quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O paradoxo, e os aspectos assintóticos da "Trombeta de Torricelli", não se assemelham, e justificam de certa forma, a geometria apresentada pelos buracos negros?

A trombeta de Torricelli tem área infinita e volume finito. Ela é a superfície de revolução do gráfico da equação y = 1/x em torno do eixo dos x. O que você considera que seja correspondente no Buraco Negro? A superfície dele tem área finita. A curvatura na superfície é finita. O volume é finito, a massa é finita. Só é infinita a curvatura na singularidade (ponto central), mas, mesmo assim, trata-se de uma solução matemática. O buraco negro real não tem curvatura nem densidade infinita em seu caroço, isto é, não tem singularidade, Considerações quânticas à parte da relatividade impõem um limite, me parece que de 10E81 ou 10E84 g/cm³ para a densidade do caroço.

Ask me anything (pergunte-me o que quiser)

Um comentário:

francisco lenon martins rocha disse...

Olá,gosto de astronomia,e gostei dessa postagem,ficou muito boa e fácil de entender.Agora,e quanto ao universo,pode se dizer que ele tem volume finito e área infinita? Ou seria mais correto dizer que ele se comporta como um ponto e as quatro dimensões que ele possui só podem ser atribuídas a seu volume,e não a sua área?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails