "bulling", ele tenha existido nos anos 50 e 60 do século passado, quando eu era estudante.

As pesspas depressivas nao querem pagar alguém para ouvi-las isso é deprimente e humilhante, claro, vc nao tem depressao, nao é médico, talvez devesse deixar essas pergunta de lado pra nao fazer esse tipo de coisa, vc esta sendo extremamente indelicado com algo que nao conhece

Não vejo que seja indelicado em recomendar uma pessoa com depressão que seja tratada por um profissional. É o correto a ser feito. O que mais se poderia fazer?

Professor, como manter a atenção durante uma leitura? Existe alguma técnica para isso? Leio as palavras, mas a partir de um momento começo a pensar coisas sem nexo algum.. Outra pergunta: é benéfico ouvir música ao longo da leitura? Se sim, que estilo musical? (digo, instrumental ou pode ter vocal?)

Força de vontade não adianta. Se o assunto for chato para você, seu cérebro vai divagar mesmo. A única forma de prender a atenção em algo que se esteja lendo é ter um genuíno interesse por aquilo. É estar querendo muito saber a respeito do assunto. Isso é que faz a atenção ficar presa na leitura. Quanto a ouvir música, isso depende da pessoa. Eu, por exemplo, gosto de ler ouvindo música. Mas eu sou capaz de prender minha atenção mesmo que esteja passando uma escola de samba ao lado. Quando me concentro em algo, desligo do resto do mundo. Há quem, contudo, não seja assim. Se, para você, a música é um fator distrator, não a ouça.

Claro que havia bullying no Colégio onde estudamos, proncipalmente contra homossexuais. Na minha sala haviam dois que sofreram bastante! Um deles se mudou para os Estados Unidos, posteriormente e se casou com um homem. O outro morreu de HIV.

Não sei se porque eu era desligado, mas não tive notícia de nenhum homossexual em meu colégio. Ou porque eu sempre considerei que isso não fazia a menor diferença, então nem observava. Do mesmo modo que nunca me importei em saber qual era a religião de meus colegas, ou se eram ateus.

Você diz que ensinar a filosofar é mais importante do que ensinar a História da Filosofia, mas como ensinar alguém a Filosofar? Isso não é algo que cada um deve desenvolver do seu jeito?

Ensina-se a filosofar do mesmo modo que se ensina a nadar ou a andar de bicicleta. Colocando as pessoas para filosofar. Isso não é um conhecimento, é uma habilidade. História da Filosofia é que é um conhecimento. Por isso é que não é possível medir a habilidade em filosofar em um exame de múltipla escolha, como o ENEM. Mas, não é porque não vá cair no ENEM que não se deve ter treinamento em filosofar no processo educacional. Não é algo que cada um possa fazer sem um treinamento específico. O professor tem que instar com os estudantes para que conduzam o seu pensamento de forma correta. Note que não estou dizendo que tenham que chegar a conclusões tidas como certas e sim que devam desenvolver um processo de raciocínio correto, que leve em conta a lógica em todas as suas formas, incluindo a indutiva, bem como a difusa, a modal e todas elas. Isso se aplica a todas as componentes curriculares. Aprender a filosofar também é importante para bem saber as demais matérias. E, principalmente, para bem saber conduzir a própria vida. Porque, em geral, as pessoas são condicionadas a aceitar muito do que é impingido pela sociedade em que se insere sem contestar. Como a religião de sua família, por exemplo. Isso é péssimo. Tudo há que ser contestado. Até a democracia. Contestar não significa discordar. Significa não aceitar sem um exame criterioso. Isso se aplica a tudo. Especialmente às prescrições morais. Tem que examinar se são éticas ou não, se ferem a ética ou não. Do mesmo modo que os costumes e tradições. Eles não são necessariamente válidos e nem necessariamente inválidos. Cada um tem que ser examinado e aceito ou rejeitado conforme seja válido ou inválido e não porque a maioria considere que seja. Há que se arrostar a sociedade naquilo em que ela toma como válido ou inválido de modo incorreto.

Ernesto, se na sociedade que você vislumbra todos são altruístas como você acha que certas pessoas não devem ser respeitadas. Digo respeito no sentido de tratá-las bem assim como é direito de todo humano, sem tirar delas sua humanidade. Uma pessoa má continha sendo humano.

Respeitar não significa tratar bem. Respeitar é admirar, ter consideração, apreço, deferência. Todo mundo tem que ser bem tratado. Mas não se tem que ter consideração, apreço, admiração ou deferência por quem considere que praticar crimes seja uma atividade aceitável. Pessoas assim é que são ditas criminosas (e não quem cometa um crime). Criminosos eu não respeito mesmo. O que não significa que ache que devam ser maltratadas.

Pela sua lógica sobre a "inexistência", é válido que eu conclua que você não existe. Ora, nem eu e nem você podemos provar a auto-existência. Eu deduzo que, por você apresentar um corpo físico - o que por si, não comprova coisa alguma -, você também possui uma mente (consciência).

Sim. O solipsismo não pode ser refutado logicamente. Todavia os indícios da existência real e objetiva do mundo são grandes. Quanto à existência da própria mente (mas não do próprio corpo), essa é patente e foi isso que Descartes confirmou com sua expressão "Penso, logo existo". Claro que o fato dele ter dito não é confirmação de que disse a verdade, mas isso é completamente aceitável e não vejo como ser refutado. Como seria pensar sem existir?

Poderia me orientar quanto a ter uma melhor eficiência nos estudos, estudar várias coisas ao dia, absorver mais conteúdo

A primeira condição, essencial e incontornável, para a eficácia (e não a eficiência, pois essa não é importante) nos estudos é ter interesse no que se está estudando. Muito interesse mesmo. Gostar muito do assunto. Então se mergulhará em seu estudo com grande prazer. Porque se estudar não der prazer, não vai funcionar. Não adianta. Estudar forçado não promove o aprendizado. Aprenda a gostar do que pretende estudar. Esse é o segredo. Aí se sacrificará o tempo de outras atividades para dedicá-lo ao estudo.

O que acha de pessoas que não conseguem apresentar um trabalho em sala de aula devido à fobia social

Que tem que fazer um tratamento psicológico para superar seu problema.

https://ask.fm/account/wall Você disse: "Eu não repeito de modo nenhum". Então, por você, bandido é lixo e pode ser condenado a morte, por exemplo. Que barbaridade! É a lei de Talião: Olho por olho, dente por dente. O filósofo (que admiro) pisou na bola.

Eu não disse isso. Sou totalmente contra a pena de morte. Dizer que não respeito criminoso não implica que considere válida a lei de Talião. Para mim bandido tem que ser condenado e, dependendo do caso, à prisão perpétua. E não acho que a condição prisional tenha que ser degradante. Mas que não respeito criminoso, isto é, aquele que cometa crimes de modo contumaz (e não que tenha cometido um crime, do mesmo modo que mentiroso não é quem tenha dito uma mentira ou outra mas que costuma dizer mentira muitas vezes), não respeito mesmo e acho que não é para ser respeitado não. Mesmo que o bandido seja o meu pai. Isso foi o que eu disse e exatamente isso, sem extrapolação além disso. Quando digo algo é precisamente o que está dito, sem nenhuma ilação adicional. Quem não concordar comigo, que discorde, mas não fico convencido que se deva respeitar quem considera que cometer crimes seja algo a ser feito normalmente. Não respeito mesmo!!!

Mesmo os criminosos gostam de ser tratados com educação e respeito. Foi assim que sempre os tratei bem como aos famíliares deles na época em que trabalhei na Penitenciária. Não entendo esta sua postura de que os criminosos não mereçam respeito.

Acho que alguém que seja uma pessoa do mal (não a que tenha cometido um crime esporádico sem ser malvada) não merece respeito mesmo. Eu não repeito de modo nenhum. Ser do mal é uma abjeção. É intolerável. É para ser rejeitado com veemência. Do mesmo modo uma pessoa desonesta, como esses políticos corruptos, bem como juízes e outras autoridades. Eles são como réprobos. Têm que ser totalmente execrados sem a menor consideração. Ainda mais porque são investidos de uma função de representação do povo. Têm que ser o exemplo de honestidade, probidade, competência, diligência e todas as virtudes.

Os homens de gênio quase invariavelmente foram loucos. Há sabedoria na loucura? Qual?

Não foram loucos e sim pessoas que não se importavam com as convenções e, assim, eram chamadas de loucas. Realmente, para se ser um gênio, não se pode acatar as convenções, senão não se cria nada. E uma das características da genialidade, além da inteligência, é a criatividade. Por isso é que nem todo inteligente é genial. Tem que ser criativo, inovador, inconformado, subvertedor. Essas são as pessoas que fazem diferença para o bem do mundo. Como não estão dentro da normalidade de comportamento, se diz que são loucas. Mas loucura, mesmo, é outra coisa. É uma perturbação patológica do funcionamento cerebral. Gênios e pessoas insubmissas têm o seu cérebro funcionando perfeitamente.

Você se tornou líder e tem seguidores fieis, que farão e fazem tudo o que você quiser, se tornou famoso também, tem quantos seguidores no ask? Deduzo que seja uns 100 mil

As pessoas que me seguem e dão suas aprovações a minhas respostas, certamente, jamais farão tudo o que eu pedir, pois algo que eu, justamente, proponho, é que sempre se examine tudo que seja dito e só acate após verificar que seja procedente, verdadeiro, razoável e conveniente. Você pode ver quantos seguidores eu tenho. São 8.176 agora. Não sou um líder, no sentido de que não comando ninguém. O que posso ser é um orientador, um conselheiro, um esclarecedor, ou seja, um professor. Quem me acompanha não segue minhas ordens, porque eu não ordeno nada. Só esclareço e recomendo.

Falar sobre o bullying mostrou como vc chega em determinadas opinioes..."Se eu nao vi entao nunca aconteceu"..É o mesmo que vc faz com o sobrenatural, nunca viu entao diz nao existir e desacredita de quem tenha visto algo

Não apenas não aconteceu comigo como também eu não tive notícia nenhuma de que tivesse acontecido. Daí eu considerar que não acontecia. Quanto ao sobrenatural, não é apena porque eu nunca tenha visto que afirmo que não existe mas, também, porque não é nenhuma comprovação idônea de que isso exista.

As pessoas doam livros pra vc colocar na sua biblioteca ou todos sao comprados mesmo?

Quase todos foram comprados. Alguns, contudo, eu herdei da biblioteca do meu pai. Livros recebidos em doação são raríssimos.

Se você acha importante haver discussões em grupos do whatsapp?

Como não conheço, não sei dizer. No tempo do Orkut eu participava e achava muito bom. Mas, pelo que sei, o que se diz no WhatsApp não fica público. Então não acho que seja muito importante. O bom é que o que se diga possa ser visto por todo mundo que quiser.

Tem gente que diz que utilizar pronome de tratamento é uma questão de respeito. Lembro de quando o Lula foi até Curitiba para prestar depoimento sobre o Tríplex, sempre que se referia ao Moro usava "Doutor", mas mesmo assim foi sarcástico e ria em várias situações. Patético, educação é mais que isso

De fato, isso é algo sem cabimento. Chamar a pessoa de "senhor" ou "senhora", absolutamente não significa que se a respeite. Do mesmo modo que chamar de "você" não significa que não se está respeitando. Respeito não é uma formalidade. Respeito é consideração, é reconhecimento do valor, é deferência, é encarar todos de igual para igual, não se colocando como superior e nem inferior a ninguém. Todos os seres humanos são igualmente dignos de consideração e respeito, exceto se forem pessoas más e criminosas. Essas têm que ser desrespeitadas mesmo. E acintosamente. Mas não por serem pobres, feias, sujas, doentes, ignorantes, burras, velhas, aleijadas ou o que seja que possuam de inferior. Isso não desqualifica o caráter de ninguém e é o caráter que confere valor e respeito a uma pessoa. Meu pai aprendeu com o pai dele e me ensinou a chamar todo mundo de "você" e assim aprendi (no caso dele, que era filho de pai austríaco e mãe portuguesa, ele chamava de "tu"). Isso se aplica a pai, mãe, avô, avó, professor, professora, médico, advogado, juiz, delegado, chefe, diretor, seja quem for. Até ao Papa e à Rainha da Inglaterra. Para mim é uma questão filosófica. É a minha cosmovisão igualitária.

Você não pode saber se não havia bullying a 50 anos atrás, a palavra em si podia não existir, mas atos iguais aos de hoje sim, só que em menor proporção

Talvez, mas eu não tive nenhuma experiência a respeito e nem presenciei algo do tipo. Nem fiquei sabendo.

Entenda...as pessoas não se importam em comer carne, elas nao sentem pena dos animais, poucos se importam agora e poucos se importarão depois

Isso é uma questão de consciência. Com o aprimoramento da educação essa consciência será estabelecida. Por isso é que, insisto, o estudo de Filosofia, não como o estudo da História de Filosofia, mas como a prática de se filosofar, de se questionar tudo, tem que ser desenvolvido nas escolas, com muito mais ênfase do que os demais conteúdos.

A sua visão sobre o futuro é só uma ilusão, estamos vivendo no futuro imaginado por outras pessoas de outras épocas e duvido que era isso que imaginavam, talvez esteja ate pior, você confia demais no futuro e ele não parece ser uma boa aposta

Pois eu acho que é sim. Pode ser que não venha a ser como imagino. Mas acho que, como imagino, seria o ideal. Portanto, acho que se deva envidar o máximo de esforços no sentido de se atingir essa meta futura.

Essa carne de laboratorio vai custar mil reais o quilo

Por enquanto. Todavia, mesmo que venha a baratear, não vejo razão para que seja produzida apenas para se ter o gosto de comer carne sem matar nenhum animal. Não vejo problema nenhum em se abster de comer carne. As pessoas, por exemplo, em geral, se abstêm de comer carne humana. É só estender isso a qualquer carne.

Logicamente falando, é possível provar uma inexistência?

Claro que sim. Se algo for conceituado como possuindo uma característica intrinsecamente impossível, tal coisa não pode existir na realidade. Por exemplo, um círculo quadrado. Às vezes, no entanto, a entidade conceituada não exibe uma inconsistência lógica, mas alguma característica que não é encontrada em nenhuma situação. Por exemplo, uma montanha rochosa flutuante aqui na Terra, como mostrado na tela de Magritte dos Pirineus. Isso também pode se aplicar a uma ocorrência ao invés de uma entidade. Como, por exemplo, a possibilidade de um animal de certo peso caminhar sobre a água líquida (alguns bem leves conseguem, em razão da tensão superficial ou de se locomoverem bem rápido). Ou de um animal pulmonado respirar sob a água sem equipamento. De um modo geral, contudo, a inexistência de algo é assumida por não se ter evidência nem comprovação da existência, mesmo que não se possa provar que não existe. É o caso de Deus, por exemplo.

Pergunta do José Vicente sobre Beleza, referente à resposta dada em https://ask.fm/wolfedler/answers/145286111517

Eu discordo de você. Porque somos basicamente ensinados sobre o que é bonito e o que é feio. Pessoas negras na maioria das vezes não são consideradas bonitas porque os traços trazidos pela mídia e no geral são de brancos seguindo um determinado padrão que a sociedade admira e segue.
Não. Pode ser que alguém diga que ache pretos feios apenas por serem pretos mas, objetivamente, tanto há pretos feios quanto bonitos, do mesmo modo que brancos ou amarelos. Da mesma forma que há homens que não admitem dizer que possam achar algum homem bonito. Isso não é um valor estético e sim uma expressão de opinião castrada pelas convenções sociais.

voce consegue se lembrar de todas as definições de funções logarítimicas

Claro, sem problema. Aliás de tudo de Matemática e Física, não só em nível médio, mas em nível do ciclo básico dos cursos superiores de ciências exatas. Já no nível profissionalizante tem tópicos que eu não sei na ponta da língua. Mas, se eu fosse deixado em uma sala fechada, com banheiro, alimentação e uma cama, sem acesso a nenhuma consulta, eu seria capaz de redigir os quatro volumes de uma coleção de Física Geral para cursos de engenharia, física e matemática, inteiramente de cabeça. Inclusive inventando dezenas de exercícios e problemas para cada capítulo. Tranquilamente. Minhas mais de vinte mil horas de aula me permitem isso.

É possível fabricar em laboratório carne idêntica à carne real? Se sim, é viável popularizar seu consumo?

Em princípio, sim, a partir de células tronco em um meio nutritivo. Isso, inclusive, já foi feito, em escala laboratorial:
https://exame.abril.com.br/ciencia/carne-artificial-pode-comecar-a-ser-vendida-em-ate-5-anos/
https://epocanegocios.globo.com/Curiosidades/noticia/2017/07/empresa-dos-eua-promete-lancar-carne-artificial-em-2018.html

Você sofreu bullying?

Não. Isso não havia há mais de cinquenta anos.

A Relatividade vai contra a Termodinâmica?

Não. De modo nenhum. Só é preciso adaptar a Termodinâmica à relatividade. Existe a Termodinâmica Relativística. Do mesmo modo que e Eletrodinâmica Relativística, a Mecânica Relativística a Ótica Relativística, a Física Quântica Relativística e por aí vai. Também tem a Termodinâmica Quântica, a Eletrodinâmica Quântica, a Mecânica Quântica, a Ótica Quântica, bem como essas matérias tanto quânticas quanto relativísticas. E a parte relativística tem a restrita e a geral. O ápice disso tudo é a Teoria Quântica de Campos Relativística Geral, que é um assunto ainda em aberto.

Um filósofo deve saber sobre qualquer assunto ou existe especialização como as que existem na Medicina, por exemplo?

Há especializações nos diversos campos da Filosofia, como Epistemologia, Metafísica, Lógica, Ética, Estética, Filosofia Política, Filosofia da Mente e outras. Todavia, todo filósofo, seja especializado no que for, tem que saber do restante da Filosofia também, e não apenas superficialmente. Em geral, contudo, os filósofos não são especializados. É característico da Filosofia, justamente, ser abrangente. O filósofo, também, precisa ter muito boas noções de ciências, especialmente Matemática, Física e Biologia, de artes, de história e outros assuntos, como Antropologia, Sociologia, Geografia, Geologia, Astronomia, Cosmologia etc. O filósofo tem que ser o polímata por excelência. Por isso é que ser filósofo é a atividade mais difícil que existe. Bem mais do que ser físico, por exemplo. Claro que estou falando a respeito de filósofos competentes. Infelizmente muitos cursos de filosofia são bem rasteiros e focados na Filosofia como uma ciência da área das humanas apenas.

Você concorda com o ceticismo pirronico?

Não. De forma nenhuma. Acho que o conhecimento é perfeitamente possível de ser alcançado por aproximações sucessivas. O que não se tem é a certeza de já se o ter obtido de modo cabal. Meu ceticismo é metodológico. É preciso sempre se estar duvidando de que o que se saiba seja correto, justamente, para se envidar o máximo de esforço em alcançar a verdade.

Se tudo no fim se reduz a física, e fenômenos físicos tendem a um gráfico normal e não uma função delta de Dirac (ex. um pico gerado por um detector de fótons ideal é uma reta e não um "sino") assim deve ser o mundo real e imperfeito. A perfeição é tolice, é uma perseguição "quixotesca".

Há fenômenos físicos que são descritos por uma função delta de Dirac, sim. Mas isso não vem ao caso. Perfeição é impossível, mas sua busca não é tolice nenhuma. Pelo contrário. É algo altamente valioso. Mesmo que nunca seja alcançada, deve ser sempre perseguida, para que se chegue o mais próximo possível dela. Porque perfeição é algo intrinsecamente melhor do que imperfeição. Como bondade é intrinsecamente melhor do que maldade. O mundo é imperfeito, mas isso não significa que assim se deva aceitar que seja e não se tenha que empenhar para que deixe de o ser. Esse é o objetivo principal da sociedade, em prol do bem geral de todo mundo.

Se uma pessoa que sofre bullying morrer em consequencia das doenças psicologicas que ela obteve enquanto isso ocorria , podemos concluir que essas pessoas que praticaram o bullying sao assassinos?

Certamente que sim. Mesmo que não tenham tido a intenção de matar. Como um motorista que dirija embriagado e atropele alguém que venha a morrer por isso.

Qual argumento ateísta lhe convence mais?

O fato de que não há nada que comprove que exista algum tipo de realidade sobrenatural. Não se prova que não existam deuses. Se considera que não existam porque não há prova nenhuma de que existam. Ateísmo não é a crença na inexistência de deuses e sim a descrença em sua existência, o que é muito diferente.

Filosofos sao apenas pessoas que falam o que pensam de uma maneira formal e com isso fazem com que aquilo parece mais importante do que é

Não. Eles falam de modo formal sim e o que pensam sim. Mas não falam o que não seja, de fato, importante. Seu principal objetivo, como filósofos, é, justamente, problematizar, provocar espanto, discutir, levar à reflexão, comentar, contestar. Por isso eles são importantes. Porque não acatam, simplesmente, o que está estabelecido como certo sem examinar se é certo mesmo. Por isso é preciso que Filosofia seja algo estudado com muita seriedade. Não a história da Filosofia apenas (mas também), mas, principalmente, treinar a filosofar. Isso é mais importante do que saber Matemática, Português, Ciências, Geografia e História (que são muito importantes). Só que os governantes e poderosos em geral não querem saber de povo sabido, que critica tudo, que contesta tudo. Mas isso é que vai mudar o mundo para um mundo bom para todos.

Quero ser líder, ter poder, até que o céu sobre mim desabe, usarei inspirações como você para alcançar isso

Essa é uma aspiração de suprema tolice. O que você precisa querer é que sua vida seja tal que o mundo fique melhor porque você vive. Isso é o que importa. Ser líder é bobeira.

Assim como cantores e atores existem pintores e escritores super valorizados, por que quadros com um borrão de tinta ou com monte de linhas aleatorias valer milhoes é ridiculo

Sim. Isso é uma distorção que os marchands promovem com o fito de obterem lucro. É uma consequência do capitalismo. Se arte não for algo vendável, mas apenas colocada para apreciação, de graça, o que não seja, mesmo, bonito, não será apreciado. Quem compra obras horríveis e caríssimas não o faz por que aprecia sua beleza, mas para ostentar o poder que possuem de serem capazes de dispender a quantia que as compra.

É facil fazer o que você faz, ficar no seu escritorio imaginando o que seria o mundo perfeito e despejar a sua conclusão na internet, esperando com isso convencer as pessoas a fazerem o que vc quer. Mudar o mundo é muito mais que isso, vai muito mais além de uma conta no ask

Certamente que sim. Mas toda mudança começa com a ideia. E a internet é um meio bom para divulgar ideias. O que eu faço é, justamente, difundir meus ideais, no sentido de conquistar o máximo possível de adeptos. Então, muitos achando que o que eu proponho seja o que seja bom que venha a ser, pouco a pouco, atitudes e medidas serão tomadas no sentido de se alcançar tal objetivo. Filósofos não foram pessoas de ação, em geral, mas sua obra sempre foi essencial para que ações fossem tomadas. Idéias precedem atitudes e idéias têm que ser levantadas e semeadas.

Concorda que conceito de beleza é uma construção social? Porque? Se sim, uma vez que consideramos algo bonito, não é efetivamente nós que estamos achando aquilo mesmo. O padrão de beleza atual exclui pessoas foras destes padrões. O que fazer a respeito?

Não. O conceito de beleza (não apenas concernente à beleza de pessoas, mas à beleza do que quer que seja: uma paisagem, uma música, uma edificação, uma obra de arte, um animal, uma flor e, certamente, uma pessoa) é algo advindo da estrutura mental do cérebro, que atribui essa qualificação ao que apresente características sensórias perceptíveis como enquadradas na noção primitiva de "belo" (suavidade e harmonia de traços, por exemplo). Tanto é que, não importa a cultura, o que seja, de fato, feio, assim o é para todos, do mesmo modo que o que seja, de fato, belo. A divergência só se dá em relação ao que esteja na porção intermediária do espectro. Em relação a pessoas, as feias e as bonitas assim o serão tidas por qualquer cultura. O que se tem que fazer não é achar que o feio seja bonito ou que o bonito seja feio e sim não atribuir um valor, em termos de estima e aceitação, a quem quer que seja pelo fato de ser feio ou bonito. Isso é uma questão de educação a ser desenvolvida em família e na escola.

Pare de julgar as drogas, são uteis e beneficas a humanidade.

Eu não condeno quem use drogas. E, ao dizer que não tenho a menor vontade de usá-las, não as estou condenando, em absoluto, por assim me portar. Todavia as condeno (note bem que condeno seu uso e não as pessoas que as usam). Porque não são úteis e benéficas coisa nenhuma. Pelo contrário, são inúteis e maléficas. Apesar disso, sou totalmente a favor de sua legalização e liberação. Porque considero que as pessoa têm que ter a liberdade de se suicidarem. Mas é preciso que se mostre, claramente, o quão nefasta elas o são. Então, quem delas quiser fazer uso, que faça, por sua conta e risco, perfeitamente ciente do mal que faz a si próprio. Como também acontece com o tabagismo e o alcoolismo. Por outro lado, a proibição do uso de drogas, do mesmo modo que do tabaco e do álcool, traz uma consequência extremamente nefasta que é o surgimento do mercado negro desses produtos, que sempre vem associado e um expressivo elenco de outros crimes.

O ideal não existe no mundo real. "Economia de doação" quando leio isso aposto que num PET scan cerebral ativa a mesma área do cérebro quando leio "terra plana" kkkk.

O ideal é o que se tem que pugnar para que o real se torne. E isso é perfeitamente possível, provido que seja-se de tempo, empenho, dedicação e esforço. Terra Plana não é ideal nenhum. É uma concepção equivocada. Além do mais não se trata de algo que se pretenda que o mundo se torne e sim que se considera que ele já seja. Isto é, "Terra Plana" seria a realidade, na concepção dos que assim o pensam. Não vejo razão nenhuma para se rir da possibilidade de "Economia de Doação", uma vez que se trata da melhor forma de se conceber a economia em termos de benefício geral para todos.

Já usou algum tipo de droga? Como foi? Se não, já ficou tentado, ou teve a oportunidade?

Nunca usei. Nunca fui tentado. Não tenho a menor vontade de experimentar. Nem sei se tive ou não oportunidade. Não quero nem saber. Porque não tanho a mínima vontade de me sentir sem a plena consciência de meu estado mental. Inclusive álcool, quando bebo, bebo bem pouquinho, apenas para fruir o sabor da bebida, sem jamais chegar a sentir a menor "tonteira". Isso é algo que não tenho a menor vontade de sentir. Gosto de estar sempre completamente dono de mim mesmo.

Quais os critérios para se quantificar a remuneração dos trabalhos de artistas, filósofos, escritores,poetas, para que seus trabalhos sejam mantidos pelo governo? Não vejo como fazer isto; a não ser com a comercialização dos referidos trabalhos: Quem vende mais tem mais tem mais valor.

Não. Não tem não. Artistas, cientistas e filósofos devem ser contratados do mesmo modo que professores universitários. Em dedicação exclusiva e por conta de produzirem. Certamente seriam, como os professores também têm que ser, avaliados periodicamente e tendo a renovação de seu contrato vinculada a sua produção e, mesmo, à relevância de sua produção. E os trabalhos não são para serem vendidos. No caso de pesquisas científicas, são para serem publicadas e disponibilizadas. No caso de obras de arte, para serem colocadas em museus. No caso de obras literárias e filosóficas, para serem publicadas e disponibilizadas em bibliotecas. No caso de músicas, para as partituras serem publicadas e disponibilizadas em bibliotecas também. Assim é que deve ser.

Qual a diferença entre naturalismo e materialismo?

A diferença é que, enquanto o materialismo considera que a realidade objetiva do mundo que não sejam abstrações, seja feita apenas de matéria, o fisicalismo, ou naturalismo, considera que seja feita de entidades físicas, que não são apenas matéria, mas matéria, radiação, campos, espaço, tempo, estruturas e ocorrências. Ambas as concepções rejeitam a existência de qualquer tipo de realidade objetiva não abstrata sobrenatural.

Professor, você acha que o mensalão foi um embuste para denegrir a imagem do PT?

De modo nenhum. Tanto o mensalão quanto os desvios da Petrobrás e as propinas da JBS foram fatos verdadeiros que denegriram mesmo a imagem do PT e de vários partidos e seus políticos, não como algo urdido de modo forjado para tal, mas, exatamente, por serem verdades.

Propriedade Intelectual não serve para privar o acesso ao que quer que seja, mas sim para assegurar que terceiros não lucrem em cima de algo que não lhes pertencem. Ser contra a propriedade intelectual é compactuar com a pirataria, por exemplo.

Auferir lucro com bens intelectuais é inadmissível. Não só de autoria alheia (e principalmente nesse caso), mas também com autoria própria. Ser contra a propriedade intelectual não é compactuar com a pirataria e sim querer que os bens intelectuais sejam gratuitos. Se os autores disponibilizarem o que produzem de graça, porque alguém iria piratear para vender se todo mundo pode obter o original de graça? Os autores teriam que ser sustentados pela sociedade (ou o governo, se for o caso dele existir, como ainda acontece). Isso vale para qualquer tipo de produção intelectual, seja artística, seja científica, seja filosófica. O ideal é que isso se estenda a todo tipo de produto e serviço, mesmo não intelectual. Trata-se da "Economia de Doação" e não de trocas (inclusive por dinheiro). Essa é a forma ideal de economia para um mundo bom em que ninguém seja pobre e ninguém seja rico.

Assim como Holbach, Nietzsche, Feuerbach e Russel, Dawkins seria o grande pilar do ateísmo filosófico contemporâneo?

Não isoladamente. Os neo ateístas atuais, além do Dawkins, são o Hitchens (recentemente falecido), o Harris, o Dennett, o Stenger e o Onfray. Compensa ler os livros deles. Com espírito crítico, certamente. Do mesmo modo que compensa ler a Bíblia, o Corão e as demais ditas "Escrituras Sagradas". Até mesmo as obras de Allan Kardec. Outro livro interessante é a "Suma contra os Gentios", de Tomás de Aquino. Bem como as obras desses ateístas clássicos, inclusive o Meslier e o Ingersoll.

Música de qualidade é algo subjetivo?

Não. Pode-se gostar ou não de alguma música e isso é subjetivo. Mas sua qualidade é algo objetivo. Ela advém de uma análise estética da beleza de sua melodia, ritmo e, mesmo, harmonia e timbre, no caso de música instrumental ou, mesmo, sendo "a capela" da voz dos interpretes, bem como da poesia de sua letra, se houver.

O que acha da acusação de fundamentalismo ateu direcionada ao Richard Dawkins?

Não procedente. Dawkins, absolutamente, não é fundamentalista, pois isso é ser dogmático. Pelo contrário, é um defensor do ceticismo.

Ateismo seria uma posicao de consciência, já que não é uma doutrina?

Trata-se de uma "cosmovisão", isto é, de uma concepção de mundo.

Sou ateu e de direita. Qnt ao ateísmo, concordo em partes, mas vc tbm fala cada bosta q complica. "Os religiosos q atacam os ateus, os ateus n atacam os religiosos". Ateus atacam religiosos tbm, e n é regra da prática religiosa o ódio ás demais crenças ou descrenças. Para de falar merda qnt a isso

Publicado para conhecimento de sua opinião e de sua deselegânica no linguajar.

https://ask.fm/wolfedler/answers/145201184541 No sentido em que, não havendo espaço, não haveria esse campo de energia, Lawrence Krauss estaria errado quanto a Inexistência de um "Ex-Nihilo"?

Krauss, em sua proposta do surgimento do Universo "do nada", em verdade não considera que esse surgimento tenha se dado "de nada" e sim de um vácuo. Mas esse vácuo não era "nada". Era um campo não material e nem radiante que preenchia um espaço existente. Ele não considera como teria se dado o surgimento desse campo. Isso é que seria, de fato, o surgimento do Universo. O surgimento dos quarks, dos léptons, dos neutrinos, bem como de suas antipartículas, e dos fótons, não é o surgimento do Universo e sim uma transformação que se deu com seu conteúdo, antes feito só de campo não quantizado, que alguns chamam, impropriamente, de "energia pura" (energia não é uma entidade e sim um atributo de entidades).

Professor, o que acha da propriedade intelectual?

Especialmente esta, para mim, não tem nenhuma justificativa. Tudo o que seja descoberto, inventado e intelectualmente criado deve ser disponibilizado para todos. Cientistas, filósofos e artistas precisam ser sustentados pelo povo (ou pelos governos, caso haja) a fim de que desenvolvam sua atividade criativa para o bem geral. Claro que condicionado ao bom desempenho de seu trabalho.

Acha que o mundo seria melhor se Cristo não tivesse nascido? O estoicismo floresceu como a filosofia predominante no mundo greco-romano até o advento do cristianismo. Se não houvesse Cristo, provavelmente seríamos estoicos atualmente...

Realmente a oficialização do cristianismo foi nefasta a nossa civilização ocidental. Se ela tivesse ficado com as concepções romanas, mescladas com as bárbaras, penso que teria sido melhor. Inclusive quanto ao estoicismo. Especialmente no tocante ao progresso científico, que foi atrasado, pelo menos, um milênio pela cristandade. Ao colocar o fulcro da vida na salvação da alma, o cristianismo deixou de velar pelo bem do mundo, o que foi um desastre. Por outro lado, a concepção do direito divino de reinar, atribuído pela Igreja aos reis, atrasou o progresso político, social e econômico, até por mais de mil anos.

Já que você é ateu. Sente pena das pessoas religiosas vivendo em um mundo de fantasia criado para controlá-las politicamente?

Muita pena. Por isso é que faço meu proselitismo ateísta. Para que se libertem dessa servidão.

Religiões são nocivas mas ateísmo também, qualquer rótulo é para ainda mais dividir as pessoas e criar atrita entre elas, não pense que está fazendo um bem ao humanidade pregando o ateismo, esta apenas começando uma nova guerra de ideologia

Nada disso. Pelo contrário. Difundir o ateísmo é um grande bem sim. Porque o ateísmo, inclusive, é totalmente pacífico, totalmente tolerante. As religiões é que se digladiam. Os religiosos é que atacam os ateus. Os ateus não atacam os religiosos. Eles só tentam convencê-los de seu equívoco. E isso tem que ser feito mesmo, para o bem deles. Para que não vivam iludidos. Para que pugnem pelo bem sem pensar em nenhuma recompensa. Para que não façam nenhum mal sem pensar que teriam qualquer castigo. Isso é que é ser virtuoso. Isso é que o ateísmo prega.

Se é pra defender algo que seja apenas a extinção das religioes e nao impor outro tipo de ideia, e quando diz " ateus nao precisam provar que Deus nao existe"...quando alguém acusa outro alguem algo esse primeiro alguem que precisa juntar provas para defender a sua acusacao e nao o contrario

Nada disso. Só se precisa provar que existam deuses e não que não existam. Porque essa existência não é óbvia, não é patente, não é evidente. Então, só pode ser aceita se for comprovada por argumentos com base em consequências indiretas de tal possível existência. Não as havendo, o que se tem que considerar é que tal tipo de entidade não exista, objetivamente falando, mas se trata, apenas, de um conceito, de uma ideia, elaborada por mentes. Ou seja, meramente uma abstração.

O que é, o que é: Escreve um manual de instruções para conversar com um "fascista" (http://amzn.to/2suLbNg), mas na hora que vê um "fascista", segundo as definições do livro, foge do debate? R: http://bit.ly/2EiZqX1 É assim que a esquerda quer o diálogo com os diferentes? Tá feia a coisa, hein?

Você está extrapolando um comportamento de uma pessoa que denigre a esquerda como se fosse o comportamento padrão da esquerda. Infelizmente grande parte (a maioria mesmo) dos militantes de esquerda não a honram, mas são mesquinhos. Da mesma forma que há direitistas íntegros e muitos aproveitadores, que defendem as posições direitistas porque elas lhes conferem vantagens.

Quer polemizar para chamar atenção, por que assim como Chico Xavier você buscou atenção na infancia e adolescencia e não a encontrou e ai desenvolveu uma maneira de compensar isso, sem se importa com as consequencias do que diz as pessoas

Não!!! Quero polemizar para que as pessoas passem a pensar e a refletir sobre o que aceitam passivamente. E me importo com as consequências do que digo, sim. Aliás, o que digo e, precisamente, para provocar consequências, ou seja, para que as pessoas passem a não aceitar passivamente tudo o que lhes é dito pelas convenções sociais. Para que cultivem um saudável ceticismo. Para que percam as certezas. E para que fiquem informadas e aumentem seu conhecimento sobre tudo em geral, especialmente ciência, história, artes e filosofia. Quanto a ter tido uma infância e uma adolescência sem atenção, muito pelo contrário. Sempre fui um menino muito querido e admirado, coberto de atenções de minha família, de meus professores, de meus conhecidos, de meus amigos e de meus colegas. A vida toda. Disso, absolutamente, não posso reclamar. Todavia jamais me importei com isso e nunca o busquei.

Ateísmo é, na PRÁTICA, niilismo. Quando é que esses ateuzinhos burros vão aprender?

Absolutamente, não!!! Ateísmo significa descrença na existência de deuses. Niilismo significa não aceitação de valores éticos e estéticos. Um não tem nada a ver com outro. Ética e estética não têm nada a ver com nenhuma concepção sobre existência de divindades ou de qualquer realidade espiritual. Normalmente os niilistas são ateus, mas os ateus não precisam ser niilistas para serem ateus. Ignorância (e não burrice) é confundir os dois conceitos.

Tirando aparelhos de som tem algum objeto na sua casa realmente antigo que você ainda usa?

Todas as calculadoras de minha coleção ainda são usadas por mim, em rodízio. A mais antiga tem 45 anos (uma HP-45). Em compensação, também tenho outras modernas, como a HP-Prime, a TI-Nspire CAS e a Casio ClassPad II, todas com computação algébrica. Minha preferida, contudo, para uso diário, é a HP-42S, de 1986. Também uso, às vezes, minha antiga máquina de escrever. Tenho um mimeógrafo a álcool, mas não o uso mais. Minha filmadora analógica, de fita de oito milímetros, escangalhou e o técnico ainda não conseguiu achar o chip para substituir, mas eu a usava. Ainda tenho um aparelho de reproduzir vídeos em VHS que, às vezes, assisto (tenho muitos). Uso, ainda, um projetor de slides que tem quase cinquenta anos. Tenho, também, centenas de fitas cassette de áudio, gravadas há uns quarenta anos, bem como programas gravados em disquetes de cinco polegadas, para os quais ainda tenho o leitor. São programas que rodam em DOS e tenho o emulador de DOS instalado. Os que mais uso são o editor de texto Chi-Writer (https://en.wikipedia.org/wiki/ChiWriter) e o Derive para DOS (de computação algébrica), para o qual já dei vários cursos.

O mundo não parece ser tão confuso? Eu acho que ele é, por isso que me apego a "teorias" existencialistas e niilistas.

Sim, é. Mas isso não significa que se deva apegar ao existencialismo ou ao niilismo. Basta encarar a confusão e destrinchá-la. Simplificar é nocivo. O que é complicado tem que ser entendido em toda sua complexidade. Difícil? Sim, muito. Mas é como é e assim tem que ser encarado.

Obras de ateísmo filosófico e de crítica da Religião existem aos montes nos EUA. Em opinião, por que isso não é de interesse nas editoras brasileiras? Tendo em vista ser extremamente difícil ver obras de defesa do ateismo sendo escritas por um autor brasileiro...

É que ateísmo é um assunto rejeitado pela maioria da população, inclusive intelectualizada. E como as editoras não gostam de investir em livros que não vendam, não o fazem em livros ateístas. Os livros norte americanos, por outro lado, vendem no mundo inteiro e acabam tendo saída compensadora. Isso acontece, também, com livros científicos mais específicos. Eu mesmo me propus a traduzir um livro de Física Estatística da MacGraw-Hill para o português (o Reif), que eu adotava em minhas aulas, e a MacGraw-Hill não se interessou, pois venderia muito pouco, uma vez que só é adotado no curso de Bacharelado em Física, que tem poucos alunos no Brasil todo e, mesmo eles, nem sempre costumam comprar os livros adotados.

[Sobre Hegel] - Mas se admitirmos que para conhecer algo eu preciso, primeiramente, conhecer sobre o conhecer, o que me garante que antes de conhecer sobre o conhecer eu não deva conhecer sobre o conhecer do conhecer? Ou seja, uma redução ad infinitum? (Argumento Hegeliano)

Nada disso. Basta conhecer sobre o conhecer. Não é preciso conhecer sobre o conhecer de conhecer.

eu defendo que o que não existe não é objetividade, mas sim, subrealidades da nossa mente mesmo. Tudo não passa de meras projeções mentais. O que acha da minha teoria?

Incorreta. Existe um mundo objetivo fora das mentes sim. Existiria do mesmo modo se não houvesse mente nenhuma para percebê-lo. O que acontece é que a percepção que se tem dele não corresponde exatamente ao que ele é em si mesmo, uma vez que o aparato perceptivo dos seres dotados de mente é imperfeito. Mas ele é como é em si mesmo, tenha-se ou não o conhecimento de como seja.

O que move você?

O desejo de consertar o mundo.

Há alguma diferença entre música clássica e Erudita? Ou são a mesma coisa?.

A palavra música clássica tem dois significados. O primeiro, genérico, é sinônimo de música erudita. O segundo, específico, refere-se ao período da música erudita ocidental compreendido entre 1750 e 1820, capitaneado pelos músicos de Viena, especialmente Haydn, Mozart e Beethoven. Também se refere ao estilo de qualquer música, de qualquer período, feita nos moldes dela.

Como ter uma vida extraordinaria?

Não tenho a menor ideia, porque, inclusive, não acho que levar uma vida extraordinária seja algo de grande valor. O que vale é levar uma vida significativa, isto é, de modo que, por causa dela, o mundo se torne melhor do que sem ela. Mas isso não é nada extraordinário e nem é para que seja algo reconhecido por ninguém.

Já pensou em doar sua Biblioteca para a Universidade de Viçosa, a exemplo do antropólogo Vicente Sales que doou sua Biblioteca à Universidade do Pará?

Não. De forma nenhuma eu doarei minha biblioteca para qualquer biblioteca pública. Tive um imenso desgosto em ver que os livros de meu bisavô, doados à Biblioteca Municipal de Barbacena, foram descartados por serem "velhos". Eram livros do século dezenove, em encadernações de couro, nas primeiras edições de escritores portugueses. Também já colaborei na catalogação de muitos livros de Física e Matemática para a Biblioteca da Universidade Federal de Viçosa e pude me inteirar do trabalho interno deles. Os funcionários não tem um amor entranhado pelos livros, como todo bibliotecário tem que ter, de modo que, também descartam os que eles consideram irrelevantes. Para mim não existe livro irrelevante. Todo livro é para ser preservado, sem exceção. Por isso quero fundar uma biblioteca que tenha essa filosofia. Não só livros como qualquer outro bem cultural, como partituras, vídeos em fitas, vídeos digitais, discos digitais, discos analógicos, fitas de áudio, fotografias, slides, gravuras, telas de pintura, desenhos, plantas, mapas, películas cinematográficas, revistas, jornais, programas de computador (mesmo obsoletos) e por aí vai. Biblioteca é para preservar tudo. Bem como dispor dos dispositivos de leitura e exibição ou audição de todas as formas de armazenamento dos conteúdos, mesmo que não sejam mais usadas.

https://www.facebook.com/jairmessias.bolsonaro/videos/1011281299020856/ Por que a mídia calunia tanto o Bolsonaro? Ele já não é "extremista" o suficiente? A mídia o elegerá, como fez com o Trump, nos EUA.

Mas não calunia. Apenas mostra como ele é, o que defende e o que propõe. Como faz com os demais, inclusive o Lula.

Quando foi a ultima vez que tomou bebida alcoolica?

Tomo todo dia. Normalmente vinho. Mas, também, às vezes, cerveja (das especiais e nunca mais do que um copo), ou destilados, como brandy, whisky, até cachaça, que tomo puro, e pouco (uns 47 ml). Cerveja eu gosto na temperatura ambiente. Também gosto de licores.

Você é um assassino do reino animal, não?

Não. Matar em legitima defesa não é assassinato. Todos os animais que já matei (moscas, mosquitos, abelhas, baratas, aranhas, ratos e outros), matei em legítima defesa. Se não estiverem me ameaçando, mesmo esses, eu não mato, só espanto.

Rousseau ou Hobbes (sobre a essência humana)? E por quê?

Nem um nem outro. Nem o ser humano é bom por natureza e nem é mau por natureza. Ele é capaz tanto de bondade quanto de maldade. O que vai prevalecer, em parte depende da genética de cada um, em parte depende da interação com o ambiente em que se insere desde a tenra infância, isto é, do modo como é criado e da educação que recebe. Mas isso não é determinante, pois há quem seja muito bem educado, eticamente falando, e se torne um vilão, do mesmo modo que há pessoas verdadeiramente santas que não receberam nenhuma educação para assim o serem. Inclusive dois gêmeos, criados igualmente, pode ser um bom e outro mau. Bondade e maldade não fazem parte da essência humana. São atributos não essenciais, como feiura e beleza, saúde e doença, altura e pequenez, gordura e magreza, inteligência ou burrice, brancura ou negrura, masculinidade ou feminilidade. Ter uma ou outra dessas característica não faz de uma pessoa ser ou deixar de ser humana.

Dá para sobreviver dignamente com o salário de professor do Ensino Médio?

Sim. Mas não confortavelmente. Dignamente na pobreza. Mas não na miséria. O que não significa que isso seja aceitável. Um professor, de qualquer nível, tem que ter um padrão confortável de vida. Equivalente ao de um engenheiro, por exemplo.

O senhor vê alguma falha na argumentação sobre a dúvida hiperbólica de Descartes? Qual seria o contraponto para negar a possibilidade dessa dúvida "exagerada"? Ou o argumento dele é perfeito?

Acho que ele está certo. É para ter dúvida exagerada mesmo. O que não se pode é admitir o ceticismo pirrônico, pelo qual se considera que o conhecimento seja impossível. A dúvida metódica é, justamente, um método para se obter conhecimento. Certeza é algo impossível de se ter, exceto sobre trivialidades. O que se tem são convicções calcadas em fortes bases de convencimento, depois de se dirimir as dúvidas colocadas de modo consencioso.

Já matou algum animal?

Só pulgas, moscas, mosquitos, baratas, aranhas e formigas. Rato também. Todavia, nem esses eu gosto.

Poderia indicar um bom livro de Anatomia e bioquímica?

De anatomia só conheço o Hartwig, mas sei que o Gray é muito bom. Isso quanto a anatomia humana. Sobre anatomia zoológica em geral, não sei. De bioquímica conheço o Campbell & Farrell, mas sei que o Lehninger é muito bom. Esses são dois livros que, até, pretendo comprar. Mas são bem caros.

Concorda com Hegel quando ele diz, na introdução da Fenomenologia do Espírito, que a filosofia (ciências) deve-se ir direto à coisa mesma e não buscar saber acerca do conhecer para depois ir à coisa mesma? Ou acredita que sim, se deve buscar, primeiramente, os principios?

Discordo de Hegel. Antes de se abordar o que se pretende conhecer é preciso abordar como se faz o conhecimento.

Acredita na ideia de que não é possível ver (chegar à) coisa em si, mas somente ao sense data dela (modo tal qual esse objeto se apresenta a nós)?

Não é uma questão de acreditar e sim de observar o que se pode ter. O que se tem de dado direto é o que se percebe do mundo. Mas, a partir de muitas percepções, se pode inferir bastante do que seja a coisa em si, de modo probabilístico e provisório. O que acontece é que, com o progresso da ciência, cada vez mais se chega perto do conhecimento da coisa em si e, pode ser que, em alguns casos, já se tenha. Contudo não há como saber se já se tem. Isso também é o que se pode dizer da verdade absoluta (isto é, simplesmente, da verdade). O que se tem é o que se considera como sendo a verdade, subjetivamente, se não se mente deliberadamente. Todavia a percepção tem falhas, de modo que não se pode garantir que se possua a verdadeira verdade. Então se toma o consenso de muitas verdades subjetivas como uma verdade objetiva, provisoriamente. É o máximo que se pode ter.

Você é extrovertido ou introvertido?

Interessante, acho que sou os dois.
Fiz um teste de temperamento e deu praticamente 25% de cada um: sanguínio, fleumático, melancólico e colérico. Quanto ao de personalidade, agora deu ENFP, mas de outra vez tinha dado ENTP.

Responder perguntas no ask é um fardo pra você?

De modo nenhum. É um prazer. Inclusive porque só respondo as que eu quero. Não tenho compromisso de responder a nenhuma. Aproveito para, nelas, não só esclarecer os inquiridores, mas também divulgar meu ideário.

Fale sobre Chico Xavier

Um enganador. Todavia dizia coisas proveitosas. Só que de sua própria cabeça. Nada de psicografia. Isso não existe. Só que fez muita encenação teatral para convencer pessoas de que espíritos existiam.

"" dos filósofos, Nietzsche estava descaradamente ao lado dos poucos, Marx com todo o coração ao lado dos muitos." Bertrand Russel. O que acha?

Acho que seja uma opinião pessoal do Russell. Não o resultado de um levantamento criterioso. Porque ele não concordava como NIetzsche e concordava com o Marx.

Sobre poliamorismo: se ficou acordado entre quem participa da relação, por quê a necessidade de informar que se tem outra(o)?

Por honestidade. Para que não se tenha algo escondido na vida. Inclusive se se tem mais de um cônjuge, todos devem fazer parte da família, até, se for o caso, morando juntos (mas não necessariamente). A concepção poliamorista é, exatamente, a de que os envolvidos sejam todos amigos, mesmo no caso de não serem cônjuges, mas namorados. A pessoa que tenha mais de um namorado ou namorada, sai com eles juntos. E podem, inclusive, dormirem todos juntos. Ou não, se não quiserem.

Dá para escrever poesia de forma profissional sem estudar tratados de versificação?

Não há diferença entre escrever poesia profissionalmente ou não. É só escrever poesia. E isso não requer, absolutamente, se estudar versificação. A não ser que se queira escrever poesia que se adeque a regras. Mas isso não é um requisito para que um poema seja uma poesia.

Ernesto, você mesmo às vezes cita o dicionário, mas há pouco disse: "Não importa o que o dicionário diga que seja". Aqui você foi claramente voluntarioso ( = que ou aquele que segue seus próprios caprichos, sem reflexão ou sem considerar a vontade de outrem). Isto emperra a discussão.

Acontece que os dicionários não apresentam a semântica das palavras nos contextos científicos em que elas são usadas e sim no contexto geral. Muitas palavras tem uma conotação comum que não coincide com sua conotação ao ser usada em um contexto específico de uma ciência. Esse é o caso da palavra "governo". No contexto geral ela pode ser aplicada a qualquer tipo de mando. No contexto sociológico e político ela se refere, especificamente, ao mando que um estado ou suas subdivisões estabelecem sobre a sociedade que lhe constitui.

Se os héterossexuais não afirmam que o são por que os homossexuais deveriam sair por aí dizendo qual a sua opção sexual? Não existe incoerência nisto?

Não é sair por aí dizendo que o sejam e sim não dizer que não o sejam ao serem indagados. Do mesmo modo se for heterossexual, bissexual ou assexual. Qualquer dessas orientações é perfeitamente válida e tem que ser assumida plenamente por quem o seja. Do mesmo modo que a religião que professe (ou nenhuma), a ideologia política e econômica ou outro aspecto. Até mesmo se se for racista, entendido como não apreciador de alguma raça. Ser racista não é um crime. O crime é fazer algo que prejudique a outrem pelo fato de ser de alguma raça que não se aprecie. Ao dizer isso, absolutamente, não estou dizendo que eu seja racista. Muito pelo contrário, sou anti-racista. Todavia acho que é legítimo o ser, na concepção que disse. Não existe crime de pensamento ou de opinião. Só existe crime de ação ou de omissão de ação (como não prestar socorro em acidentes). É perfeitamente legítimo não concordar com religiões diferentes da que se professe ou com quem não possua religião ou, ainda, com que possua qualquer religião. Eu, por exemplo, acho que se ter qualquer religião é um grande equívoco. Todavia não acho que se possa fazer nada contra alguém por isso, sequer desrespeitar sua escolha. Mas me vejo na obrigação caritativa de admoestar a pessoa de seu equívoco. Do mesmo modo em relação a quem seja direitista, capitalista, estatista ou autocrata (mesmo de esquerda). Ou que seja conservador.

O que acha da faculdade de engenharia da computação? Acha uma área interessante na sua opinião?

Acho, realmente, muito interessante. Sou, até, fascinado pelo assunto. Gosto de saber como é que o fato de se apertar uma tecla do teclado faz surgir a letra correspondente na tela. Tintim por tintim. Isso em termos da eletrônica envolvida. Também acho interessantíssimo, por exemplo, projetar impressoras, scanners, variáveis tipos de sensores, como de temperastura, por exemplo. Impressora tri-dimensional é algo fantástico. É muito interessante mesmo.

Professor, você já teve parte ou o total de algum trabalho seu copiado? Como se sentiu? Como procedeu?

Não sei e nem me preocupo com isso. Se escrevi algo que seja proveitoso de modo geral, podem copiar à vontade e nem precisa dizer de quem é a autoria. O que importa é que a mensagem esteja sendo divulgada. Direito autoral é bobeira.

Uma unica pessoa ja conseguiu mudar uma realidad? Ou sempre foi preciso juntar varias pessoas com pensamentos iguais para que isso fosse feito?

Pode ser que uma ideia que tenha mudado a realidade tenha sido formulada por uma pessoa única. Mas ela só conseguiu fazer essa mudança porque foi acatada por outros mais, a princípio e, depois, por muitos mais. Isso vale, também, para mudanças de concepção. Como aconteceu com Copérnico, com Newton, com Darwin, com Marx, com Freud, com Einstein e outros.

Mudar alguma realidade é dificil, as suas tentativas tem surtido efeito?

Não só difícil, mas dificílimo. Ainda não consegui mudar nada. Mas isso não se muda no tempo de apenas uma vida e sim no tempo de inúmeras vidas, no decorrer de vários séculos ou milênios. Assim se deu com a abolição da escravidão, por exemplo. Ou com a extinção do absolutismo. Com a emancipação feminina (que ainda não está completa). E assim por diante. Mudar a realidade é um trabalho insano que tem que ser levado a cabo com todo o desvelo, com toda a persistência e com a máxima paciência. Porque não se vai conseguir no tempo da própria vida.,

Se eu fizer algo de determinada maneira e e isso der certo por que nao posso colocar isso num livro de auto ajuda? É uma coisa que realmente deu certo na prática, diferente da ciencia que se apega em teorias e incertezas

Se você fizer e der certo não significa que sempre que se fizer dará certo. Para garantir isso é preciso que se faça uma pesquisa em que a situação seja reproduzida em muitos casos, bem como sejam analisadas situações em que tenha dado certo sem que se fizesse uso de sua proposta. Então se fazer uma análise da significância de sua proposta para o acerto da solução. Isso é que é um resultado científico a ser publicado. Em geral os autores de livros de auto-ajuda não fazem propostas com base em resultados científicos. A ciência não se "apega" em incertezas. Suas teorias são propostas de explicação baseadas em testes que comprovaram sua significância, o que permite a confiança na explicação. Mas essa confiança ou convicção não significa certeza, o que não se consegue ter em absoluto. Todavia não é um mero palpite, como é o caso de se dizer que algo dê certo porque deu alguma vez.

Sentir tristeza é normal, mas você não as sente, não é?

Claro que eu sinto. A morte do meu pai e a da minha mãe me deixaram muito triste. Fico triste quando acontece muita coisa que não seja boa para mim e para as pessoas que amo.

https://ask.fm/wolfedler/answers/145208531229 O dicionário diz: " governo = capacidade ou possibilidade de exercer controle. Concorda? Acho que você está sendo evasivo, está especificando sem necessidade.

Politicamente, governo é uma instituição adrede engendrada para exercer a administração do estado ou de suas subdivisões. Não importa o que o dicionário diga que seja. Coordenação ou Superintendência não precisam fazer parte do governo. Podem fazer parte de empresas ou outras instituições não governamentais. Do mesmo modo que pode se constituir em esquemas feitos para servir a empreendimentos não exercidos por instituições formalizadas.

Por que não gostas de ler "auto-ajuda"?

Porque são meros palpites de seus autores sobre o que fazer ou como agir para se obter algum resultado. Não são obras científicas resultantes de pesquisas muito bem conduzidas.

Você assume que vive no mundo da lua, ou seja não esta raciocinando bem o que diz, volte para a realidade, você esta em um transe psicodelico, precisa voltar para terra e aceita Deus como seu unico salvador

Mas é claro que eu jamais pretendo ir para a realidade. O que eu quero é mudar a realidade e não aceitá-la. Deus seria meu salvador de quê? De que eu teria que ser salvo? Não é possível que Deus seja meu salvador, pois Deus não existe.

Ernesto, pelo que me lembro o último livro de Cosmologia que você leu e nos indicou foi "A realidade não é o que parece". Tem lido mais algum recentemente em nível de divulgação? Acho que comparei o livro "Hiperespaço" do Kaku. Vale a pena?

Esse á muito interessante. Estou lendo "The Life of the Cosmos", do Lee Smolin. Muito bom. Do Smolin, ainda recomendo:
"The Trouble with Physics" e "Three Roads to Quantum Gravity".
Outros ainda:
"The Cosmic Landscape" - Leonard Susskind,
"The First Three Minutes" - Steven Weinberg"
"The Universe" - John Brockman
"A Universe from Nothing" - Lawrence Krauss
"The Four Percent Universe" - Richard Panek
"An Introduction to MOdern Cosmology" - Andrew Liddle

Quais instrumentos você toca?

Estudei três anos de piano na infância mas, depois que me casei, não tendo mais piano, não treino mais. Também aprendi um pouco a tocar flauta doce. Minha mulher me deu um violino, mas ainda não comecei a aprender a tocar. Meu instrumento principal é a voz. Gosto muito de cantar e canto bem mesmo. Especialmente música lírica. Mas também canto música popular, como "easy music", jazz, música popular brasileira, bossa nova, tango, bolero, samba, canções francesas, espanholas, mexicanas e italianas, fado. Geralmente música de mais de quarenta anos.

Gosta de estar sempre no "mundo da lua"? Se delicia ao pensar em teorias?

Não só gosto, mas é como, geralmente, estou. Sou fascinado por teorias e vivo a examiná-las, bem como formulá-las. Não tenho nem um pouco os "pés no chão". Sou um romântico idealista. Uma pessoa que quer transformar o mundo e, jamais, se adaptar a ele, mesmo que isso implique em prejuízo pessoal. Aliás, prejuízo é o que estou mais acostumado a levar. Minhas especialidades são "caçar sarna para me coçar", "inventar moda" e "dar murro em ponta de faca".

Acha que todos gays, bissexuais e até assexuados devem dizer o que são? Ou para evitar ofensas ou algo do tipo é melhor esconderem o que são e dizerem que são heteros?

Acho que devem dizer sim e encarar as ofensas e o preconceito. Com isso estarão sendo os pioneiros da batalha contra a consideração de que isso seja algo errado e que a sociedade encare isso como perfeitamente normal. Do mesmo modo que pessoas ateias, comunistas e anarquistas. Especialmente se se candidatarem a cargos políticos.

Onde o nada existe?

Não existe "o nada". Nada não é uma entidade. A palavra nada não é um substantivo. É um pronome indefinido, indicador da inexistência de coisa alguma. O que pode acontecer é "não existir nada", o que é muito diferente. Por exemplo, se você não tivesse impressões digitais e encostasse as polpas do indicador e do polegar, apertando-as, entre elas não haveria nada, nem espaço vazio que pudesse conter algo. Nada se refere à situação de inexistência total do que quer que seja: conteúdo (matéria, campo, radiação), espaço vazio, transcurso de tempo. Consequentemente, inexistência de estruturas e de ocorrências. Antes de ter surgido o Universo, não havia nada. O que é muito diferente de dizer que havia "o nada". O Universo surgiu sem ter provido de nada. Mas não tendo provido "do nada". O fato de que o Universo não proveio de nada é considerado, inclusive, por quem ache que ele não tenha surgido sem causa, mas tenha sido "criado", por alguma entidade extrínseca a ele (Deus). Tal entidade teria, então, criado o Universo sem que houvesse nada de que fazê-lo, pois se houvera algo, isso já seria o Universo e tal entidade apenas o teria transformado.

Você disse: "O maestro é escolhido em cada caso, em cada empreendimento, pela comissão que for organizada para coordenar os esforços". Esta eficácia é resultado de uma supervisão, de uma hierarquia, de um governo. Você concorda que é preciso supervisão. Supervisão é governo.

É preciso supervisão, mas supervisão não é governo. Governo é uma instituição estabelecida com componentes definidos por mandato. Supervisão é uma situação efêmera, isto é, existente enquanto algo estiver sendo conduzido. Sem que supervisores sejam estabelecidos de modo permanente. Além do mais, governo também implica em mando impositivo, enquanto supervisão é sujeita à concordância dos supervisionados.

Mas o voto impresso não iria facilitar o voto de cabresto?

Não, porque ele não diz de quem foram os votos. Apenas confirma a votação eletrônica. O conhecimento dos votos dados a cada candidato em cada seção é sabido mesmo sem o voto impresso. A vantagem do voto impresso é impedir possível manipulação dos dados eletrônicos.